Bundesliga

Kimmich: “Meu modelo sempre foi Xavi, ele sempre tentava colocar os holofotes sobre os outros”

Seu nome não é o primeiro que vem à mente quando pensamos em sua equipe, mas seu futebol é constantemente um termômetro da atuação coletiva. Seu trabalho invisível ajuda o time a funcionar, seus passes concedem aos companheiros a chance de brilhar, e sua inteligência de posicionamento facilita a própria disposição em campo dos colegas. Esta descrição serve muito bem para definir o futebol de Xavi em seus tempos de Barcelona, mas é também adequada a Joshua Kimmich, no Bayern de Munique – e não por coincidência. Em entrevista ao Bild, o meio-campista falou sobre como o catalão o inspirou no período em que definia qual identidade gostaria de ter como jogador profissional.

Na conversa com o jornal alemão, Kimmich exaltou a influência de Xavi a um Barça que marcou época na década passada, revelando como isso ajudou a moldar o seu próprio futebol.

“Meu modelo sempre foi o Xavi, do Barcelona. Ele nunca foi o melhor (do mundo), mas tinha uma visão de jogo, de passe, de técnica. Ele sempre tentava colocar os holofotes sobre os outros”, avaliou.

“Aquilo me impressionava, eu queria me orientar em direção a isso. Conheci o Xavi uma vez, durante uma concentração em Doha, em 2019, e foi um momento muito legal”, revelou.

A inspiração no catalão se provou bem-sucedida. Embora a nacionalidade e o clube diferentes tornem a associação menos comum, Kimmich é hoje um herdeiro do estilo de jogo de Xavi, tendo constantemente mostrado as mesmas características a partir do momento em que passou a atuar no meio de campo.

Xavi, no entanto, não é o único que inspira admiração no alemão. Questionado sobre quais jogadores gostaria de ter como companheiros de time, Kimmich citou os dois nomes mais ilustres das últimas duas décadas, perguntando-se como é que mantiveram o mesmo patamar por tanto tempo.

“(Gostaria de jogar) Com Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. Para mim, é completamente impressionante, quase inacreditável, como eles podem manter este nível por mais de 15 anos. Gostaria de ver o que eles fazem no dia a dia.”

Dadas as devidas proporções, Kimmich vai marcando sua própria época em sua própria realidade e, aos 26 anos, ainda tem tempo de sobra para expandir sua já impressionante sala de troféus, que, por ora, inclui cinco títulos de Bundesliga, três Copas da Alemanha, uma Champions League e um Mundial de Clubes, além de inúmeras premiações individuais.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo