Bundesliga

As caras novas do Bayern garantiram o de sempre na estreia da Bundesliga: a vitória

Os temores de uma temporada difícil ao Bayern de Munique não se cumpriram, ao menos neste primeiro momento. Os bávaros estrearam na Bundesliga como de costume, vencendo. Não foram os inúmeros desfalques ou a pré-temporada decepcionante que impediram a comemoração do time de Carlo Ancelotti na Allianz Arena, na abertura da nova edição do Campeonato Alemão. Sob uma chuva torrencial, os anfitriões derrotaram o Bayer Leverkusen por 3 a 1, em jogo decidido ainda no primeiro tempo. A primeira vitória em busca do hexacampeonato nacional.

Dá para dizer que o “novo Bayern” teve papel preponderante neste triunfo. Afinal, as boas atuações dos três reforços que estiveram em campo encaminharam o resultado durante a etapa inicial. Os bávaros abriram o placar aos nove minutos. Uma jogada com a assinatura do Hoffenheim: Sebastian Rudy cobrou falta em direção à área e acertou a cabeça de Niklas Süle, que completou para as redes. E o cenário ficou ainda mais tranquilo aos anfitriões aos 18 minutos, após cobrança de escanteio. Bernd Leno afastou mal a bola e Arturo Vidal ficou com a sobra. O chileno passou para Corentin Tolisso escorar na pequena área. O francês, aliás, fazia excelente partida no meio-campo, dominando o setor. Do outro lado, o Leverkusen até criava suas chances e poderia ter descontado – ou mesmo empatado, quando a vantagem do time da casa era mínima. Sven Ulreich salvou com boas defesas.

Após um intervalo mais longo que o normal por causa da forte chuva, com a arbitragem aguardando condições melhores à partida, o Leverkusen voltou para o segundo tempo buscando mais o jogo. Entretanto, suas esperanças caíram por terra aos oito minutos. Robert Lewandowski anotou o terceiro gol do Bayern, cobrando pênalti. O lance, aliás, precisou do auxílio do árbitro de vídeo para a confirmação da infração. Ao contrário do que se viu em outras experiências do VAR, especialmente nas competições da Fifa, o sistema funcionou de maneira rápida na Alemanha – assim como já tinha ocorrido na Supercopa. Talvez o melhor exemplo de aplicação nesta nova era, o que também pode não eximi-los de possíveis imbróglios.

Com a vantagem estabelecida, o Bayern pôde tirar mais o pé e aproveitou o tempo para realizar as suas substituições. Já o Leverkusen anotou o gol de honra, justamente o mais bonito da noite, em belíssima jogada coletiva. Chamando a responsabilidade, Julian Brandt passou para Admir Mehmedi soltar a bomba, indefensável para Ulreich. De qualquer maneira, a defesa bávara conseguiu conter a tentativa de reação dos visitantes. Puderam confirmar a importante vitória neste momento de desconfiança.

Em má fase ou não, o Bayern sempre será favorito na Bundesliga. Ainda possui um elenco superior a todos os outros, não apenas por sua qualidade técnica ou pelas opções nos vários setores, mas principalmente pela tarimba. Os bávaros sabem como ser campeões, isso não pesa aos seus ombros. O Leverkusen, que não encontra um rumo desde a temporada passada, sentiu na pele.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo