Bundesliga

Bayern supera carrasco Mönchengladbach já pensando no clássico contra o Leverkusen

Com a vitória, Bayern de Munique se manteve dois pontos atrás do líder Bayer Leverkusen

O Borussia Mönchengladbach é conhecido por ser um carrasco do Bayern de Munique, com direito a goleada por 5 a 0 nos últimos anos. Mas neste sábado (3), os Bávaros não deram chance aos rivais: 3 a 1, com direito a outro gol de Harry Kane, o 24ª nas 20 rodadas da Bundesliga.

O líder Bayer Leverkusen também venceu na rodada (2 a 0 contra o Darmstadt) e se mantém com dois pontos na frente do clube de Munique, o segundo colocado. Na próxima rodada, os líderes se enfrentam na BayArena.

O Gladbach segue em temporada frágil no Campeonato Alemão. É apenas o 13º entre 18 times, mas ainda tem uma vantagem confortável de nove pontos para o 16º, posição que leva para o playoff contra o rebaixamento.

Bayern domina, mas precisa buscar empate após vacilo defensivo

No característico 4-2-3-1, Thomas Tuchel, sem um ponta esquerda tão confiável após a lesão de Kingsley Coman, utilizou o meia Jamal Musiala daquele lado, com Leroy Sané exercendo a função na direita. Na função de 10 entrou Thomas Muller, atrás do centroavante Harry Kane. A equipe ainda tinha outros desfalques de titulares, como os zagueiros Min-jae Kim e Dayot Upamecano e o meio-campista Joshua Kimmich, ausências que deram titularidade para Eric Dier, Matthijs de Ligt e Aleksandar Pavlović, respectivamente.

O visitante, após utilizar três zagueiros na última rodada, apostou em um 4-1-4-1 extremamente compacto, para frear o ataque do Bayern como fez no empate em 0 a 0 com o Bayer Leverkusen no último final de semana. No entanto, a defesa não foi tão bem assim nos minutos iniciais, permitindo duas boas grandes chances, ambas com Sané. Na primeira, o ponta chutou na marca do pênalti e mandou no travessão. Pouco depois, ficou na cara de Moritz Nicolas e deu uma cavadinha que passou muito perto, mas foi para fora.

Após essas chances antes dos 10 minutos, os Bávaros seguiam melhores, absolutos com o controle do jogo, mas pouco efetivos. Só foram assustar de verdade Nicolas com mais de meia hora. Kane cobrou uma falta no canto do goleiro, que precisou de esticar todo para defender.

O Borussia, raramente indo ao ataque, começou a emplacar ataques após a tentativa do atacante adversário. Um contra-ataque chegou na direita em Franck Honorat, que cruzou, a bola foi pegando altura e quase surpreendeu Manuel Neuer na segunda trave – o alemão teve que afastar para área. Na cobra, Dier tirou uma tentativa de dentro do campo. Da mesma forma do lance anterior, agora a pelota alçada na área por Honorat teve caminho, mas Nathan N'Goumou cabeceou para fora. Nesse momento, o jogo estava com muita cara de Bundesliga: intenso, de muitos contra-ataques. Neste cenário favorável, o Gladbach abriu o placar. Sufocando o adversário no campo de ataque, Neuer teve que forçar um passe no meio e errou feio. O zagueiro Nico Elvedi antecipou, tabelou com Jordan Siebatcheu e, já dentro da área, bateu rasteiro para balançar as redes.

Bayern
Elemento surpresa: zagueiro Elvedi invadiu a área para abrir o placar (Foto: Icon Sport)

A equipe de Munique não se abalou com o gol. Teve paciência em trocar passes até encontrar espaço – e achou! Aos 44 minutos, após uma longa posse, Sané partiu da direita para dentro limpando a marcação e acionou Muller. O meia viu a ultrapassagem de Pavlović e tocou para ele, que bateu cruzado e igualou o placar.

Bávaros conseguem o segundo em falha do goleiro e liquidam rival

O Bayern voltou mais dominante para o segundo tempo em comparação ao visto no fim da etapa inicial. Mas ainda faltava algo mais para furar o bloqueio do Mönchengladbach, no máximo exigindo que Nicolas encaixasse a bola.

Com dificuldade para infiltrar na defesa adversária, Tuchel promoveu a estreia do lateral-direito Sacha Boey, que entrou no lugar de Noussair Mazraoui. O jovem, como estava fazendo o egípcio, entrou atuando mais por dentro, visto que Muller estava ocupando a direita – variação tática feita para etapa final, e Sané jogava por dentro. Ao mesmo tempo, o time de fora também mudou, logo três de uma vez, todos do lado esquerdo (uma resposta ao bom jogo que o Bayern fazia daquele lado).

Não foram nem as alterações que fizeram a diferença para os Bávaros abrir o placar, e sim Nicolas. Leon Goretzka cruzou de canhota e o goleiro saiu todo desajeitado, levemente atrapalhado por Muller, e deu um soco que permitiu Kane apenas escorar para o gol vazio.

Logo depois do gol, o jovem Matys Tel entrou pela ponta esquerda, substituindo Muller. Os donos da Allianz Arena apostaram em uma postura mais defensiva após o segundo gol – e conseguiram o terceiro. Em falta cobrado por Sané, Dier apareceu no meio da área para dar uma testada forte, que ainda foi desviada por Nicolas, explodiu no travessão e entrou. O relógio já marcava 40, seguiu com mais quatro de acréscimos e Bayern venceu mais uma.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo