Bundesliga

O Gladbach não perdoou o esfacelado Bayern e, algoz de novo, saiu com a virada em Munique

Num jogo que teve seu adiamento discutido, o Bayern até jogou bem para o tamanho de seus problemas, mas o Gladbach foi mais eficiente para vencer na Allianz Arena

O Borussia Mönchengladbach vive uma temporada decepcionante, mas se firmou como o carrasco do Bayern de Munique. Depois dos 5 a 0 na Copa da Alemanha, os Potros também ganharam nesta sexta o duelo pela abertura do segundo turno da Bundesliga, por 2 a 1. Foi, porém, um jogo em circunstâncias muito atípicas. Por causa do surto de Covid-19 no elenco, o Bayern teve uma coleção de desfalques. Julian Nagelsmann fez vários improvisos e tinha um banco repleto de garotos. Ainda assim, os bávaros fizeram uma atuação boa, em que dominaram grande parte das ações e criaram chances. Todavia, em poucos momentos de desacerto dos líderes, o Gladbach aproveitou para virar o placar no primeiro tempo. Durante a segunda etapa, então, bastou segurar a pressão e comemorar uma vitória que traz boas perspectivas, após o péssimo fim de primeiro turno.

Diante dos inúmeros desfalques, era esperado que o Bayern de Munique viesse com uma escalação bastante alternativa. Sven Ulreich aparecia no gol, com Benjamin Pavard e Niklas Süle na zaga. Recuperado da Covid-19, Joshua Kimmich surgia na lateral direita e Marcel Sabitzer foi improvisado na esquerda. Marc Roca e Jamal Musiala eram os volantes. Thomas Müller liderava a trinca de meias com Malik Tillman e Serge Gnabry. Já na frente, Robert Lewandowski era a esperança de superar os problemas. O Gladbach tinha até ausências importantes, como Jonas Hofmann, Denis Zakaria e Ramy Bensebaini. Mas era uma escalação bem mais próxima do ideal, com o ataque composto por Lars Stindl e Breel Embolo.

Além dos problemas em campo, o Bayern precisava lidar com a pesada neve que caía em Munique. Mesmo assim, os bávaros não abriram mão do protagonismo na Allianz Arena. O início da equipe foi bom, com pressão no campo de ataque e a intenção de resolver o jogo o quanto antes. A partida rondava a área do Gladbach e logo as chances passaram a surgir, com Yann Sommer parando Gnabry e Lewandowski. Contudo, Lewa abriu a contagem aos 18. Após o passe de Müller, o centroavante deu um ótimo drible em Nico Elvedi logo no domínio e chutou forte, no canto de Sommer. A vantagem era merecida.

Logo depois do gol, porém, o Bayern diminuiu sua intensidade e viu o Gladbach crescer no jogo. Foi quando os desfalques e as improvisações se mostraram mais custosos. O empate surgiu aos 27 minutos. Numa jogada pela direita, a marcação frouxa facilitou. Embolo não conseguiu dominar o cruzamento, mas a sobra caiu com Florian Neuhaus, que não perdoou. E os Potros já viraram aos 31. Depois da cobrança de escanteio, Stefan Lainer subiu com espaço e cabeceou para baixo, sem que Ulreich conseguisse defender.

A reação do Gladbach garantiu uma reta final de primeiro tempo animada. O Bayern tentava recobrar o prejuízo o quanto antes e voltou a se lançar mais para o ataque, mas a ameaça dos contragolpes rápidos dos Potros era evidente. E qualquer um dos times poderia ter garantido o gol antes do intervalo. Neuhaus desperdiçou um lance livre na área, antes que Embolo forçasse uma grande defesa de Ulreich em míssil aos 45. Quando Lewandowski tentou a resposta no minuto seguinte, com pouco ângulo na linha de fundo, carimbou a trave.

Durante o segundo tempo, o Gladbach optou por fazer uma atuação bem mais pragmática. Os Potros se mantinham no campo de defesa e travavam a posse de bola de um Bayern sedento pelo empate. Apesar do domínio, os bávaros demoraram um pouco para gerar novos lances de perigo. Sommer faria uma grande defesa aos 11, numa batida de Musiala que parecia ter endereço. Pouco depois, um cruzamento de Lewandowski atravessou a pequena área, com Kimmich frações de segundo atrasado. Já aos 17, Lewa lamentou mais uma vez. O centroavante bateu prensado, o tiro ganhou altura depois de resvalar em Elvedi e acertou o travessão.

O Gladbach não exibia a mesma capacidade nos contra-ataques, mesmo com a entrada de Alassane Pléa. Para o Bayern, o que restava era acionar a garotada no banco. Lucas Copado e Paul Wanner faziam suas estreias na Bundesliga, com o segundo se tornando o mais jovem da história do clube a entrar em campo pela competição, aos 16 anos. Lewandowski tentava liderar sua equipe, mas os esforços não pareciam suficientes diante da segurança de Sommer. Já na reta final, o Gladbach ainda ensaiou o terceiro. Aos 39, Pléa teve grande lance na área, em batida que Ulreich salvou com a ponta da chuteira. Os bávaros, no fim, jogaram alguns cruzamentos no chuveirinho. Sem sucesso para evitar a derrota.

A vantagem do Bayern de Munique na liderança pode diminuir na sequência da rodada. Os bávaros somam 43 pontos, nove a mais que o Borussia Dortmund na segunda posição. Os aurinegros jogam no sábado, quando visitam o Eintracht Frankfurt. Já o Gladbach encerra uma sequência de cinco rodadas sem vencer, com quatro derrotas neste intervalo. Os Potros ocupam o 11° lugar, com 22 pontos, a cinco da zona de classificação às copas europeias e cinco acima da zona de rebaixamento.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo