Bundesliga

O Dortmund mexe com a Bundesliga ao garantir a chegada de Süle para 2022/23, ao fim de seu contrato com o Bayern

Süle tinha propostas de clubes da Premier League e da Serie A, mas resolveu continuar na Alemanha e defenderá o Dortmund

Niklas Süle já tinha apontado seu desejo de deixar o Bayern de Munique ao final de seu contrato, em junho. O zagueiro chegou à Allianz Arena como uma grande aposta para assumir a posição, mas nunca teve grande regularidade. Justo numa temporada em que ele apresentava ótima forma, porém, passou a indicar que não estava completamente satisfeito com os bávaros e recusou as propostas de renovação. Seu desejo não era o de necessariamente deixar a Alemanha, apesar de ofertas da Premier League e da Serie A sobre a mesa. Prova disso é sua decisão, confirmada nesta segunda-feira: Süle atuará pelo Borussia Dortmund, com pré-contrato de quatro anos firmado para 2022/23. Faz o caminho contrário da transação mais comum, no que é um ótimo acerto para os aurinegros diante de seu setor mais necessitado.

Süle chegou ao Bayern em 2017/18, após se tornar uma ótima revelação do Hoffenheim. O zagueiro estava às vésperas de completar 22 anos e vinha bem cotado pela conquista da Copa das Confederações com a seleção. Os bávaros desembolsaram €20 milhões por um jogador que parecia pronto a assumir a posição durante muitos anos. Não foi exatamente isso que aconteceu, seja pelo próprio desenvolvimento do beque e também por sua utilização na Baviera.

Süle foi um nome frequente entre os titulares principalmente nas duas primeiras temporadas, mas teve uma séria lesão no joelho em 2019/20, que custou sua presença na ascensão da equipe rumo à Tríplice Coroa. Permaneceu como um jogador de rotação em 2020/21, até atravessar uma boa sequência em 2021/22. O reencontro com Julian Nagelsmann, seu antigo comandante no Hoffenheim, parecia ajudar e o beque vivia aquele que é provavelmente seu melhor momento com o clube. Mas não que estivesse totalmente satisfeito na Baviera, recusando as ofertas para a renovação do contrato que acabará em 30 de junho de 2022.

Membros do Bayern até indicaram certa mágoa ao falar sobre Süle, diante da certeza de que não renovaria. O antigo chefe-executivo Karl-Heinz Rummenigge avaliou que o zagueiro era um bom talento, mas que “nunca se firmou na posição” e “não estava entre os melhores do time”. Tal visão era contraposta pelo atual CEO, Oliver Kahn, que no final de janeiro tratou a perda como “dolorosa”, enquanto Manuel Neuer salientou no final de semana que “não queria perdê-lo por ser um jogador de seleção”. Neste momento, ainda não estava claro qual seria o seu próximo destino.

Pela situação contratual de Süle, esperava-se que ele atuasse em outro país. O zagueiro tinha as cartas na mão para escolher seu novo destino, especialmente com o interesse de clubes ingleses – com o Newcastle chegando com força. Todavia, ele preferiu fechar com o Borussia Dortmund, o que enfatiza como sua vontade não se limita meramente aos aspectos financeiros. Os aurinegros não deixaram de festejar o acordo. Levaram um jogador de nível de seleção, desfalcaram o principal concorrente no campeonato e ainda não pagarão nada pela transferência. Isso para tentar resolver os recorrentes problemas de seu setor mais vulnerável e até demonstrar certa competitividade no mercado, para atrair novos reforços.

“Estamos contentes por termos conseguido contratar um jogador da seleção alemã como Niklas Süle, numa transferência livre e com contrato por quatro anos”, afirmou o diretor esportivo Michael Zorc. Sebastian Kehl, que assumirá o cargo na próxima temporada, reforçou: “Niklas nos mostrou durante nossas conversas que ele está muito interessado no Borussia Dortmund. Ele tem muita experiência, é calmo na construção de jogo e tem o físico necessário para trabalhar em conjunto conosco para dar o próximo passo necessário”.

Süle, por sua vez, apontaria ao Bild: “Nós últimos dias e semanas, falaram muito sobre mim e especularam o que eu pensava fazer. Eu já tinha decidido há algumas semanas jogar pelo Dortmund. Desde o primeiro contato, senti que as pessoas no comando do clube estavam realmente com vontade de trabalhar comigo. Hans Joachim Watzke, Michael Zorc, Sebastian Kehl e Marco Rose traçaram o papel que posso ter no BVB. Tive a sensação de que era desejado como pessoa e jogador. Fiquei impressionado com a forma como eles se esforçaram por mim, então rapidamente soube para onde iria. Tive um período de muito sucesso com o Bayern e ganhei tudo o que há para ganhar aqui. Gostaria de continuar isso nos próximos meses, com ótimos companheiros e um excelente treinador, em busca de mais títulos”.

Obviamente, a chegada de Süle não garante automaticamente um salto para o Borussia Dortmund. Os problemas do BVB estão ligados a um sistema, embora realmente faltassem nomes mais confiáveis na defesa. Mas, se os aurinegros precisavam de caminhos, nada melhor que levar um dos melhores zagueiros em atividade na Alemanha de graça. Süle desembarca sem a necessidade de adaptação e numa idade boa para viver seus melhores anos no Signal Iduna Park. Não é, por exemplo, como o retorno de Mats Hummels já às vésperas de completar 31 anos em 2019. Süle chegará com quase 27.

E será interessante ver os desdobramentos disso no próprio mercado de transferências. O Bayern de Munique não é um clube de fazer tantas loucuras, mas deve ir atrás de um zagueiro num setor que já perdeu Jérôme Boateng e David Alaba nesta temporada. Já o Dortmund faz um acerto que, embora engorde sua folha salarial, indica uma ambição que nem sempre está em voga no Signal Iduna Park. Süle pode até ser o ponto de partida para negócios maiores, pensando que a venda de Erling Braut Haaland deve garantir uma bolada em breve.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo