Bundesliga

O Freiburg iniciou uma nova era nesta quinta, com a inauguração de seu moderno estádio para 34 mil torcedores

Ainda invicto na Bundesliga, Freiburg tentará manter o bom ritmo num estádio de primeira linha

O Freiburg possui uma gestão exemplar entre os clubes alemães. Mesmo com um orçamento menor que o da maioria dos concorrentes, o clube da Floresta Negra continuamente faz campanhas na parte de cima da tabela e disputa as copas europeias. O time principal se vale bastante das categorias de base e também consegue bons achados no mercado. Além disso, conta com um treinador de primeira linha, Christian Streich, que completa em dezembro uma década à frente do elenco – com 26 anos totais desde que ingressou para dirigir a base. E a estabilidade do Freiburg também contribuiu para que a agremiação construísse um estádio novinho em folha: nesta quinta, foi inaugurado o Estádio Europa-Park.

Desde 1954, o Freiburg disputava seus compromissos no Dreisamstadion – também conhecido como Estádio Schwarzwald, por conta de naming rights. A praça esportiva com capacidade para 24 mil espectadores recebeu diferentes modernizações desde a década de 1970, mas estudos realizados pelo clube na última década mostraram que novas reformas não seriam suficientes. Mesmo os requisitos mínimos exigidos pela DFL, a liga alemã, não eram atendidos e o time necessitava de permissões especiais. Em 2015, a construção de um novo estádio na cidade de Friburgo foi aprovada por 58,2% da população e as obras se iniciaram três anos depois, com orçamento estimado em €76 milhões – depois ampliado para €131 milhões.

O projeto do novo estádio coincidiu com a bonança do Freiburg na Bundesliga. Desde a temporada 2009/10, o clube só não disputou uma temporada na primeira divisão, mas conquistou o acesso imediato em 2015/16. Além disso, o time de classificou para a Liga Europa em duas oportunidades. Em cinco edições da liga a equipe de Christian Streich terminou entre os primeiros dez colocados e também revelou bons jogadores. Em vez de reinvestir o dinheiro apenas em reforços, o clube preferiu direcionar seus fundos à estrutura. O estádio também é consequência desse processo, embora tenha sido financiado majoritariamente pelo poder público.

O Europa-Park pertence 100% a uma companhia administrada pela cidade de Friburgo. O clube contribuiu com €15 milhões, além de ter viabilizado um empréstimo de €13 milhões. As obras também contaram com participação da Secretaria de Educação, Juventude e Esportes do estado de Baden-Württemberg (€16,2 milhões), enquanto o restante dos €32,7 milhões previstos inicialmente foram financiados com empréstimos feitos pela prefeitura. Já os custos adicionais acabaram bancados por uma empreiteira local. Anualmente, o Freiburg se comprometeu a pagar €3,8 milhões pelo aluguel, enquanto um possível rebaixamento reduzirá o valor para €2,8 milhões. A alcunha de “Europa-Park” também garante dinheiro de naming rights, levando o nome do parque temático localizado na região de Baden-Württemberg.

O Freiburg planejava a inauguração do novo estádio para a temporada 2020/21, mas a pandemia provocou adiamentos nas obras. Depois de novas mudanças de datas, o clube ainda mandou seus primeiros três jogos nesta Bundesliga no antigo Dreisamstadion – com a despedida ocorrendo durante a vitória por 3 a 0 sobre o Augsburg. Já nesta Data Fifa, o Freiburg aproveitou a pausa nas competições para realizar um amistoso inaugural contra o St. Pauli. Por conta da pandemia, as arquibancadas ainda não contaram com ocupação máxima, com limitação para 15 mil presentes.

O Freiburg cumpriu o dever de casa e venceu o St. Pauli por 3 a 0 na inauguração do novo estádio. Vincenzo Grifo marcou o primeiro gol e também o segundo, enquanto Nishan Burkart fechou a contagem no segundo tempo. Já valeu a festa. E o momento do Freiburg também motiva para o primeiro duelo oficial no Europa-Park. O time de Christian Streich volta a campo pela Bundesliga no dia 16 de outubro, recebendo o RB Leipzig. A equipe ocupa o quarto lugar na tabela, apenas um ponto atrás do líder Bayern de Munique, e é a única invicta na competição. Seria ainda mais fantástico aproveitar o primeiro ano do estádio para buscar também a classificação inédita à Champions.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo