Bundesliga

Apagão que custou caro: Eintracht desmancha vantagem do Leverkusen e goleia em Frankfurt

Mesmo perdendo por dois gols, os Águias não desistiram e conseguiram um resultado gigantesco

Não por acaso, o Bayer Leverkusen possui uma fama de time que falha nas horas cruciais. Neste domingo, quando podia se manter firme na luta pelas primeiras posições, os Aspirinas sofreram uma goleada inacreditável contra o Eintracht Frankfurt, por 5 a 2, de virada. Ainda que o placar não tenha causado grande estrago na classificação, o momento é de atenção para a equipe de Gerardo Seoane.

Antes da rodada, com o empate do Dortmund contra o Bochum, a missão do Leverkusen era simples: vencer o Eintracht para continuar vivo na briga. E pelo que vinha fazendo nas últimas rodadas, com três vitórias, o Bayer merecia o favoritismo. A goleada de 7 a 1 contra o Greuther Furth, de semana passada, no entanto, acabou gerando um efeito de relaxamento no grupo.

Cedo demais para cochilar

No frigir dos ovos, tudo parecia bem para o Leverkusen até os 22 minutos. Afinal, Patrik Schick havia marcado duas vezes e patrocinava uma vitória parcial tranquila para os visitantes. Primeiro em um passe de Robert Andrich, e depois em uma penalidade marcada por mão na bola de Djibril Sow. Schick, que tem entregado boas atuações, tinha motivos para acreditar que a tarde em Frankfurt ainda renderia muitos outros frutos.

O problema é que o pessoal do Bayer tirou o pé cedo demais. Irritado pela desvantagem e pela circunstância, o Eintracht respondeu, e nem mesmo o mais otimista dos atletas, que dirá da torcida, esperava o que viria adiante. Logo após o segundo gol de Schick, aos 23 minutos, Tuta aproveitou um rebote de um escanteio e mandou de primeira uma bela finalização para diminuir.

Sow, que ainda estava remoendo a falha no pênalti do segundo gol de Schick, acordou. Achou um passe por entre a defesa do Leverkusen para acionar Jesper Lindstrom. O meia disparou e chutou no canto de Lukas Hradecky, bola indefensável. Tudo igual, com uma hora restante de jogo. A torcida no Commerzbank Arena se inflamou.

Adicionando insulto à agressão

Na volta do intervalo, em mais uma sobra de bola parada, o defensor Evan N’Dicka acertou o ângulo da meta adversária para reverter o placar. Pronto, o impossível já não parecia tão distante assim. E a empolgação empurrou o Eintracht para mais 15 minutos de insanidade. Havia tempo de sobra para mais gols: Kristijan Jakic estava bem posicionado para recuperar a posse de bola afastada pela defesa. Apesar de ter bastante espaço para pensar na conclusão, Jakic esbanjou técnica para emendar uma bomba e ampliar. Aos 25, Daichi Kamada chegou a marcar, mas a arbitragem anulou por impedimento. O vexame dos Aspirinas já estava desenhado.

Faltava só o dele, Sow. Aos 30 da etapa final, e com um belíssimo toque final, Sow acertou a gaveta do gol de Hradecky para fechar a conta. Um incrível 5 a 2 para quem tinha começado tão mal a partida. Para o Eintracht, a goleada não serve só para dar um novo ânimo para a próxima rodada, mas sim para tirar a equipe do pelotão inferior da tabela. Agora, os Águias estão em nono, bem perto do Union Berlin, que ocupa a última vaga europeia.

Ao Leverkusen, resta recolher os cacos de um dia desastroso, mas que não representa terra arrasada para o resto do ano: em terceiro lugar, o time de Gerardo Seoane pode tomar este confronto de hoje como parâmetro do que não fazer em sua campanha em busca do prestígio perdido nos últimos anos.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo