BundesligaPremier League

Gündogan vê dominação do Bayern como problema para a Bundesliga: “Tornará o campeonato menos atraente”

Em alerta tardio, meio-campista do City e da seleção alemã torce para que Dortmund ou Leipzig possam bater de frente com os octacampeões

Ilkay Gündogan fazia parte do elenco do Borussia Dortmund campeão da Bundesliga de 2011/12, a última conquistada por uma equipe que não o Bayern de Munique. Hoje adversário dos aurinegros nas quartas de final da Champions League, o meio-campista, que passou os oito primeiros anos de sua carreira profissional na Alemanha, afirmou temer que a continuação da supremacia dos bávaros no campeonato nacional mate o interesse internacional na competição.

Em entrevista ao Funke Media Group, Gündogan, em um alerta provavelmente tardio, apontou para o domínio do Bayern, atual octacampeão e a caminho de seu nono título seguido na Bundesliga, como um perigo para a competição.

“Eu gostaria que, na Bundesliga, o Dortmund ou o RB Leipzig pudessem ao menos competir com o Bayern a médio prazo. Se o Bayern continuar a se distanciar da concorrência ainda mais nos próximos anos, então podemos presumir que a liga, infelizmente, se tornará menos atraente e interessante à audiência internacional”, avaliou.

Curiosamente, na atual temporada, a equipe de Gündogan, o Manchester City, mantém uma distância duas vezes maior para o segundo colocado de sua liga nacional (14 pontos), o Manchester United, do que a do Bayern para o atual segundo colocado da Bundesliga, o RB Leipzig. Ainda assim, o meio-campista vê a liga inglesa como mais forte e com uma maior distribuição de boas equipes, sobretudo observando os times de meio de tabela.

“Eu acho que, aqui na Inglaterra, temos mais qualidade na liga. Não apenas no topo, mas principalmente no meio da tabela, entre os times que não jogam competições europeias. Os principais times também têm jogado com os melhores treinadores do mundo há um bom tempo.”

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo