África

Quem é rei…

Mohamed Aboutrika é o grande ícone da história recente do futebol egípcio. O veterano de 33 anos ganhou praticamente tudo o que disputou, sempre manteve uma excelente conduta profissional e carrega forte (e rara) identificação com todas as camisas que vestiu ao longo da carreira: a do Tersana, clube que o revelou; a do Al Ahly, pelo qual atua desde 2004 e ganhou sete Campeonatos Egípcios e três Ligas dos Campeões Africana; e, claro, da seleção egípcia, conquistando os dois títulos mais importantes de sua carreira: a Copa Africana de Nações em 2006 e 2008.

Entretanto, Aboutrika também presenciou uma das maiores tragédias do futebol local: o massacre em Port Said, que vitimou 79 pessoas e manchou a imagem do país como um todo. Assim como outros companheiros de equipe, o ídolo viveu a experiência de correr desesperadamente em direção aos vestiários para escapar da morte.

Aboutrika foi muito duro em suas declarações pós-jogo, acusando as forças de segurança de negligência, definindo o episódio como uma “guerra” e, por fim, anunciando sua aposentadoria do futebol. Junto a ele, um pedaço da era mais vitoriosa dos faraós em todos os tempos também se perdia.

Mas pouco tempo depois, Aboutrika voltou atrás e decidiu continuar sua trajetória. A temporada egípcia foi cancelada e seu rendimento daí em diante passou a ser uma grande incógnita. Afinal, o que esperar de um jogador abalado psicologicamente, em condições físicas limitadas e já fora dos planos da seleção egípcia? Contrariando todas as expectativas, Aboutrika voltou para assumir um papel ainda mais importante na equipe. Além de ser destaque nos amistosos, foi o grande heroi da classificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africana.

O Al Ahly disputava uma vaga com o Stade Malien, do Mali, que venceu na ida por 1 a 0. Jogando no Cairo, os malineses surpreenderam ao abrirem o placar, forçando os egípcios a marcarem três gols para ficar com a vaga. Foi aí que o técnico Manuel José, ainda no primeiro tempo, sacou Shawky e promoveu a entrada de Aboutrika. E foi na etapa final que o craque desfilou toda sua classe.

Primeiro com um lindo gol de falta, colocando a bola por cima da barreira. Depois em cobrança de pênalti, para manter os egípcios vivos na briga pela classificação. E por fim, aos 43 do segundo tempo, adivinha quem anotou o gol da classificação? Ele, Aboutrika, o dono da noite com um estupendo hat-trick.

Neste momento delicado do futebol egípcio, Aboutrika não é importante “apenas” pelo nível técnico elevado, mas também por ser um jogador de muita personalidade, um estímulo e referência de conduta para a nova safra. Um atleta capaz de assumir posições políticas em um jogo de futebol, como fez em 2009, num amistoso entre Egito e Sudão, ao mostrar uma camisa com os dizeres “Simpatize com Gaza”, ou de reconhecer o papel humanitário de um jogador de futebol na sociedade, participando em diversas ações sociais.
Desde o início da carreira, Aboutrika sempre mostrou muita maturidade e caráter. Quando ainda era jogador do Tersana e discutia a renovação de seu contrato, assim como um defensor que integrava o elenco, foi-lhe oferecido um salário muito maior do que o seu companheiro de equipe. Aboutrika negou-se a entrar em um acordo até que o seu salário se equiparasse ao do defensor. Mesmo próximo do fim da carreira, Aboutrika mostra que ainda não terminou seu legado no futebol egípcio, dentro e fora dos campos. Melhor para o Al Ahly e quem sabe para a seleção egípcia, já que Bob Bradley acena com a possibilidade de aproveitá-lo.

Curtas

– Já são conhecidas as oito equipes que integrarão a fase de grupos da Liga dos Campeões Africana. São elas: Espérance e Etoile du Sahel (Tunísia), Mazembe (RD Congo), Al Ahly e Zamalek (Egito), Sunshine Stars (Nigéria), ASO Chlef (Argélia) e Berekum Chelsea (Gana).

– Grupo A: Espérance, Etoile du Sahel, Sunshine Stars e ASO Chlef; Grupo B: Mazembe, Al Ahly, Zamalek e Berekum Chelsea. Na primeira chave, os tunisianos despontam como favoritos. O Grupo B caminha para ser o ‘grupo da morte’. Nem mesmo o novato Berekum Chelsea pode ser subestimado.

– Na Copa da Confederação Africana (a Liga Europa do continente), os classificados são: Inter de Luanda (Angola), Cercle Olympique de Bamako (Mali), CODM Meknes e Wydad Casablanca (Marrocos), AC Léopard (Congo), Black Leopards (África do Sul), Al-Ahli Shendi (Sudão) e Club Africain (Tunísia).

– A eliminação mais sentida é a do ENPPI, do Egito, que tomou 3 a 0 do Bamako após fazer 3 a 1 na ida. O Simba, da Tanzânia, que venceu o Al-Ahli Shendi por 3 a 0 na ida, perdeu pelo mesmo placar na volta e caiu por 9 a 8 nos pênaltis. Maghreb de Fes, Al-Hilal, AFAD Djekanou, Al-Merreikh, Djoliba, Power Dynamos, Stade Malien e Coton Sport, eliminados na Liga dos Campeões, também disputarão a Copa da Confederação Africana.

– Em preparação para a Copa das Nações Árabes, a seleção olímpica do Egito goleou a Líbia por 4 a 1, em Trípoli. Sayed, Mekki, Temsah e Khairi marcaram para os comandados de Bob Bradley.

– Após o histórico terceiro lugar da CAN 2012, Alain Giresse não é mais o treinador de Mali. O francês afirmou que a federação tentou influir em suas convocações e mudar sua comissão técnica, e por estes motivos, optou por não renovar seu contrato.

– Reviravolta em Senegal: após ser contratado há poucos dias, Pierre Lechantre declarou que não será mais o treinador da seleção nacional. O francês alega que não recebeu ‘garantias necessárias’ para cumprir a missão de conduzir os Leões da Teranga à Copa de 2014.

– Preocupado com o ‘racha’ dentro da entidade por conta da escolha do novo técnico, Lechantre exigiu a antecipação de seis meses de salários. A FSF rechaçou a ideia e não entrou em um acordo definitivo. Joseph Koto assume o cargo de forma interina.

– Kwesi Appiah, técnico de Gana, esteve em Dubai para conversar com Asamoah Gyan. O assunto em pauta foi o seu retorno à seleção nacional. Dias depois, em entrevista à imprensa, o atacante despistou sobre quando voltará a jogar pelos Estrelas Negras novamente, mas disse que será ‘muito em breve’ e descartou aposentadoria.

– Uma das grandes promessas do futebol egípcio, o goleiro Ahmed El-Shenawy, do Al Masry, confirmou que negocia sua transferência para o Betis. Caso se confirme, uma bela aquisição. Não custa lembrar que ele será titular da meta egípcia nos Jogos Olímpicos.

– Kaytu Smith é o novo treinador da seleção da Libéria. Ele substitui o italiano Roberto Landi, demitido em fevereiro. Sua (ingrata) estreia será no dia 2 de junho, contra Senegal, em Dakar, pelas eliminatórias da Copa de 2014.

– Com um gol de pênalti nos acréscimos, Rivaldo garantiu a vitória do Kabuscorp por 3 a 2 sobre o Sagrada Esperança pelo Girabola. A equipe se mantém em 6º, com 17 pontos. Com um triunfo pelo placar mínimo sobre o Santos, o Recreativo do Libolo segue líder, com 28 pontos.

– O Campeonato Argelino está a duas rodadas do fim e três times seguem na briga pelo título. O líder, ES Sétif (50 pontos), venceu o Saïda por 1 a 0. No confronto adiado entre o segundo e o terceiro colocado, respectivamente, o USM Alger (49) perdeu para o JSM Béjaïa (47) por 3 a 2.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo