Bundesliga

Investimento recorde em Nagelsmann é prova da confiança – justificada – do Bayern em seu novo treinador

Bávaros anunciaram acerto com o técnico do RB Leipzig, que assina por cinco temporadas

Como lhe é costumeiro, o Bayern de Munique foi rápido em suas negociações e, pouco tempo após surgirem rumores de seu interesse no treinador do RB Leipzig, Julian Nagelsmann, o clube acertou sua contratação e fez o anúncio de sua chegada nesta terça-feira (27). Nagelsmann se juntará aos bávaros a partir da próxima temporada, com um contrato de cinco anos. A duração do vínculo e o valor recorde pago pelo time de Munique pelo técnico são provas de uma confiança elevada no trabalho do comandante, que fez por merecer em sua ainda curta carreira.

Bayern de Munique e RB Leipzig não revelaram o valor da multa paga pelos bávaros para contratar Nagelsmann, mas a imprensa alemã afirma que o valor seria de € 25 milhões, um recorde mundial por um treinador – o anterior sendo os € 15 milhões pagos pelo Chelsea ao Porto para contratar André Villas-Boas, em 2011.

No mesmo comunicado em que anunciou a chegada de Nagelsmann, o Bayern de Munique informou que atendia a um pedido do seu atual técnico, Hans-Dieter Flick, de romper seu vínculo, que iria até 2023. Flick já vinha dando sinais de seu desejo de sair, e rumores na Alemanha apontam para a forte possibilidade de que o treinador assuma o comando da seleção alemã após a disputa da Eurocopa. Flick retornaria ao ambiente em que passou oito anos, entre 2006 e 2014, como assistente de Joachim Löw, longevo comandante da Mannschaft, no cargo desde 2006.

Julian Nagelsmann começou sua carreira como treinador em 2016, com apenas 28 anos, à frente do Hoffenheim. Assumiu uma equipe na parte de baixo da tabela e que corria sérios riscos de rebaixamento. Nas 14 partidas que restavam da campanha, conseguiu evitar a queda e, no ano seguinte, liderou o time a um excelente desempenho na Bundesliga, obtendo a quarta colocação e classificando o clube pela primeira vez à Champions League.

Contratado pelo RB Leipzig para a temporada 2019/20, Julian Nagelsmann seguiu seu trajeto de ascensão rápida e, logo em sua primeira campanha, levou o clube a uma semifinal de Champions League, acabando derrotado pelo PSG, e ao 3º lugar na Bundesliga. Agora, em sua segunda temporada, está perto de assegurar o vice-campeonato.

Com apenas 33 anos, Nagelsmann já mostra grande repertório tático e é descrito por seus comandados como alguém minucioso e com respostas variadas a problemas que os jogadores podem encontrar em campo. Em entrevista ao jornal El País em agosto de 2020, Dani Olmo descreveu em detalhes o trabalho tático de seu RB Leipzig e o papel de Nagelsmann em seu funcionamento.

“O mister nos dá certa liberdade para ocupar os espaços, mas também nos dá soluções quando não encontramos respostas, automatismos que nos ajudam a desenvolver nosso futebol. Treinamos muitas coisas. (…) Trata-se de romper as linhas de pressão. Tudo depende das qualidades dos jogadores e da posição da bola”, explicou Olmo à época.

Herbert Hainer, presidente do Bayern de Munique, exaltou as credenciais de Nagelsmann no anúncio oficial no site do clube. “Ele representa uma nova geração de treinadores. Apesar de sua juventude, já tem um currículo impressionante. Estamos convencidos de que, com Julian Nagelsmann, podemos prosseguir com os sucessos magníficos dos últimos anos”, projetou Hainer.

“A duração de contrato de cinco anos do Julian, por si só, mostra o quão comprometido ele está com o Bayern. Estou convencido de que o futuro esportivo do clube será muito bem-sucedido com Julian Nagelsmann”, completou Oliver Kahn, membro da diretoria bávara.

Quanto a Hansi Flick, o sentimento não poderia ser outro senão gratidão. O treinador encontrou sucesso relâmpago em sua primeira experiência em uma grande equipe, assumindo o clube em novembro de 2019, após a demissão de Niko Kovac, e levando os bávaros à conquista de tudo que disputaram: Bundesliga, Copa da Alemanha, Champions League, Mundial de Clubes, Supercopa da Alemanha e Supercopa da Uefa. Sua lista de conquistas deve aumentar com mais uma Bundesliga ao fim desta temporada.

“Ele assumiu nosso time em um momento difícil em 2019 e ganhou seis troféus, com o sétimo, esperamos, por vir. Ele sempre terá um espaço nos livros de história do Bayern. Desejamos-lhe o melhor para o seu futuro”, afirmou Hainer, acompanhado pelo diretor (e desafeto de Flick) Hasan Salihamidzic, que acrescentou: “Seu nome estará sempre associado a esses sucessos”.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo