Bundesliga

Há 11 anos no comando do Freiburg e há 27 anos no clube, Christian Streich renova mais uma vez seu contrato

Ex-jogador do Freiburg, Christian Streich virou técnico da base em 1995 e desde dezembro de 2011 dirige a equipe principal

Christian Streich realiza um dos trabalhos mais longevos das grandes ligas europeias. No último mês de dezembro, o técnico do Freiburg completou 11 anos à frente da equipe principal. Somando o período em que foi assistente e treinador das categorias de base, o veterano possui 27 anos nos corredores do clube da Floresta Negra. E os últimos meses são especiais, por marcarem exatamente o ápice do rendimento do time sob as ordens de Streich. Nada mais natural, então, que a diretoria oferecesse uma renovação contratual. Nesta terça-feira, o clube oficializou a extensão dos vínculos de Streich e de toda a sua comissão técnica.

Christian Streich é nascido na região de Freiburg e fez sua modesta carreira como jogador majoritariamente na cidade. No entanto, o ex-meio-campista atravessou a maior parte de sua trajetória no Freiburger, das divisões de acesso. Streich vestiu a camisa do Freiburg propriamente dito em apenas uma temporada, em 1987/88, quando o time ainda figurava na segunda divisão do Campeonato Alemão. Entre seus companheiros de elenco estavam Joachim Löw e Souleymane Sané, pai de Leroy Sané. Streich também passou pelo Stuttgarter Kickers e pelo Homburg, com o qual conquistou o acesso e figurou em sua única temporada na primeira divisão, em 1989/90.

Streich pendurou as chuteiras no Freiburger em 1995. No mesmo ano, retornou ao Freiburg para ser técnico das categorias de base. O treinador começou à frente do time juvenil, antes de assumir os juniores. Ficou à frente da categoria por 15 anos, de 1996 a 2011, com grande papel para lançar talentos como Matthias Ginter, Dennis Aogo, Oliver Baumann, Ömer Toprak, Christian Günter e outros nomes que passaram pelas seleções de base da Alemanha. Já em 2007, Streich começou a acumular funções e se tornou também assistente do Freiburg. Foi o braço direito de Robin Dutt e depois auxiliou Marcus Sorg brevemente em 2011/12.

Depois de quatro temporadas com Robin Dutt no comando, o Freiburg teve Marcus Sorg por apenas um semestre na casamata, na lanterna da Bundesliga ao final do primeiro turno em 2011/12. Ele mesmo antigo treinador do segundo quadro, não emplacou quando subiu de nível. Foi quando a diretoria avaliou que era o momento de promover Streich. A escolha não poderia ser mais acertada, com o novo técnico capaz de conseguir a salvação e terminar a Bundesliga num confortável 12° lugar. O Freiburg continuou crescendo com Streich e chegou em quinto em 2012/13, o que rendeu uma vaga na Liga Europa após 12 anos, e pela primeira vez diretamente na fase de grupos.

O trabalho de Christian Streich não foi totalmente linear no Freiburg. O técnico chegou a ser rebaixado na Bundesliga em 2014/15. Apesar disso, a diretoria avaliou que não era motivo para uma mudança drástica de rumos e confiou no comandante. Ele conquistou o acesso imediato, com o título da segundona em 2015/16. Já em 2016/17, classificou de novo a equipe da Floresta Negra para a Liga Europa. A atual passagem pela primeira divisão dura sete temporadas, um recorde para o Freiburg. Streich consegue montar repetidamente times competitivos e que excedem as expectativas pelos elencos mais modestos. Mesmo sem segurar seus principais destaques, o técnico revela muitos novatos e também acerta a mão nas apostas do mercado.

Desde a última temporada, o trabalho de Streich no Freiburg atinge seu ápice. A equipe terminou na sexta colocação da Bundesliga 2021/22, após ocupar a zona de classificação à Champions até o início do segundo turno, e alcançou a inédita final da Copa da Alemanha, apesar da derrota nos pênaltis diante do RB Leipzig. Já a atual temporada consegue ser melhor, em certa medida. O Freiburg passou mais rodadas dentro do G-4, embora atualmente ocupe a quinta colocação, fora da zona da Champions no saldo de gols. O time segue vivo na Copa da Alemanha, na qual tentará surpreender o Bayern de Munique nas quartas. E faz uma campanha excelente na Liga Europa, com a liderança de seu grupo. Apesar da derrota por 1 a 0 na ida das oitavas contra a Juventus, o cenário continua aberto para o reencontro na Alemanha.

Além de continuar revelando bons jogadores e atraindo apostas interessantes de vários cantos, o Freiburg conseguiu segurança financeira suficiente para construir um novo estádio. O Europa Park está entre as praças esportivas mais modernas da Alemanha, é adequado às necessidades do clube e ainda garante um ótimo aproveitamento como mandante. Nesta temporada, o Freiburg possui 11 vitórias e somente uma derrota em 16 partidas em seus domínios. Difícil pensar que tudo isso seria possível sem Streich.

Como de costume, o Freiburg não divulgou até quando Streich renovou seu contrato. Conforme a revista Kicker, o treinador prefere analisar sua situação a cada temporada e, a princípio, assinou por mais um ano. Mas isso é o de menos, diante do comprometimento do técnico de 57 anos e de tudo o que realiza. Os outros membros da comissão técnica também ganharam novos vínculos, com destaque a Patrick Baier, desde 2009 como assistente e atualmente o auxiliar mais longevo da Bundesliga. Diante de tantos acertos na Floresta Negra, não há motivos para alterar os rumos.

Curiosamente, Streich ainda não é o técnico mais duradouro da história do Freiburg. Essa primazia fica com Volker Finke, que dirigiu a equipe principal de 1991 a 2007. O veterano conferiu maior estabilidade ao clube na elite e conquistou um terceiro lugar em 1994/95, ainda hoje a melhor campanha da agremiação, que rendeu a vaga inédita nas copas europeias. Apesar disso, dá para dizer que as realizações de Streich como seu herdeiro são até maiores. E com chão não apenas para igualar a permanência do antecessor, mas também para conseguir outros feitos enormes para um clube historicamente modesto dentro da Bundesliga.

Já em relação aos demais clubes da Alemanha, Christian Streich já é o segundo técnico com mais partidas à frente de um mesmo time pela primeira divisão. O veterano soma 343 compromissos no comando do Freiburg, com 119 vitórias e 100 empates. Tais marcas o colocam à frente de lendas como Udo Lattek (299 jogos pelo Bayern) e Hennes Weisweiler (339 jogos pelo Borussia Mönchengladbach). A liderança da liga é de Otto Rehhagel, que passou 493 compromissos da elite na direção do Werder Bremen. Resta saber se Streich terá gás para tudo isso. Neste momento, sem tanta badalação em relação a outros clubes maiores, talvez mesmo só a seleção alemã para tirá-lo da Floresta Negra no futuro.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo