Bundesliga

Lewandowski faz dois e o Bayern espanta a zebra do Greuther Fürth em Munique

Bávaros foram para o intervalo perdendo, mas acordaram e golearam na etapa final sem dificuldade

Se você achou que seria hoje que o Bayern perderia para o pequenino Greuther Fürth, em casa, meus pêsames. Mas não foi dessa vez. Na Allianz Arena, em Munique, o placar do intervalo poderia até ser incômodo, mas o time de Julian Nagelsmann passou o rolo compressor e obteve um resultado natural na Bundesliga, vencendo por 4 a 1.

No meio de semana, os bávaros tiveram alguma dificuldade para lidar com o Red Bull Salzburg, trazendo pontos de atenção para Nagelsmann. Mas não era contra o frágil lanterninha Fürth que o técnico traria grandes inovações ou uma energia diferente. Do contrário: sabendo que facilmente poderia vencer o adversário, o Bayern não se esforçou muito para abrir o placar e pareceu confortável com o ritmo lento de jogo. Foram poucas tentativas reais ao gol de Andreas Linde, que pouco trabalhou nos 45 minutos iniciais.

Mas aí, para não deixar o cachimbo cair de vez, veio o sinal de alerta: aos 42 minutos, Branimir Hrgota cobrou uma falta perto da área, a bola desviou, subiu e venceu Sven Ulreich, que nada pôde fazer. O choque irritou a torcida, que passou a cobrar mais atenção do time. Antes que o clima ficasse mais feio, o árbitro colocou fim na primeira etapa e permitiu que Nagelsmann recalculasse a rota de seu grupo na partida.

Não demorou a obter resultado com suas mexidas. A primeira foi tirar o jovem Omar Richards para a entrada de Eric Choupo-Moting, fortalecendo o ataque. No primeiro ataque da etapa final, Serge Gnabry foi até a linha de fundo, encarou o goleiro e passou para trás. A bola resvalou em Choupo-Moting (talvez no braço?) e caiu logo na canela de Robert Lewandowski, que empurrou para a rede. Aos 15, veio a virada: Dayot Upamecano desceu ao ataque, achou Benjamin Pavard bem colocado, o francês rolou para Thomas Müller, que cruzou para a área. O zagueirão Sebastian Griesback se precipitou e tocou contra o próprio gol, virando para o Bayern.

E pronto. Normalidade restabelecida em Munique. Agora era só esperar a avalanche de gols que ainda faltava para aplacar o desânimo. Não houve aquela goleada clássica que esperamos do Bayern, mas deu para encher a barriga da torcida. O Fürth parecia ter gostado do papel de franco-atirador, tanto que ainda chutou duas vezes a bola na trave do adversário, assustando bastante a defesa do Bayern. Mas era esperar demais um segundo gol dos visitantes.

O Bayern colocou a bola no chão, parou de ceder espaços ao Fürth e matou o jogo em um escanteio. A bola alçada na área teve desvio de cabeça de Niklas Süle, que escorou para Lewandowski fazer mais um aos 36 minutos. Choupo-Moting fechou a conta nos acréscimos, novamente com assistência de Gnabry. O ponta correu e carregou até o canto da área, rolou para trás e Moting só completou como queria ter feito no primeiro gol bávaro.

Lição de casa feita com louvor, ainda que com alguns sustos. O estado de relaxamento do Bayern é algo que pode vir a trazer problemas em jogos considerados ganhos até o fim da Bundesliga. O elenco sobra demais em relação aos concorrentes, é verdade, mas essa desatenção já custou caro em outros confrontos. Aguardando o desfecho do jogo entre Borussia Dortmund e Borussia M’gladbach, o Bayern celebra os seis pontos de frente em relação aos aurinegros. E sabendo que com essa rotação baixa, poderá correr algum risco depois de tantos títulos consecutivos.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo