Bundesliga

Lilian Thuram, sobre a cusparada de Marcus: “Eu até me perguntei se aquele era mesmo o meu filho”

Marcus Thuram protagonizou uma cena deplorável na rodada do final de semana na Bundesliga. O atacante do Borussia Mönchengladbach cuspiu no rosto de Stefan Posch, do Hoffenheim, durante uma discussão após disputarem a bola em campo. Por conta da agressão, o atacante foi expulso e suspenso por cinco partidas. Além disso, tomou uma multa de €40 mil da federação alemã e recebeu uma punição também do clube, sem receber seus salários durante um mês. Marcus reconheceu o erro e pediu desculpas horas depois do incidente, dizendo que não era a sua intenção – mesmo que as imagens não deixem claro o dito acidente. Já seu pai, Lilian Thuram, lamentou publicamente pela postura do filho.

“É perfeitamente compreensível o que está acontecendo na mídia. Eu mesmo estava assistindo à partida e fiquei extremamente chocado. Eu até me perguntei se aquele era mesmo o meu filho. Depois, tive a explicação dele. Marcus me falou que estava furioso e, ao insultar o oponente, a saliva saiu sem ser realmente de propósito”, comentou Thuram, em entrevista à RCI Guadalupe.

“O que ele quer que as pessoas se lembrem é que seu ato não foi intencional. Ele mesmo me disse: ‘Pai, não quero que as pessoas pensem que sou capaz de cuspir em alguém de propósito. Isso não faz sentido’. Ele também ligou para Khéphren [seu irmão mais novo, que joga no Nice] para explicar a situação”, complementou Thuram. “Marcus aceita as punições porque, de fato, seu gesto não deve existir num campo de futebol. E acho que é normal essa postura dele, em acatar a suspensão”.

Depois da partida, Thuram pediu desculpas a Posch. Também postou uma mensagem nas redes sociais, reconhecendo o tamanho de seu erro: “Hoje aconteceu algo que não se combina com meu caráter e não deve nunca acontecer. Eu reagi mal a um adversário e algo aconteceu acidentalmente. Peço desculpas a todos: Stefan Posch, meus oponentes, meus companheiros, minha família e todos que viram minha reação. Obviamente, eu aceitarei todas as consequências do meu gesto”.

Já o técnico Marco Rose pediu desculpas em nome do Gladbach: “Gostaria de pedir desculpas também em nome do clube. Esse tipo de coisa não pertence ao futebol. Marcus veio de uma família bem educada e é muito reflexivo. Hoje seus fusíveis explodiram. É a única maneira de tentar explicar. Marcus é um rapaz inteligente e sabe que isso não é possível – pelo lado humano do adversário e pelo desserviço ao próprio time. Na saída de campo, Sebastian Hoeness [o técnico adversário] aceitou meu pedido de desculpas, em nome do Hoffenheim – é digno de honra dizer isso”.

O salário mensal de Marcus Thuram está avaliado em seis dígitos. O valor será redirecionado pelo Gladbach a causas sociais. O clube ocupa o oitavo lugar na Bundesliga, com 18 pontos, a seis da zona de classificação às copas europeias.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo