Bundesliga

As emoções de Dortmund 4×4 Schalke ficam ainda maiores filmadas das arquibancadas

Não importa o que aconteça: a temporada já possui um de seus jogos mais memoráveis. Talvez existam partidas melhores, mas certamente o que se viveu no Signal Iduna Park durante o último sábado será lembrado por muitas décadas. E exaltará o deleite do Schalke 04, que buscou uma diferença de quatro gols para transformar um possível vexame histórico em reação heroica – enquanto, do outro lado, prevalece uma sensação de fracasso incomparável ao Borussia Dortmund. A epopeia se conta através do ocorrido dentro de campo, mas se engrandece ainda mais por aquilo que se sentiu nas arquibancadas abarrotadas.

Afinal, o Signal Iduna Park experimentou diversas reações ao longo do Revierderby. O clima era de completa festa, como se viu na recepção aos times, com a Muralha Amarela colorida por bandeiras e pirotecnia. No entanto, o passar dos minutos fez a euforia mudar de lado. E a explosão do setor visitante com o gol de Naldo, que decretou o empate por 4 a 4, é indescritível. Ao final, ficou a bronca dos torcedores aurinegros, revoltadíssimos durante a saudação de seus jogadores, enquanto os azuis reais transbordavam diante da vibração de seus guerreiros. Cenas que certamente ficarão na cabeça de milhares, a serem contadas e recontadas tantas vezes.

A recepção aos times

O gol de Naldo, visto pela torcida do Schalke

O gol de Naldo, visto de um setor misto

A comemoração da torcida do Schalke

Outro ângulo da comemoração da torcida do Schalke

A revolta da torcida do Dortmund

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo