Bundesliga

Surpresa positiva da temporada, Stuttgart atropela Dortmund e coloca Favre em risco nos aurinegros

A situação de Lucien Favre parece mais do que nunca insustentável no comando do Borussia Dortmund. Jogando em casa, os aurinegros foram completamente dominados pelo Stuttgart, a surpresa positiva da temporada da Bundesliga, e caíram em grande estilo para a equipe de Pellegrino Matarazzo: 5 a 1.

Ainda sem poder contar com Erling Haaaland, que se recupera de um problema muscular e só deverá voltar em janeiro, Lucien Favre optou por Marco Reus como jogador mais avançado no ataque, apoiado por Gio Reyna e Jadon Sancho, nas pontas. Emre Can, no trio de zagueiros, e Jude Bellingham, no meio de campo, também foram titulares.

O Stuttgart começou superior nos primeiros dez minutos, somando quatro finalizações, duas delas a gol, contra nenhuma do Dortmund. Só aos 17 minutos os aurinegros tiveram sua primeira chegada à frente: Sancho deu bom passe para Reus dentro da área, e o camisa 11 tocou para trás, para Bellingham. O garoto esperou a hora certa e finalizou para balançar a rede, mas o gol não foi validado, devido a uma posição de impedimento de Reus.

Como já aconteceu em outras oportunidades na Bundesliga, o Dortmund demorou para entrar de fato no jogo e começar a criar situações. Antes que pudesse se estabelecer no duelo, o Stuttgart já havia inaugurado o placar. Aos 25 minutos, Klimowicz apareceu sozinho na cara de Bürki e, quando se preparava para a finalização, foi derrubado por um carrinho de Emre Can. O pênalti foi marcado, e Wamangituka converteu para fazer 1 a 0.

O Stuttgart manteve seu bom volume de jogo ofensivo e, aos 30 minutos, quase ampliou. Coulibaly fez linda jogada individual dentro da área, passou pela marcação e forçou Bürki a uma boa defesa. No rebote, Klimowicz finalizou por cima do gol. Aos 38, Endo desarmou o Dortmund no campo de defesa aurinegro e lançou Klimowicz, pela direita. O atacante chutou cruzado e parou em outra boa defesa de Bürki.

Salvo lá atrás pelo goleiro, o Dortmund foi resgatado lá na frente por Giovanni Reyna. Aos 39, Guerreiro deu um belo lançamento para o garoto, que dominou pela esquerda, dentro da área, e bateu com classe, encobrindo o goleiro Kobel para empatar.

O domínio do Stuttgart no primeiro tempo não demorou para se transformar em massacre na segunda etapa. Aos oito minutos, o Dortmund tentou sair tocando da defesa, Guerreiro errou o passe e entregou para Mangala. O meia tocou para Wamangituak, que bateu forte para vencer Bürki, colocar os visitantes à frente e chegar a quatro gols nos últimos dois jogos.

Favre decidiu então colocar Reinier no lugar de Emre Can, mudando a formação do BVB de uma linha de três defensores para quatro, com o recuo de Morey e Guerreiro. Antes mesmo que o time pudesse assimilar a alteração, o Stuttgart chegaria ao terceiro gol. Aos 15 minutos, em desatenção completa da defesa dos aurinegros, Förster recebeu livre de Sosa entre as linhas dos anfitriões e bateu sem chances para Bürki.

Dois minutos mais tarde, em mais um vacilo do Dortmund, Klimowicz apareceu livre dentro da área e acertou a trave esquerda de Bürki. No minuto seguinte, o Stuttgart seria mais mortal: Bellingham errou passe no meio do campo, entregando a Wamangituka, que passou para Coulibaly. O francês ganhou no um contra um dentro da área e bateu com curva, no canto direito de Bürki, para fazer 4 a 1.

Favre mexeu mal e não conseguiu recolocar seu time na disputa. Aos 20, promoveu a entrada de Schulz no lugar de Bellingham. Demorou muito para utilizar suas outras substituições, fazendo uma mudança tripla apenas aos 41 minutos, com as entradas de Zagadou, Moukoko e Brandt.

Em uma jogada isolada, chegou a diminuir com Reyna, mas o gol foi anulado por posição de impedimento de Moukoko, envolvido na construção. Por fim, nos acréscimos, o Stuttgart matou o jogo com gol de Nicolás González, aos 46 do segundo tempo.

Com a derrota, o Dortmund estacionou nos 19 pontos, na quinta colocação, perdendo a chance de seguir acompanhando de perto os líderes. O Stuttgart, por sua vez, chegou a 17 pontos, na sexta colocação, podendo ainda ser superado na rodada por outra grande surpresa da liga alemã, o Union Berlim, que tem 16 pontos em dez jogos.

Lucien Favre, que já vem sendo fortemente criticado há meses pela falta de consistência e pelas dificuldades de entregar um nível alto de futebol em uma equipe de tantos talentos individuais, parece ter chegado ao fim da linha. Uma conversa sobre sua continuidade no clube estava marcada para janeiro, mas a decisão pode acabar sendo antecipada, se a repercussão da imprensa local for indício de alguma coisa.

Assista aos melhores momentos:

Classements proposés par SofaScore LiveScore

 

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo