África

São Tomé e Príncipe: para o alto e avante

Você já ouviu falar no arquipélago de São Tomé e Príncipe? Bem, fora o fato de ser o segundo menor país da África, apenas à frente de Seychelles, e conhecido como “Ilhas do Chocolate” (o cacau é a base da economia local e responde por 90% das exportações), além de recentemente garantir a tecnologia 3G (uma minoria da população tem acesso à internet), os são-tomenses atingiram um feito inedito na última semana: protagonizaram a maior ascensão entre 208 países na última atualização do ranking da Fifa. Este, por si só, já é um fato histórico. Mas existem muitos outros elementos que tornam a façanha do país ainda mais inacreditável.

A derrota por 5 a 0 para a República Democrática do Congo no dia 11 de novembro de 2011, em jogo válido pelas eliminatórias da Copa de 2014, pôs fim a um período de oito anos sem qualquer partida oficial disputada pela seleção são-tomense. O último havia sido em 2003, numa derrota por 8 a 0 para a Líbia. Desde então, a Federação alegou falta de recursos e não bancou mais nenhuma aparição continental ou internacional da seleção. Ainda que nesse ínterim tenha sido disputado um amistoso não-oficial contra Taiwan, em 2006 (São Tomé e Príncipe é um dos quatro países africanos que mantém relações diplomáticas com Taiwan), oito anos de inatividade certamente comprometeriam a “cultura futebolística” de qualquer país.

A princípio, foi exatamente isso que aconteceu. Os são-tomenses colecionaram mais um revés e pareciam continuar destinados ao ostracismo. Contudo, o panorama começou a mudar já na partida de volta, quando a equipe arrancou um empate heroico em 1 a 1 jogando em Pointe-Noire. Com a eliminação, o resultado acabou passando despercebido, mas as eliminatórias para a CAN 2013 marcariam de vez a ascensão do país.

Na fase preliminar, que inicialmente seria disputada por quatro seleções (a Suazilândia enfrentaria Seychelles, mas desistiu por problemas financeiros e perdeu por W.O.), São Tomé e Príncipe tinha o Lesoto pelo caminho. Logo de cara, conseguiu um resultado histórico: vitória por 1 a 0, gol de Jair Nunes, de apenas 17 anos e que atua no futebol brasileiro – vale lembrar que a língua oficial de São Tomé e Príncipe também é o português. Desde 2000, quando venceu a Serra Leoa por 2 a 0 nas eliminatórias para a Copa de 2002, este foi o primeiro triunfo do país – e apenas o quarto em 25 jogos até então disputados pelos são-tomenses em toda a história.

No jogo de volta, os “Falcões e Papagaios” (aves que representam as duas ilhas, São Tomé e Príncipe) seguiram determinados a fazer história e seguraram um empate sem gols. Esta foi a primeira qualificação da história da seleção em competições oficiais, além do primeiro jogo em que não sofreram gols fora de casa. Mas não parou por aí. Já entre seleções como Camarões, Nigéria e Togo, os são-tomenses teriam pela frente Serra Leoa (mais de 90 posições acima no ranking da Fifa) pela primeira fase das eliminatórias.

Além da disparidade técnica (Serra Leoa conta com dez jogadores profissionais no time titular, contra nenhum dos rivais), os são-tomenses tinham outros motivos para preocupação: os jogadores boicotaram o período de preparação para o grande duelo. Motivo? A Federação local, curiosamente criada um dia antes da independência de São Tomé e Príncipe (11 de julho de 1975), se recusou a pagar um subsídio para as famílias dos jogadores. “Na concentração fico com a barriga cheia. E minha família em casa, como fica? Estamos aqui a Deus dará”, declarou ‘Avô’, zagueiro e capitão do selecionado. Vale lembrar que a Federação recebe 250 mil dólares anuais da Fifa, e os jogadores uma ajuda de custo de aproximadamente 500 euros.

Os problemas foram solucionados, e para alegria geral, São Tomé e Príncipe foi pro jogo. O Estádio 12 de Julho recebeu bom público e até Manuel da Costa, presidente do país, compareceu ao evento. Fez questão de cumprimentar todos os jogadores e apontou especialmente para Jair Nunes, como quem quisesse destacar que aquele seria o homem do jogo. E foi. Serra Leoa abriu o placar, porém Nunes, cobrando pênalti, deixou tudo igual. Faltando seis minutos para o fim, Lasset Costa garantiu uma vitória memorável por 2 a 1. Resultado justo para quem finalizou 15 vezes a gol, contra apenas cinco do adversário.

Já são quatro jogos de invencibilidade (duas vitórias e dois empates), um recorde sem precedentes na história dos Falcões e Papagaios. A renovação também valeu 53 posições a mais no ranking da Fifa, agora ocupando o 115º lugar, à frente de seleções como Nova Zelândia, que disputou a última Copa, Azerbaijão e RD Congo. Para quem ficou quatro anos fora do ranking, um feito incrível. O trabalho do treinador camaronês Gustavo Clemente, que dirige jogadores em sua maioria adolescentes e não dispõe de infraestrutura e logística ideais, também merece ser louvado. Independente do que aconteça em Freetown, capital de Serra Leoa, uma coisa é certa: ao menos no futebol, São Tomé e Príncipe definitivamente saiu do anonimato.

Curtas

– Ainda sobre São Tomé e Príncipe: Luís Leal, meia-atacante do União Leiria e o grande ‘craque’ são-tomense na atualidade, tentará sua liberação para defender a seleção local. Seria um reforço e tanto. Espera-se ainda que os jogos da equipe sejam televisionados, mas este é um sonho que parece ainda mais distante.

– É oficial: a Federação Egípcia de Futebol cancelou a temporada 2011-12 da Premier League. De acordo com Azmy Megahed, porta-voz da EFA, não haverá tempo hábil para que as partidas sejam realizadas antes que a seleção egípcia inicie seus preparativos para as eliminatórias da CAN 2013 e os Jogos Olímpicos.

– Para que os dezoito clubes da elite não fiquem inativos, um torneio amistoso denominado Martyrs Cup será disputado entre 29 de março e 18 de maio, que também servirá como forma de arrecadar dinheiro para as famílias das vítimas de Port Said.

– Resta saber para quais equipes serão destinadas as vagas para as competições continentais da próxima temporada. O Haras El Hedood, que liderava o Campeonato Egípcio, já pleiteou uma vaga na próxima Liga dos Campeões da África.

– Após defender as seleções sub-16, sub-17, sub-18, sub-19 e sub-21 da França, David N’Gog, atacante do Bolton, cansou de esperar um chamado para o time principal dos Bleus e optou por defender a seleção de Camarões.

– N’Gog é sondado pela Federação Camaronesa desde a Copa de 2010, quando Paul Le Guen ainda era o treinador. Em reunião com Denis Lavagne, atual técnico dos Leões Indomáveis, e Alex Song, do Arsenal, o atacante decidiu aceitar o convite e aguarda o passaporte camaronês para ser convocado.

– Expulso do grupo que esteve na CAN 2012 por motivos disciplinares, o atacante Clifford Mulenga, de Zâmbia, pediu desculpas publicamente e foi perdoado pelo treinador da seleção campeã do torneio, Hervé Renard. Espera-se que Mulenga volte a figurar nas convocações do técnico francês.

– A Associação Ganesa de Futebol foi procurada pela FIFA para fornecer mais documentos que regularizem a naturalização de Emmanuel Frimpong, que pertence ao Arsenal. A intenção dos Estrelas Negras é que o volante esteja livre para defender a seleção até junho, quando começam as eliminatórias para a Copa.

– Lembra do Júlio Santos, zagueiro ex-São Paulo e Vasco? Pois bem, com pouco mais de um mês vestindo a camisa do Mazembe, ele declarou que não há muita diferença entre o futebol jogado no Brasil e na República Democrática do Congo. Se ele tá dizendo…

– No Campeonato Marroquino, o líder FUS Rabat conseguiu um ponto valioso ao empatar fora de casa com o Maghreb Fes em 1 a 1. Em contrapartida, o vice-líder Moghreb Tétouan bateu o El Jadida por 1 a 0 e ficou a dois pontos da liderança (40 a 42). O Raja Casablanca, que venceu o CODM Meknes por 1 a 0, também está no páreo, com 38.

– Na Tunísia, o Espérance embalou de vez na Ligue 1 com a vitória por 3 a 1 sobre o Olympique Béja. N’Djeng (2) e Msakni marcaram os gols que deixaram o “Sangue e Ouro” a quatro pontos do líder Bizertin, que venceu o Monastir por 2 a 0.

– A passagem de Rivaldo pelo futebol angolano começou da pior maneira possível. O seu time, o Kabuscorp, visitou o Progresso pela segunda rodada do Girabola e perdeu mais uma: 1 a 0. Na última sexta-feira, o brasileiro criou polêmica após faltar a um treino e especula-se que ele estaria insatisfeito no clube. O atual campeão, Recreativo do Libolo, bateu o Academica do Soyo por 3 a 0 e se recuperou do tropeço na estreia.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo