Bundesliga

Como os gols podem levar a Bundesliga a ganhar o mundo

Um gol atrás do outro, não que isso fosse uma surpresa. O Bayern de Munique passeava sobre o Hamburgo na abertura da Bundesliga 2015/16. E, a cada gol dos vermelhos da Baviera, os dirigentes da liga tinham motivos para sorrir. Não que haja uma torcida institucional a favor do atual tricampeão nacional. Mas a cada vez que a bola tocava na rede, os alemães sabiam que estavam justificando a campanha que tenta internacionalizar o campeonato.

VEJA MAIS:
– Estádios lotados e espetáculo nas arquibancadas: um guia das torcidas da Bundesliga
– Dez histórias para acompanhar de perto no Campeonato Alemão 2015/16
– O Guia Corneteiro da Bundesliga 2015/16

A Espanha tem a força de um Barcelona x Real Madrid, que podem ser individualizado no duelo Messi x Cristiano Ronaldo. A Premier League tem clubes que se projetaram globalmente há mais tempo e carregam o charme e a história do futebol inglês. Mas a Alemanha tem gols, muitos gols, e estádios explosivos. Por isso, abrir a temporada com um placar de 5 a 0 e um desfile de um time cheio de craques da seleção campeã mundial veio sob medida.

Isso ficou evidente no evento realizado em Berlim pela Bundesliga em parceria com a Fox Sports para apresentar o torneio à mídia internacional. Na ocasião, a liga deixou evidente que pretende explorar o que há de mais positivo no estereótipo sobre o futebol alemão – estádio cheio, sem filas, organizado e limpo – para alcançar novos mercados, com enfoque especial aos Estados Unidos. E, de alguma forma, fazer isso sem que isso cause rejeição aos torcedores ou prejudique a qualidade do jogo.

O slogan da campanha de divulgação vai direto ao ponto: “More goals, more pasion. This is Bundesliga” (Mais gols, mais paixão. Esta é a Bundesliga). Diz o que precisa sem rodeios. O minimalismo da frase, carregando a força que um toque alemão (“Bundesliga”) dá a qualquer frase, até lembra o “Das Auto” que a Volkswagen usou em todo o planeta para vender a ideia de qualidade e robustez para seus carros.

ASSINE JÁ: Confira a newsletter da Trivela e receba conteúdo exclusivo toda semana

Liz Dolan, chefe de marketing da Fox disse que a frase foi escolhida pensando no mercado norte-americano. “Sabemos como nos Estados Unidos as pessoas gostam de esportes com placares altos e muitos gols. Eles não gostam de empates ou de 0 a 0. E a Bundesliga é o campeonato europeu com a maior média de gols por jogo, então decidimos explorar isso.”

É fácil reforçar esse discurso com estatísticas, outra coisa à qual o público americano está acostumado. Com média de 2,75 gols por partida na temporada passada, o Campeonato Alemão ficou à frente de Itália (2,69), Espanha (2,66), Inglaterra (2,57), Portugal e França (2,49) como torneio mais goleador. A última edição teve placares como Bayer Leverkusen 4 x 5 Wolfsburg, Eintracht Frankfurt 4 x 4 Hertha Berlin ou Hoffenheim 4 x 3 Hannover. Jogos que poderiam ser pouco atrativos pelas ausências de Bayern de Munique ou Borussia Dortmund, mas que a organização vê como ótimos chamarizes para promover o torneio.

A primeira rodada da temporada 2015/16 confirmou essa expectativa. Os 5 a 0 do Bayern de Munique sobre o Hamburgo foi seguido por vários outros jogos cheio de gols, como Borussia Dortmund 4 x 0 Borussia Mönchengladbach, Darmstadt 2 x 2 Hannover e Stuttgart 1 x 3 Colônia. A média ficou em 3,11 gols por partida. Após duas rodadas, a Premier League está com 2,7 e a Ligue 1 passa vergonha com 1,65.

[post_duplo]

Para levar todos esses gols às casas de torcedores, a liga fechou com a Fox uma parceria global, em que o campeonato será prioridade para os canais de Rupert Murdoch. Nos Estados Unidos, a primeira rodada foi vista não apenas no canal de esportes da emissora, mas também naqueles destinados ao entretenimento. A Fox ainda irá avaliar a possibilidade de repetir a dose com outras partidas.

O Youtube também teve transmissões em uma estratégia para seduzir jovens que estão conectados a todo momento. A mesma linha de raciocínio que motivou a Bundesliga a criar uma série de vídeos voltados ao público norte-americano, mostrando um grupo de publicitários se atrapalhando ao tentar criar uma campanha para vender o futebol alemão aos Estados Unidos.

Essa aliança entre a liga e a Fox vale para outros países, da Ásia à Espanha, da Inglaterra ao Brasil. Poderia ser a deixa para realizar jogos em horários exóticos para atender aos fusos das diferentes regiões do planeta. No entanto, a Bundesliga seguirá privilegiando seu torcedor local. Com média de público de 42.685 na última temporada, o Campeonato Alemão teve a melhor presença de torcedores e melhor ocupação de estádio de toda a Europa. “Não vamos fazer algo só porque a Inglaterra ou outro país faz. O que é interessante para eles, talvez nem sempre sirva para nós. Temos os estádios cheios, vão crianças e famílias. Se mudamos os horários e perdemos essas pessoas, estamos abrindo mão de gente que conquistamos com um trabalho muito árduo”, avalia Christian Seifert, CEO da Bundesliga.

O plano está pronto. A Bundesliga é um sucesso diante de seu público. Agora é momento de tentar conquistar o mundo. A briga com ingleses e espanhóis será dura, mas é inegável que os alemães têm seus trunfos. E fazem questão de mostrar isso para todos.

CURTA A PÁGINA DA TRIVELA NO FACEBOOK

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo