Bundesliga

O Leipzig ganha consistência no segundo ano de Nagelsmann e vai firme por seu primeiro troféu

Graças ao seu apoio, as colunas das cinco grandes ligas da Europa estão de volta, e esta é a Die Meister, com informações e análises sobre o futebol alemão. Faça parte do nosso financiamento coletivo no Apoia.se e nos ajude a bater mais metas

O RB Leipzig não deve ser colocado como um mero postulante ao G-4 na Bundesliga. Os Touros Vermelhos se consolidam como um candidato ao título e, nesta temporada, indicam ter mais consistência pelo objetivo. O time da Red Bull é a única ameaça plausível ao Bayern de Munique, num cenário que se promete aberto também pelas dificuldades dos bávaros. E se o objetivo é inaugurar a galeria de troféus em Leipzig, o clube deu um importante passo nesta semana, ao conquistar a classificação às semifinais da Copa da Alemanha. Mais um feito na conta de Julian Nagelsmann, excelente em suas escolhas na noite. O treinador realmente potencializa o jovem elenco que tem em mãos.

O chaveamento do Leipzig prometia a partida mais dura pela Copa da Alemanha. Os Touros Vermelhos jogavam em casa, mas precisavam encarar o Wolfsburg, em excelente sequência e que nos oito jogos anteriores não havia tomado gols. Os Lobos tiveram suas chances de vencer, com um pênalti desperdiçado por Wout Weghorst e boas defesas realizadas pelo goleiro Péter Gulácsi. Ainda assim, os alvirrubros foram superiores na Red Bull Arena. Muito pela forma como aproveitaram os momentos do jogo e souberam girar o tabuleiro a seu favor.

O Leipzig poderia ter aberto o placar nos primeiros 30 minutos, mas teve um gol anulado por impedimento e ainda viu o goleiro Koen Casteels realizar uma defesa inacreditável. Quando o Wolfsburg melhorou no fim da etapa inicial, Nagelsmann voltou do intervalo com uma formação tática diferente e tomou o controle novamente nos 15 minutos iniciais do segundo tempo. E no instante em que os Lobos se arriscavam um pouco mais no ataque, os Touros Vermelhos abriram o placar graças a um contragolpe. Alexander Sörloth, que acabara de sair do banco, preparou toda a jogada para Yussuf Poulsen marcar.

Depois disso, o Wolfsburg tentou pressionar, mas não proporcionou um real perigo ao Leipzig. Méritos de novo a Nagelsmann, que recompôs o seu sistema defensivo e ganhou mais proteção. Além disso, o técnico renovou o gás de seu ataque. Foi assim que os Touros Vermelhos seguiram criando mais oportunidades e conseguiram confirmar a vitória, com o segundo gol. Três jogadores que vieram do banco participaram do lance, até que Hwang Hee-chan emendasse às redes. O resultado pode ser colocado na conta do treinador.

Nagelsmann sempre foi reconhecido como um comandante versátil. Possui uma proposta de jogo sabidamente ofensiva, mas que sabe trabalhar em diferentes formações táticas ou mesmo em distintos estilos de jogo – ora acelerando, ora cadenciando. Nesta temporada, tal capacidade do treinador se torna ainda mais expressa. O Leipzig já entrou em campo montado com seis esquemas distintos na Bundesliga e de cinco jeitos diferentes na Champions League. O que vale é a associação dos jogadores e as chances de bater de frente com o adversário, encaixando suas virtudes da melhor maneira. Tem dado certo, salvo uma exceção ou outra.

O Leipzig sofreu seis derrotas na temporada até o momento. As mais dolorosas aconteceram na Champions League. O time soube se refazer dos 5 a 0 contra o Manchester United, numa goleada circunstancial, gerada pelos contra-ataques no fim. Tanto é que o RasenBallsport buscou a classificação num dos grupos mais duros, deixando os próprios ingleses fora dos mata-matas. Agora, o desafio será recuperar o prejuízo contra o Liverpool, depois de uma derrota causada por dois erros individuais. Ainda assim, não foi uma má atuação dos alemães no geral, com certo equilíbrio ao longo da noite.

Já na Bundesliga, são três derrotas. A única a realmente se lamentar aconteceu na visita ao Mainz 05, numa tarde em que o Leipzig bateu contra a parede e sofreu com a eficiência do então vice-lanterna. No mais, foi normal cair diante do Dortmund inspirado por Erling Braut Haaland e do Gladbach extremamente eficaz. Após 23 rodadas, os Touros Vermelhos somam 50 pontos, sua melhor campanha a esta altura do campeonato desde a estreia na primeira divisão. O desempenho é superior ao ano do vice, com Ralph Hasenhüttl em 2016/17, e também ao da temporada de estreia de Nagelsmann em 2019/20, em que o clube ocupou a liderança em parte do primeiro turno.

Curioso é que esta temporada não contou com um início de campanha tão impactante do RB Leipzig. Embora o time tenha passado três rodadas na primeira colocação em outubro, tropeçou em alguns duelos de peso e chegou a ser eclipsado pelo Bayer Leverkusen. O melhor momento é exatamente o atual, com cinco vitórias consecutivas na liga. A série começou ganhando o próprio Leverkusen no confronto direto e, no último sábado, contou com o troco diante do Gladbach, graças a uma sensacional virada no segundo tempo.

E cabe salientar como o RB Leipzig aumenta sua competitividade sem contar com uma grande estrela, como na campanha passada. Timo Werner faz mais falta por sua capacidade individual, mas coletivamente os Touros Vermelhos indicam ter mais recursos. Que o ataque não apresente a mesma produtividade, mais jogadores assumem o protagonismo nesta temporada. Além disso, a defesa consegue se mostrar um pouco mais segura, passando quase metade dos jogos sem ser vazada, apesar dos apagões recentes.

Dentre os que mais produzem ao time, Angeliño e Dani Olmo merecem destaque. Os dois tinham dado boas contribuições no segundo semestre da temporada passada, quando chegaram na janela de inverno. Já em 2020/21, aclimatados na Red Bull Arena, se tornaram ainda mais efetivos. O ala esquerdo, sobretudo, atravessou momentos iluminados e resolveu jogos repetidamente. Nagelsmann também tem méritos pela recuperação de Emil Forsberg. O sueco parecia em declínio e, jogando muitas vezes como atacante, recobra sua importância na rotação. Outro retorno valioso é o de Willi Orban, que jogou pouquíssimo nas duas temporadas anteriores por causa das lesões, mas retomou sua liderança no sistema defensivo e é o principal nome da linha de zaga atualmente.

E o interesse agora fica nos reforços desta temporada, que demoraram a fazer barulho. Hwang Hee-chan teve complicações relativas ao coronavírus e ainda não conseguiu emendar uma sequência de jogos, mas o gol contra o Wolfsburg foi um bom sinal. Justin Kluivert é outro que não engrenou por conta das lesões. Já Sörloth era uma decepção enorme, até pelo alto investimento, com Nagelsmann declarando publicamente como o centroavante rendia abaixo do esperado. Exceção ao gol na emocionante vitória sobre o Basaksehir na fase de grupos da Champions, tinha contribuído pouquíssimo. Nesta semana, o norueguês arrebentou.

Sörloth saiu do banco e mudou o jogo contra o Gladbach, dando uma assistência e também fazendo o gol da vitória por 3 a 2 nos acréscimos. Já contra o Wolfsburg, foi o melhor em campo, participando dos dois gols. Parece mais preparado para fazer a diferença, sobretudo por não ser mais visto apenas como um homem de referência. O novato se integra melhor à dinâmica da equipe e rende bem especialmente aproveitando os espaços pelos lados. Vira uma arma extra neste final de campanhas do Leipzig.

Por fim, vale citar jogadores que mantêm o alto nível. Marcel Sabitzer perdeu o início da temporada por lesão e pecou pelos deslizes recentes, mas ainda é uma liderança importante e decide partidas. Péter Gulácsi é um dos principais goleiros da Bundesliga e também segue como uma referência em campo. Christopher Nkunku e Yussuf Poulsen são imprescindíveis à criação ofensiva, muito participativos com e sem a bola. Já na zaga, se Upamecano não faz sua melhor campanha na Bundesliga, permanece como um dos defensores com mais potencial da Europa em seu ano de despedida. Mas pela maneira como Nagelsmann calca seu jogo, não necessariamente o Leipzig sentirá sua falta, assim como ocorreu com Werner. Há alternativas além dos nomes.

O próximo mês será decisivo para as ambições do Leipzig. Na Champions League, a reviravolta não é impossível dado o momento do Liverpool, embora repetir a grande campanha de 2019/20 não pareça exatamente uma prioridade. Mais importante é sustentar o embalo nos torneios domésticos. Os Touros Vermelhos pegam nas próximas rodadas Freiburg e Eintracht Frankfurt, dois times em ascensão, antes de visitarem o Arminia Bielefeld. Já na volta da Data Fifa, na primeira semana de abril, acontece o confronto direto com o Bayern. O RasenBallsport se acostumou a bater de frente com os bávaros desde a chegada de Nagelsmann, mas abusa dos empates. O reencontro na Red Bull Arena é a ocasião perfeita para mudar essa história.

Pela qualidade do elenco e pelo histórico vitorioso, o Bayern naturalmente ainda é o favorito à Salva de Prata. Mas, apresentando deficiências defensivas e nem sempre encaixando seu ataque, se mostra mais vulnerável do que na temporada passada. Resta saber se o Leipzig está preparado a este passo além. A Bundesliga é um objetivo palpável. E o crescimento no campeonato poderá ter seus desdobramentos na DFB Pokal, com as semifinais retomadas só em maio. Com apenas mais dois jogos pela frente, a Red Bull está próxima de beliscar seu primeiro título. O Borussia Dortmund desponta como principal obstáculo, mas num momento em que não passa totais créditos em meio à sua transição. O Leipzig tem um projeto mais claro em mente.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.