Bundesliga

O Hoffenheim deu trabalho, mas Haaland apareceu nos acréscimos e definiu uma vitória de tirar o fôlego para o Dortmund

Jude Bellingham foi o principal destaque do Dortmund, mas Haaland decidiu na hora certa

Quem parou diante da tela nesta sexta-feira viu um ótimo jogo na abertura da rodada da Bundesliga. Borussia Dortmund e Hoffenheim fizeram uma partida eletrizante ao longo dos 90 minutos no Signal Iduna Park, na qual o vencedor permaneceu indefinido até os últimos instantes. O Hoffe seria valente e peitou os anfitriões, buscando duas vezes o empate e causando calafrios na torcida aurinegra. No entanto, o BVB se valeu de sua garotada para arrancar o triunfo por 3 a 2 nos acréscimos do segundo tempo. Jude Bellingham foi ótimo com gol e assistência, mas de novo Erling Braut Haaland desequilibrou. O centroavante fazia uma atuação modesta, até que a bola decisiva sobrasse em seus pés e ele não perdoasse.

Desde os primeiros minutos, já deu para sentir o duelo bastante intenso que aconteceria no Signal Iduna Park. O Hoffenheim assustou um bocado com uma cabeçada de Andrej Kramaric que bateu na trave, mas logo Giovani Reyna respondeu do outro lado, exigindo boa defesa de Oliver Baumann. Os visitantes exibiam uma postura confiante, mas com o passar dos minutos o domínio do Dortmund se tornou mais claro. Os aurinegros reclamariam de um pênalti não marcado sobre Reus aos 27, num contato bem claro sobre as pernas do capitão. Foi na reta final do primeiro tempo que o BVB adotaria uma postura mais incisiva no ataque.

As combinações entre Haaland e Reus saíam, mas faltava um pouco mais de capricho na definição. O centroavante até ganhava os cruzamentos na área, faltando qualidade nas cabeçadas. Donyell Malen também se apresentava e poderia ter aberto o placar aos 40, não fosse mais uma ótima intervenção de Baumann. Do outro lado, Gregor Kobel precisaria crescer para cima de Christoph Baumgartner no mano a mano. O domínio claro era do BVB e a equipe da casa terminou a primeira etapa com 11 finalizações, mas o Hoffenheim ainda conseguia dar trabalho suficiente para indicar que a vitória não viria tão fácil.

Conteúdos relacionados

O segundo tempo começou surpreendendo, com o Hoffenheim tentando exercer uma pressão. Porém, logo aos quatro minutos, o primeiro gol seria mesmo do Dortmund. Numa jogada de Reus para Bellingham, o inglês entregou para Reyna na entrada da área. Então, o meia apresentou sua categoria e desferiu um chute no cantinho. O gol botaria mais fogo na segunda etapa, com o Hoffenheim partindo para cima. Kobel salvaria diante de Kramaric, quando o atacante estava de frente para o crime, até que o empate viesse aos 16. Dennis Geiger deu um passe sensacional com a parte de fora do pé, que infiltrou a desatenta defesa adversária. Baumgartner dominou sozinho pela direita e arrematou quase sem ângulo, num belo lance.

Com o placar igualado, a cobrança voltava a recair sobre o Dortmund. E os aurinegros martelavam. Malen fazia uma boa partida, mas Baumann estava ainda mais inspirado e era vital ao Hoffenheim, espalmando um chute do atacante no canto. Manuel Akanji perdeu na sequência uma cabeçada na pequena área, desviando por cima do travessão. Contudo, Baumann não teria o que fazer aos 24, quando Bellingham deixou sua marca e retomou a dianteira no placar. Após um cruzamento mal afastado, o meio-campista dominou no espaço e acertou o chute indefensável. O momento era do BVB, que ainda poderia ter marcado o terceiro, não fosse Baumann frustrar de novo Malen. Enquanto isso, Haaland via a marcação chegar junto e não conseguia ser tão efetivo desta vez.

A partir dos 30 minutos, o Hoffenheim ainda voltou a se concentrar no ataque para arrancar o empate. Kobel também vivia uma noite para transmitir confiança e pararia uma cobrança de falta de Kramaric, desviando com a ponta dos dedos. Em meio ao abafa dos alviazuis, a defesa aurinegra conseguia se safar. De qualquer maneira, também surgiam mais brechas aos contra-ataques. Foi quando Haaland mais causou temores, ganhando a companhia de Youssoufa Moukoko na reta final. O norueguês quase anotou o seu aos 42, num chute cruzado que passou muito perto da trave.

A torcida do Signal Iduna Park até pensou que o esforço tinha sido em vão aos 45, quando o Hoffenheim de novo empatou. Depois de uma cobrança de escanteio, Kevin Akpoguma desviou no primeiro pau e Munas Dabbur completou à meta escancarada. No entanto, quem tem Haaland sabe que o gol da vitória pode sair a qualquer momento. E ele veio no ataque seguinte, já nos acréscimos. Baumann bem que tentou evitar, com duas defesas milagrosas, contra Marius Wolf e Moukoko. A sobra, porém, ficaria com Haaland e o artilheiro encheu o pé, mandando um balaço rente à trave. Reus poderia ter matado o jogo depois disso, mas desperdiçou em ótimas condições. Já no fim, o BVB segurou os adversários e vibrou muito pelo resultado ao apito final.

O Borussia Dortmund se recupera da derrota para o Freiburg na rodada passada e chega aos seis pontos na Bundesliga, ainda aguardando o desdobramento da rodada. Já o Hoffenheim possui quatro pontos nos primeiros três compromissos. Enquanto isso, Haaland mantém sua média espetacular e aparece com três gols na artilharia do campeonato. Esta foi uma noite, de qualquer maneira, para também festejar a importância que Bellingham e Reyna têm nesta nova geração.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo