África

Tá chegando a hora

O mata-mata decisivo das eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2013 teve seus confrontos sorteados na última quinta-feira. As 30 seleções que seguem na busca pela classificação foram divididas em dois potes, baseados no desempenho de cada uma nas últimas três edições da CAN. Com apenas duas rodadas a definirem as 15 seleções que se juntarão à anfitriã África do Sul na fase final, já é possível fazer uma observação: tal como neste ano, algumas potências do continente terão que se contentar em assistir o torneio de 2013 pela televisão.

Uma delas é o Egito, eliminado pela República Centro-Africana já na primeira fase das eliminatórias. Outra, já se sabe, sairá do confronto mais esperado da última fase: o sorteio colocou frente a frente nada menos que Costa do Marfim e Senegal.

Sim, afinal, a péssima campanha dos senegaleses na CAN 2012 não passaria impune. A eliminação vexatória logo na fase de grupos custou a perda de pontos importantes no ranking da CAF, forçando os Leões da Teranga a caírem no pote 2, junto a seleções de menor expressão. Pesa a favor de Senegal o fato da equipe crescer em duelos contra adversários do mesmo patamar. No entanto, a efetivação de Joseph Koto como treinador deixa algumas incógnitas quanto ao rendimento do time. O desempenho nas Olimpíadas certamente terá um papel importante na autoestima da seleção.

Os marfinenses também não estão nada aliviados, pois além de enfrentarem a seleção mais forte do outro pote, disputarão a partida de volta fora de casa. Pressão enorme nas costas do novo técnico Sabri Lamouchi, que assumiu o cargo no fim de maio. A atual campeã, Zâmbia (vencendo a própria Costa do Marfim na final), encara Uganda. Além da homogeneidade da seleção zambiana, chama a atenção o fato da maioria dos jogadores do plantel estarem em alta em seus clubes, casos de Mweene, Lungu, Sinkala, Kalaba e Katongo. Só uma catástrofe impedirá a classificação dos Chipolopolo.

Uma seleção grande que terá dificuldades é Camarões, que enfrenta Cabo Verde. Mesmo com o retorno iminente de Samuel Eto’o, os Leões Indomáveis não podem subestimar uma equipe jovem e ascendente, com bons valores individuais como Djaniny e o talentoso Ryan Mendes, um dos destaques da última Ligue 2 francesa pelo Le Havre. Gana não deverá ter maiores problemas contra Malauí, ainda que Muntari perca os dois jogos por lesão. O mesmo vale para a Nigéria, que tem tudo para passar pela Libéria, mas está devendo bons resultados.

No clássico do Norte da África, a Líbia, que agora está entre as 40 melhores seleções do ranking da Fifa, quer superar a Argélia e continuar fazendo história. Outra rivalidade estará presente em Sudão e Etiópia, duas seleções do leste africano. Os etíopes vivem um momento espetacular, liderando um grupo com a África do Sul pelas eliminatórias para a Copa de 2014. Angola, que está em baixa no continente, vai sofrer contra o Zimbábue, do bom atacante Musona. Já a Tunísia deve superar Serra Leoa. Curiosamente, ambas as seleções também são adversárias nas eliminatórias para a Copa.

O Marrocos, que só ficou no pote 1 do sorteio por conta da eliminação do Egito, vai enfrentar Moçambique. Mali, terceira colocada na última CAN, enfrenta uma Botsuana que não está em bom momento, apesar da confirmação do retorno de cinco jogadores que haviam se aposentado da seleção. Guiné tem amplo favoritismo contra Níger, assim como Gabão, que disputará os Jogos Olímpicos, contra Togo, sem Adebayor.

A República Centro-Africana, que subiu 20 posições no último ranking da Fifa (71º lugar), enfrenta a desmantelada Burkina Faso, sem rumo após o vexame na CAN 2012. Os centro-africanos, mesmo dispondo de pouquíssimos recursos (sequer contam com um fornecedor de material esportivo), nunca estiveram tão próximos de disputar uma CAN. Além da RCA, Cabo Verde é outra seleção que busca uma classificação inédita – tivemos três estreantes na última edição. A outra surpresa pode ser protagonizada pela boa equipe da República Democrática do Congo, do folclórico Kidiaba e da temida dupla de ataque formada por Mbokani e Mputu. A adversária será Guiné-Equatorial, uma das sedes da última CAN.

The Champions…

Começou neste fim de semana a fase de grupos da Liga dos Campeões Africana, torneio que dá uma vaga ao Mundial de Clubes no fim do ano. A maior zebra da rodada foi a vitória do Berekum Chelsea, estreante na competição, sobre o Zamalek por 3 a 2. A vida dos ganeses não será fácil. A equipe está em uma chave com três adversários que somam nada menos que 15 títulos continentais: Al Ahly (6), o próprio Zamalek (5) e o Mazembe (4).

Com uma equipe jovem e que já superou grandes forças do continente nas fases preliminares (Raja Casablanca, do Marrocos, e Coton Sport, do Camarões), o Berekum Chelsea contou com a inspiração do artilheiro Emmanuel Clottey, que marcou os três gols da equipe e se isolou na artilharia com nove gols, para vencer em casa. O Zamalek, apesar da tradição, não vive um momento fácil. Shikabala brigou com o técnico, Omotoyossi não joga enquanto não receber salários atrasados e Mido se transferiu para o futebol inglês. O único alento foi a estreia do atacante Abdoulaye Cissé, vindo do Al-Masry, autor dos dois gols do time.

Também pelo Grupo A, no jogo mais aguardado da rodada, o Al Ahly derrotou o Mazembe por 2 a 1. A partida foi disputada no Cairo com portões fechados, a contragosto do Mazembe, que solicitou a realização do jogo em outro país. Moteab colocou o Ahly na frente, e mesmo com um jogador a menos, o Mazembe empatou com o promissor tanzaniano Samata. No entanto, nos acréscimos, Mohamed Nagy garantiu o dramático triunfo dos egípcios. Bom começo para o novo técnico Hossam El-Badry, que substitui o lendário Manuel José no cargo.

O futebol tunisiano foi o grande ‘vitorioso’ da rodada. Etoile du Sahel e Espérance venceram seus jogos e se isolaram na liderança do Grupo B da LC. O primeiro, agora comandado por Mondher Kebaier (terceiro treinador da equipe ao longo da campanha), venceu o ASO Chlef, da Argélia, por 1 a 0, gol de Aymen Belaid. Já o segundo, atual campeão continental, bateu o Sunshine Stars, da Nigéria, por 2 a 0. Msakni e N’Djeng, este último com um golaço, garantiram o triunfo. Curiosamente, ambos já estão negociados (Msakni com o futebol do Qatar e N’Djeng com o Sion, da Suíça) e saem no fim do ano.

Curtas

– Na primeira final 100% africana da história da Copa Árabe de Nações, o Marrocos derrotou a Líbia nos pênaltis e ficou com o título. El Bahri marcou para os marroquinos, porém Al Badri, aos 44 do segundo tempo, igualou o placar.

– Na marca da cal, 3 a 1 para o Marrocos. O goleiro El Quinani foi o heroi da disputa, enquanto Benlamalem converteu o pênalti decisivo. O também marroquino Salhi, artilheiro do torneio com seis gols, foi eleito o craque do campeonato.

– Uma das maiores promessas do futebol africano, o meia-atacante Youssef Msakni, do Espérance, foi negociado com o Lekhwiya, do Qatar, por 11,5 milhões de euros. Todavia, o jovem permanece no clube tunisiano até o fim do ano, podendo disputar a Liga dos Campeões Africana.

– De acordo com Nabil Maaloul, recentemente recontratado como técnico do Espérance, a transferência de Msakni é uma “ponte” para o jogador ser negociado no futuro com o Paris Saint-Germain. Vale lembrar que Lekhwiya e PSG contam com investimentos da Qatar Investment Authority.

– O Gabão confirmou sua lista de 18 jogadores convocados para as Olimpíadas. O grande destaque é Pierre-Emerick Aubameyang, craque da seleção principal e com idade olímpica. Apenas dois jogadores que ultrapassam a idade limite foram chamados: o goleiro Ovono e o zagueiro Ecuele Manga.

– O grande desfalque da convocatória é o meia Andre Biyogo Poko, do Bordeaux, que sofreu uma lesão e foi vetado. Os gaboneses são os atuais campeões do Campeonato Africano Sub-23 e merecem atenção.

– Senegal também está definido para os Jogos. A má notícia é que Papiss Cissé e Demba Ba estão fora da lista, provavelmente vetados pelo Newcastle. Os três acima de 23 anos que foram chamados são o zagueiro Papa Gueye, do Metalist, o meia Mohamed Diamé, recém-transferido para o West Ham, e o ótimo atacante Dame N’Doye.

– A novidade é o atacante Magaye Gueye, do Everton, que já jogou pela base da seleção francesa anteriormente. No entanto, a Federação Senegalesa garante que o jovem de 21 anos foi liberado pela Fifa.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo