Bundesliga

Bayern goleia como sempre e amassa o Bochum para retomar a liderança da Bundesliga

Mané comandou a festa marcando dois gols e já parece adaptado ao novo time

Depois de dez títulos seguidos e inúmeras goleadas, não é de forma alguma surpreendente relatar que o Bayern ganhou do Bochum por 7 a 0, neste domingo (21), pela Bundesliga. Que dirá se detalharmos que antes mesmo do intervalo, o placar já estava com quatro gols de vantagem para os bávaros.

Entre tantos fatos que não causam nenhuma surpresa, está a rápida adaptação de Sadio Mané, que mesmo em uma goleada como essa, se destacou bastante. O senegalês marcou dois gols e ainda teve outro anulado. Além dele, se destacou mais uma vez o ponta Kingsley Coman, que foi o regente das ações ofensivas do time até o fim.

O ritmo bávaro foi alucinante e sem dar chances para os mandantes no Vonovia Ruhrstadion. Com quatro minutos, Coman ligou a jogada com Leroy Sané, que abriu o placar. O Bochum não sabia reagir, e ainda que soubesse, provavelmente não poderia fazer muita coisa. A imposição técnica do Bayern seria gritante, mesmo com o elenco reserva. Em uma tarde na qual Julian Nagelsmann escala força máxima, só um desastre tira a vitória dos decacampeões nacionais. E assim foi: Matthijs De Ligt ampliou aos 25 e abriu a porteira para mais gols de Coman e Mané, que teria feito uma dobradinha em dois minutos se não fosse a intervenção do VAR por impedimento no lance.

Na volta do intervalo, enganou-se quem pensou que os bávaros iriam tirar o pé do acelerador. Demorou, mas os gols voltaram a acontecer. Mané fez o quinto e o Bayern ficou satisfeito. Tanto que Nagelsmann sacou quatro jogadores de uma vez só: saíram Benjamin Pavard, Lucas Hernández, Marcel Sabitzer e Thomas Müller. Entraram Noussair Mazraoui, Josip Stanisic, Ryan Gravenberch e Serge Gnabry, que poderiam fazer a mesma tarefa com semelhante qualidade.

Fato é que já estava tudo sob controle e se quisesse, a equipe visitante poderia ampliar ainda mais o marcador. A ajudinha veio de Cristian Gamboa, que marcou contra, para anotar o sexto gol. Para finalmente fechar a conta, e ainda com bastante tempo de sobra, Gnabry passou a régua. Ao todo, foram 22 chutes do Bayern, sendo 12 no gol, o que certamente representou um desafio grande demais para Manuel Riemann, que fez seis defesas, mas  trabalhou bem mais tirando a bola do fundo da rede. Do outro lado, Manuel Neuer também apareceu com frequência, à sua maneira. O capitão fez sete defesas e frustrou os mandantes, que procuravam ao menos um golzinho de honra.

O Bayern faz o que se espera dele e acumula saldo goleando quem quer que venha na sua frente. Mais do que isso: altera a tabela para ajudar o Leverkusen, que saiu da lanterna por conta do número de gols sofridos pelo Bochum. Se isso não é ser cordial com os outros grandes alemães, difícil pensar em outra forma de estender a mão a um velho conhecido em má fase. No entanto, o placar não pode encher a barriga de Nagelsmann e da torcida por muito tempo: conciliar a campanha nacional com mais uma disputa da Liga dos Campeões irá exigir alto rendimento do time. Na temporada passada, as oscilações foram bem relevantes. A tendência é que isso se diminua com a maturidade do trabalho de Nagelsmann no clube.

Standings provided by
Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo