Bundesliga

Em semana de rebaixamentos, Darmstadt mostra força descomunal para adiar sua queda

A semana nas grandes ligas europeias é de degola. Na segunda-feira, o Pescara teve o seu rebaixamento decretado na Serie A. O Osasuna carimbou o seu retorno à segundona de La Liga na quarta, três dias antes do projeto endinheirado e frustrado do Granada ter o mesmo destino. Além dos andaluzes, o Sunderland também despencou neste sábado e deixa a Premier League após dez temporadas consecutivas na elite. Já na Bundesliga, impressiona a recusa do Darmstadt em se entregar. O descenso do time treinado por Torsten Frings ainda é dado como quase certo. Mas, pela segunda semana consecutiva, ele foi adiado. A equipe amassou o Freiburg, em campanha ascendente no campeonato, enfiando 3 a 0 sobre os visitantes no Estádio Jonathan-Heimes am Böllenfalltor.

O Darmstadt conquistou três de suas sete vitórias na Bundesliga durante as últimas três rodadas. Apenas o Werder Bremen sustenta uma sequência de triunfos similar na competição neste momento. Já tinham feito muito ao bater o Schalke 04 e o Hamburgo – nesta partida, conquistando o primeiro resultado positivo fora de casa desde o início da campanha. E, neste sábado, não houve vez para o Freiburg, que sonha com a vaga na Liga Europa. Os alviazuis anotaram dois gols no primeiro tempo, com Felix Platte e Jérôme Gondorf, antes que Sven Schipplock fechasse a conta na etapa complementar.

A situação do Darmstadt ainda é complicadíssima. O clube soma 24 pontos, a oito de sair da zona de rebaixamento, e com apenas mais nove por disputar. Só não pode cair matematicamente neste domingo porque Augsburg e Hamburgo, dois que ainda podem ser ultrapassados, se enfrentam. E os alviazuis tem uma tabela dificílima pela frente, incluindo a visita ao Bayern de Munique na próxima rodada. Depois, pegam também Hertha Berlim e Borussia Mönchengladbach.

Se a queda não acontecer, será um milagre sem precedentes. De qualquer maneira, o espírito de luta permite que a equipe levante a cabeça para encarar a segundona na próxima temporada. Para quem já veio de uma ascensão inimaginável, salvo do rebaixamento à quarta divisão há quatro anos pela falência de um dos times acima na tabela, os dois acessos consecutivos e as duas temporadas na elite já valeram demais aos pequeninos.

Nos outros países

Os outros dois rebaixamentos deste sábado cumpriram o que se esperava durante os últimos meses. O Sunderland se safara da queda diversas vezes nas temporadas mais recentes da Premier League. Desta vez, nem mesmo os gols de Jermain Defoe foram suficientes. Os Black Cats passaram 32 das 34 rodadas no Z-3 e se afundaram na lanterna a partir do início do segundo turno. Desde janeiro, a equipe de David Moyes venceu apenas um jogo. A derrota para o Bournemouth no Stadium of Light só completou a tristeza dos torcedores alvirrubros.

Já o Granada prometia um novo momento no Campeonato Espanhol. Depois de escapar da queda na temporada passada, os investimentos começaram a jogar, com a chegada do presidente Jiang Lizhang. Contudo, a contratação de Jorge Sampaoli melou, Paco Jémez se queimou rapidamente e a bagunça se estabeleceu no Estádio Los Cármenes. O caminhão de empréstimos, inclusive na janela de transferências de inverno, pouco adiantou. Vencendo o primeiro jogo apenas em dezembro, os andaluzes permaneceram na zona de rebaixamento por 32 rodadas. Só não devem terminar na lanterna porque o Osasuna vem sendo mais incompetente. Neste sábado, o tropeço diante da Real Sociedad por 2 a 1 foi fatal.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo