O Bayer Leverkusen estava a segundos de chegar à pausa de inverno do Campeonato Alemão na liderança. Literalmente a segundos. O empate contra o Bayern de Munique era de certa forma frustrante. Havia feito uma partida boa suficiente para vencer. Bastava para manter a primeira colocação e invencibilidade, mas, no último lance do jogo, Jonathan Tah vacilou e o melhor jogador do mundo (eleito pela Fifa) Robert Lewandowski marcou o gol da vitória do impossível Bayern de Munique por 2 a 1.

Perder seria ok. O Leverkusen conseguiu ganhar dos bávaros apenas duas vezes nos últimos 13 encontros. Mas perder da maneira como perdeu é uma decepção enorme para um clube famoso por tragédias dessa mesma natureza ao longo da sua história. Encerrou uma invencibilidade de 13 jogos pela Bundesliga.

O Leverkusen quebrou o impasse do começo da partida, aos 14 minutos, com um escanteio curto – e um lindo gol. Bailey cobrou para Amiri, pela ponta direita. O cruzamento foi ao outro lado da área, onde Patrick Schick emendou um voleio com a perna esquerda no canto alto de Neuer para abrir o placar.

O Bayern de Munique não conseguiu se encontrar no primeiro tempo, enquanto Florian Wirtz misturava sensações. Teve duas boas chegadas: em uma, perdeu o controle da bola; na outra, Schick bateu para boa defesa de Neuer. O atacante tcheco chegou a marcar o segundo, mas estava impedido.

Aos 43 minutos, o gol de empate praticamente caiu no colo de Lewandowski. Ou melhor, em sua cabeça. Müller cruzou da direita, Hrádecky e Jonathan Tah bateram cabeça, e Lewandowski teve apenas que colocar a cabeça debaixo da bola para empatar.

O segundo tempo foi um pouco melhor para o Bayern, especialmente pelos contra-ataques que conseguiu armar. Em um deles, Gnabry tomou a decisão errada. Em outro, recebeu de Müller, entrou na área pela esquerda e bateu cruzado para boa defesa de Hrádecky. Neuer trabalhou para barrar um chute de média distância de Amiri, e Musiala acertou a trave a favor do Bayern.

Tudo caminhava para um empate. Mas, primeiro, méritos ao Bayern por marcar pressão no campo do adversário aos 48 minutos do segundo tempo. E deméritos ao Leverkusen por ter entregado a bola. Tah errou o domínio, Kimmich tocou de primeira para Lewandowski, no limite da linha de impedimento.

E aí, o Bayern de um pouco de sorte. Lewandowski entrou em diagonal e bateu colocado. A bola desviou, enganou Hrádecky e enviou o Leverkusen ao Natal com uma bela dor de cabeça.

.

.

Standings provided by SofaScore LiveScore

.

.