Bundesliga

Lewa: “O Bayern tentou justificar minha venda para os torcedores e falou um monte de merda sobre mim”

Lewandowski acusou os dirigentes do Bayern de mentirem durante as declarações públicas sobre a sua saída do clube

As feridas abertas com a saída de Robert Lewandowski do Bayern de Munique ainda não cicatrizaram. O atacante não nega certo incômodo pela maneira como os bávaros conduziram a situação, muito embora também tenha sua parcela de culpa pela maneira como forçou o rompimento. Segundo o centroavante, os dirigentes do clube inventaram mentiras para justificarem a venda e não ficarem em situação ruim com a torcida. Lewa usou palavras duras, embora não tenha especificado os nomes de seus desafetos.

“Alguns tipos de pessoas não dizem a verdade, dizem algo diferente. E, para mim, sempre foi importante ser claro, permanecer verdadeiro. Talvez para algumas pessoas isso seja um problema. No fim, eu sei que algo não funcionava bem com minha pessoa também, OK, percebo e sinto que talvez seja um bom momento de sair do Bayern e me juntar ao Barcelona. Eu sinto que estou na posição certa, no lugar certo”, declarou Lewa, à ESPN americana.

“Tudo o que aconteceu nas últimas semanas antes de deixar o Bayern, é claro, foi muita política. O clube tentou encontrar um argumento para justificar a minha venda para outro clube, porque antes talvez fosse difícil de explicar para os torcedores. E eu tive que aceitar isso, mesmo com um monte de besteira, de merda que falaram sobre mim. Não é verdade, mas no fim eu sabia que os torcedores, mesmo neste período, ainda me apoiam bastante”, complementou.

Lewandowski negou que as intenções do Bayern em contratar Erling Braut Haaland, antes do acerto com o Manchester City, tenham motivado seu desejo de sair: “Não, minha decisão não teve nada a ver com Erling. Eu sou o cara que, mesmo se algo não for bom para mim, a verdade é mais importante. Não quero falar sobre o que aconteceu exatamente. Mas se a questão é se minha vontade de sair foi por causa dele, não, não via problema se ele fosse contratado pelo Bayern”.

Além disso, o centroavante reiterou que permanece com boa relação com os antigos companheiros e com a comissão técnica: “Tinha um relacionamento muito bom com meus companheiros, com os funcionários, com o treinador. Todas essas coisas eu vou sentir falta, porque passei um período maravilhoso no Bayern. Não éramos apenas amigos em campo, mas algo além. Mas, no fim das contas, esse capítulo está encerrado e eu abro um novo capítulo da minha vida, um novo capítulo da minha carreira”.

Lewandowski disputou 375 partidas pelo Bayern, com 344 gols marcados. Escreveu seu nome na história com títulos e grandes momentos. Porém, a mágoa que persiste atrapalha sua imagem como ídolo. Tentará construir uma nova relação no Barcelona.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo