Alemanha

Traído pela retaguarda

A impressionante marca de 39 gols em nove jogos da segunda rodada da Bundesliga, média superior a quatro por partida, poderia tranquilamente ser o principal assunto da coluna desta semana. As belas vitórias de Kaiserslautern, Borussia Mönchengladbach, Hamburgo e Hannover 96, que seguem com 100% de aproveitamento na competição, também. Mas o retorno de Diego ao futebol alemão, agora no Wolfsburg, e a derrota dos lobos para o Mainz 05 por 4 a 3 certamente merecem uma atenção maior nesse momento.

As circunstâncias da partida falam por si só. Não é todos os dias que um time consegue reverter uma vantagem de 3 a 0. Atuando fora de casa e contra uma equipe teoricamente mais forte, então, viradas assim são mais raras ainda, o que, ao mesmo tempo em que valoriza ainda mais o feito do Mainz, expõe novamente o problema defensivo que atormentou o Wolfsburg durante toda a temporada passada. Afinal de contas, se levar quatro gols em condições normais já é complicado, se isso acontece quando a equipe vence por 3 a 0 e poderia, em tese, administrar o placar, torna-se mais temeroso ainda.

O primeiro tempo levava a crer que a estreia de Diego e o início espetacular de Dzeko na Bundesliga seriam os principais assuntos a serem repercutidos no pós-jogo. O centroavante bósnio abriu o placar logo aos 23 minutos e ampliou aos 28, após boa jogada entre ele e croata Mandzukic, que parece ter ganhado a posição de Grafite. Aos 30, Diego fez o terceiro e coroou uma atuação que já podia, naquele momento, ser considerada excelente. O ex-santista esbanjava categoria dando sequência em quase todas as jogadas nas quais participava e acertando belos passes.

O Mainz, porém, não estava morto, e diminuiu ainda aos 39 da primeira etapa, com do dinamarquês Morten Rasmussen. Logo no início do segundo tempo, o jovem meia Lewis Holtby fez uma belíssima jogada pelo lado direito e cruzou para o colombiano Elkin Soto fazer o segundo dos visitantes. O garoto André Schürrle, de apenas 20 anos, empatou o jogo em um chute de fora da área, e o húngaro Ádám Szalai, contratado recentemente junto ao Real Madrid Castilla, selou a virada quando faltavam apenas cinco minutos para o fim.

Os lobos, que sofreram com a falta de consistência defensiva na temporada passada, parecem ainda padecer do mesmo problema. Arne Friederich, que veio do Hertha Berlim e é titular da seleção alemã, está machucado, e seu companheiro, Simon Kjaer, ainda sofre para se adaptar ao futebol alemão e não teve uma boa atuação no último sábado. Barzagli, que formou dupla com Kjaer, ainda se saiu um pouco melhor, mas está longe de ser o nome ideal para a posição.

O problema do time, porém, parece nitidamente ser a falta de combatividade no meio-campo, pois três dos quatro gols do Mainz se originaram em chutes de fora da área. Josué, capitão da equipe, parece estar numa fase descendente da carreira e já não demonstra mais o ímpeto físico de outras temporadas. O recém-contratado Cícero, por sua vez, poderá ser muito útil em termos ofensivos ou no jogo aéreo, mas nunca foi um grande marcador.

Além disso, Diego e Ziani precisam realmente participar um pouco mais em termos defensivos. O meia egípcio, que retorna de lesão, ainda precisa adquirir ritmo de jogo para voltar aos melhores dias, sobretudo porquê Misimovic mudou-se para o Galatasaray. É necessária um pouco mais de entrega, pois nenhum time no mundo atualmente consegue sobreviver em grandes competições marcando com apenas seis jogadores.

Para o Mainz, é o início de temporada dos sonhos. Em dois jogos contra times difíceis – o primeiro foi contra o Stuttgart -, duas vitórias, o que reforça ainda mais a competência do técnico Thomas Tuchel, de apenas 37 anos, que já comandava a equipe na temporada passada. O time parece nem ter sentido a perda de seu artilheiro Aristide Bancé pouco antes do início da temporada e demonstra muita eficiência coletiva. Entre os destaques individuais, podem ser citados o volante Elkin Soto e o meia Lewis Holtby, que pertence ao Schalke 04 e atua pelo lado direito, na mesma posição em que Felix Magath escala o limitado Hao.

Gladbach, Kaiserslautern, Hamburgo e Hannover vencem

Outro grande jogo da rodada foi a surpreendente goleada do Borussia Mönchengladbach por 6 a 3 sobre o Bayer Leverkusen, fora de casa. O quarteto ofensivo do Gladbach, formado por Mohamadou Idrissou, Juan Arango, Marco Reus e pelo jovem Patrick Hermann, de apenas 19 anos, simplesmente não tomou conhecimento da defesa dos Aspirinas e venceu com uma facilidade impressionante.

Quem também causou impacto foi o Kaiserslautern, que derrotou o Bayern de Munique por 2 a 0, também chegou a seis pontos e mostrou que está, definitivamente, de volta à Bundesliga. Os gols da partida foram marcados por Ivo Ilicevic e Srdjan Lakic, mas a vitória também se deve à excelente atuação do goleiro Tobias Sippel, de apenas 22 anos, que é cobiçado pelo próprio Bayern de Munique já há algum tempo.

O Hannover 96, por sua vez, derrotou o Schalke 04 fora de casa por 2 a 1 e piorou ainda mais a situação do time comandado por Felix Magath, que agora soma duas derrotas em dois jogos. Se não fizer algo urgentemente, o Schalke corre o risco de fazer apenas figuração em 2010/11, e a contratação de jogadores como Jurado pode até ajudar um pouco, mas está longe de solucionar todos os problemas do time.

Já o Hamburgo, que havia derrotado os azuis reais na estreia, voltou a vencer, e desta vez a vítima foi o Eintracht Frankfurt, derrotado por 3 a 1. Van Nilsterooy, que havia feito dois gols contra o Schalke, foi às redes novamente, enquanto Paolo Guerrero e Mathjisen completaram o placar. Mas quem comandou todas as ações no meio, além de dar mais uma assistência, foi Zé Roberto, que segue em um momento técnico espetacular.

Seleção alemã estreia nas Eliminatórias para a Euro 2012

Depois de surpreenderem na Copa do Mundo, os comandados de Joachin Löw começam, nesta sexta-feira, a brigar por uma vaga na Eurocopa 2012, que será organizada, em princípio, por Ucrânia e Polônia. O primeiro adversário é a Bélgica, que tem uma equipe jovem com valores individuais reconhecidamente talentosos, mas ainda precisa provar o próprio valor. O jogo será realizado no estádio Rei Balduino, em Bruxelas.

Ainda compõem o grupo alemão as seleções do Azerbaijão, Cazaquistão, Áustria e Turquia. A última, comandada por Guus Hiddink, deverá ser a principal adversária na luta pela classificação. Curiosamente, os alemães se encontram novamente com Hiddink após as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, quando o holandês comandava a seleção russa e acabou derrotado nas duas partidas.

A base que disputou a Copa do Mundo foi mantida, apenas com a entrada de Westermann, cortado do Mundial por lesão. O provável time que iniciará a partida contra os belgas é: Neuer, Lahm, Mertesacker, Westermann e Jansen; Schweinsteiger, Khedira, Thomas Müller, Özil e Podolski; Klose.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo