Bundesliga

O Dortmund jogou em ritmo altíssimo e fez uma de suas melhores atuações da temporada nos 5×1 sobre o Freiburg

Dahoud mandou no meio-campo e Meunier anotou dois gols, enquanto Haaland também deixou sua marca duas vezes

O Borussia Dortmund tinha uma partida que pedia cautela nesta sexta-feira, na abertura da rodada da Bundesliga. Dentro de um Signal Iduna Park vazio por causa da Covid-19, os aurinegros recebiam o Freiburg, de boa campanha nesta temporada. O que se viu, porém, foi uma das melhores atuações do time sob as ordens de Marco Rose. O BVB teve intensidade e também muita vontade de construir a goleada. Amassou os visitantes e aplicou um inquestionável placar de 5 a 1, com 20 a 5 nas finalizações. Haaland mais uma vez chama atenção pelos dois gols anotados, mas precisa compartilhar a manchete com os dois gols de Meunier e a partidaça de Dahoud, que fechou a conta.

O começo do Borussia Dortmund logo indicou uma grande exibição da equipe. A primeira chance veio num contra-ataque puxado por Erling Braut Haaland. O cruzamento chegou limpo a Jude Bellingham, que não pegou em cheio. Logo depois, seria a vez de Donyell Malen tentar um chute cruzado e assustar. Os aurinegros em alta rotação, controlando a posse de bola e empurrando a defesa do Freiburg. O gol logo viria, aos 14. Julian Brandt cobrou escanteio na esquerda e Thomas Meunier se antecipou no primeiro pau para definir de cabeça, com uma casquinha. A porteira se abria.

O Freiburg decepcionava, com uma postura muito passiva e acuada. Sequer os contra-ataques davam resultado. Enquanto isso, o Dortmund era muito mais agudo. E teve em Meunier seu goleador de início, com o segundo tento aos 29. Em mais um escanteio, agora pela direita, Brandt cruzou e o belga subiu no meio da multidão para desferir a cabeçada certeira. Os aurinegros perceberam o baque do outro lado e, no fim do primeiro tempo, aumentaram a pressão. O bombardeio garantia seguidas oportunidades, com Mahmoud Dahoud aparecendo bem. O terceiro gol ocorreu nos acréscimos, durante tal abafa. Bellingham roubou a bola na intermediária e enfiou para Haaland. O centroavante dominou e concluiu com categoria, na saída do goleiro Benjamin Uphoff.

Para o segundo tempo, o Freiburg voltou com duas alterações e deu sinais de melhora. Contudo, o Dortmund seguia mais contundente no ataque e tinha os melhores lances. Malen deu um chute perigoso aos sete. Aos 16, pelo menos, os visitantes descontaram. Num contra-ataque, Roland Sallai forçou a defesa de Gregor Kobel, mas Ermedin Demirovic marcou no rebote. Diante do histórico de derrapadas do BVB, parte da torcida podia ficar ressabiada, mas o tempo passava e a defesa aurinegra se segurava. Aos 29, Kobel faria uma defesa difícil, ao se esticar todo para agarrar o chute rasteiro de Kevin Schade. Um minuto depois, veio o quarto gol dos anfitriões.

A goleada do Dortmund tomou forma com participação direta de Dahoud. Aos 30, o meio-campista roubou a bola no campo de ataque e rolou para Haaland, que de novo não teve problemas em definir diante de Uphoff. O tento esfriou as intenções do Freiburg e permitiu que o BVB voltasse a dominar as ações ofensivas. Haaland tentou sua tripleta, num tiro cruzado que passou ao lado da trave. O placar seria definido por Dahoud, que recebeu o passe de Nico Schulz e, totalmente desmarcado, teve tempo de dominar, antes de mandar o arremate no alto da meta adversária. Não foram necessários nem acréscimos.

O Borussia Dortmund diminui a diferença em relação ao Bayern de Munique para três pontos, 43 a 40, mas ainda aguarda os líderes entrarem em campo. Os bávaros pegam o ascendente Colônia fora de casa nesta rodada. Já o Freiburg fica na quarta colocação, com 30 pontos, e muito provavelmente vai deixar o G-4 no final de semana. Quatro times aparecem a no máximo três pontos da equipe de Christian Streich.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo