Bundesliga
Tendência

O Bayern segue sem empolgar na Bundesliga, mas ao menos está vencendo

Triunfo contra o Werder Bremen encurtou distância para o título, sobretudo se o Dortmund tropeçar na rodada

Há quase 20 anos, o Bayern deixava escapar um título alemão para um surpreendente Werder Bremen que rapelou o título da liga e da Copa da Alemanha. O tempo passa, o tempo voa, e muita coisa muda. Neste sábado (6), o hegemônico esquadrão bávaro deu mais um grande passo rumo ao 11º título consecutivo da Bundesliga, ao derrotar o modesto Werder fora de casa, por 2 a 1.

Virou lugar comum falar que o Bayern desta temporada sempre joga bem menos do que pode. Ainda que o desempenho passe por um time que não tem mais Robert Lewandowski para empurrar toda santa bola para a rede, dá para criticar a falta de agressividade do time, em linhas gerais.

Werder Bremen

Werder Bremen
3-5-2
1
Jiri Pavlenka
cz
20
Romano Schmid
at
Substitutos
34
Jean-Manuel Mbom
de
28
Ilia Gruev
bg
13
Milos Veljkovic
rs
17
Maximilian Philipp
de

Bayern Munich

Bayern Munich
4-2-3-1
27
Yann Sommer
ch
40
Noussair Mazraoui
ma
5
Benjamin Pavard
fr
4
Matthijs De Ligt
nl
22
Joao Cancelo
pt
6
Joshua Kimmich
de
38
Ryan Gravenberch
nl
11
Kingsley Coman
fr
7
Serge Gnabry
de
42
Jamal Musiala
de
17
Sadio Mane
sn
Substitutos
46
Arijon Ibrahimovic
de
41
Liam Morrison
gb
10
Leroy Sane
de
20
Bouna Sarr
sn
23
Daley Blind
nl
25
Thomas Muller
de
45
Aleksandar Pavlovic
de

Salvo raras partidas, muitas delas ainda com Julian Nagelsmann e o último clássico contra o Borussia, já com Thomas Tuchel, o Bayern não é aquela Coca-Cola toda de temporadas passadas. E isso fica clarividente pelos resultados conquistados na campanha. Apesar disso tudo, os bávaros entraram em campo com seriedade diante do Werder para cumprir seu papel.

Houve alguma dificuldade para os visitantes chegarem aos gols, que só saíram na segunda etapa. A jogada começou com João Cancelo e Sadio Mané, que lançou no meio da área. A bola pipocou nos pés de Jamal Musiala, a defesa do Werder afastou mal e Serge Gnabry apareceu para completar, abrindo o placar no minuto 62.

Depois, aos 72′, foi a vez de Noussair Mazraoui atacar de garçom, fugindo pela direita e rolando para Leroy Sané ampliar, praticamente colocando uma pá de cal no confronto. O que o Bayern não esperava era que, ao se dar por satisfeito, chamaria o Werder para o seu campo e, por que não, de volta para a partida. Restando menos de cinco minutos para o fim, os mandantes começaram a acreditar na reação, graças a um golaço de Niklas Schmidt, em um petardo de fora da área, surpreendendo Yann Sommer.

Tuchel deu meia dúzia de broncas e o Bayern se aprumou, parando de correr riscos e assegurando os três pontos, cruciais nesse fim de temporada bastante agitado em Munique. Ainda é cedo para dizer que está tudo resolvido, mesmo porque os bávaros tem Schalke, Leipzig e Colônia pela frente. Desses três, apenas o Colônia não tem mais nenhuma ambição na temporada, enquanto o Schalke briga para se manter na elite e o Leipzig para confirmar a vaga na Champions.

O sábado foi bom para os comandados de Tuchel, que no domingo já terão um programa de qualidade para assistir: Dortmund x Wolfsburg, podendo representar um respiro a mais de alívio na luta pelo título. E com o Dortmund sempre há entretenimento, por bem ou por mal.

Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo