África

Zamalek ajudará a pagar tratamento de adversário que fraturou a coluna neste lance

O Zamalek recebeu o Léopards de Dolisié em jogo pela fase de grupos da Copa das Confederações Africanas, uma espécie de Copa Sul-Americana do continente, e a vitória por 2 a 0, que poderia ser a grande história da partida, acabou ofuscada pelo lance chocante envolvendo o goleiro do time egípcio e Rodi N’daye, atacante do Léopards de Dolisié, da República do Congo. Após ser interceptado pelo arqueiro do Zamalek, N’daye caiu de cabeça no gramado, fraturando a espinha e sendo levado imediatamente ao hospital. Agora, estabilizado, mas ainda sem previsão de alta, o congolês poderá contar com a ajuda do clube egípcio para pagar o tratamento.

VEJA TAMBÉM: Salah Hasarma, o primeiro palestino a comandar um time judeu israelense na história

Infelizmente para Rodi N’daye, o médico que acompanha sua situação, Salah Abdelkhaleq, reconhece a possibilidade de o atacante nunca mais voltar a jogar. “Ele teve um dano sério em sua medula espinhal, entre a quinta e a sexta vértebra, dificuldades de respiração e hemorragia cerebral, mas a cirurgia foi um sucesso. A última informação que temos é de que sua respiração está agora estável depois do período de instabilidade na segunda-feira. Os músculos do peito foram afetados pela contusão da medula espinhal. Sua pressão sanguínea se estabilizou, e o jogador está consciente e reconhece as pessoas a seu redor. Como o principal problema é a lesão na medula espinhal, só poderemos julgar seu caso depois que ele tiver alguns dias de descanso e um acompanhamento médico”, explicou Abdelkhaleq.

O vídeo abaixo é forte e mostra exatamente o momento em que Rodi N’daye sofre a contusão. O próprio goleiro do Zamalek, ciente da seriedade da queda, se apressa para socorrer o adversário, tentando tranquilizá-lo, e logo a ambulância entra em ação para levá-lo ao hospital. Agora, sem prazo determinado para voltar para casa, N’daye está sob os cuidados dos médicos e, com o apoio do clube egípcio, o Léopards de Dolisié não precisa se preocupar tanto com a conta do hospital, apenas com a recuperação de seu atleta.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo