Bundesliga

Alario precisou de apenas 23 minutos para anotar o seu primeiro gol pelo Leverkusen

A transferência de Lucas Alario ao Bayer Leverkusen foi repleta de complicações. O atacante aceitou a proposta dos alemães contra a vontade do River Plate, que esperava mantê-lo para a reta final da Copa Libertadores. No entanto, bastou aos compradores bancarem a cláusula de rescisão, estipulada em €24 milhões, para o jovem de 24 anos desembarcar na BayArena. Os Millonarios ainda tentaram melar o negócio através da Fifa, alegando irregularidades, mas depois de três semanas o reforço ganhou carta branca para jogar.  E a estreia de Alario neste domingo, já como titular, foi a melhor possível. Já anotou o seu gol, na vitória por 3 a 0 sobre o Hamburgo.

Após a venda de Chicharito Hernández para o West Ham, Alario acabou escolhido como novo homem de referência no ataque do Leverkusen. E a parceria com Kevin Volland rendeu frutos na primeira partida juntos. Volland abriu o placar, após assistência de Leon Bailey, e o jamaicano também serviu Alario para o segundo gol, em lance de oportunismo do camisa 13. Com apenas 23 minutos pelo novo clube, já balançava as redes. Por fim, no segundo tempo o argentino ainda daria uma assistência para o companheiro alemão, fechando a conta na BayArena.

O Leverkusen segue com problemas para embalar na Bundesliga, especialmente por sua fragilidade defensiva, mas vai se recuperando na tabela. Termina a sexta rodada na décima colocação, com sete pontos, se distanciando da zona de rebaixamento. O elenco comandado por Heiko Herrlich possui qualidade, especialmente pelas jovens opções, e fez apostas interessantes no mercado, Alario entre elas. O centroavante possui enorme potencial e marcou seu nome no River Plate, decisivo na conquista da Libertadores de 2015. Agora, poderá se provar em uma das principais ligas europeias. Começou com o pé direito.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo