África

Os Leões senegaleses estão à solta

Em virtude da ausência de seleções como África do Sul, Camarões, Nigéria e Egito, as opiniões quanto aos favoritos para a conquista da Copa das Nações Africanas de 2012 são praticamente unânimes: Costa do Marfim e Gana. Faltando pouco menos de três meses para o início do torneio, o chaveamento foi definido e, ao contrário do que se pode imaginar à primeira vista, não facilitou o caminho das ditas ‘potências’ na competição.

Os marfinenses, por exemplo, terão pela frente a boa seleção de Burkina Fasso, a sempre respeitada Angola e o Sudão. Os ganeses terão ainda mais dificuldades, encarando Guiné – algoz da Nigéria -, Mali e a surpreendente Botsuana, que venceu cinco de oito partidas na fase de qualificação. Entretanto, aparentemente uma forte seleção escapou ‘ilesa’ das armadilhas do sorteio. Sem o mesmo cartaz dos favoritos, porém com uma equipe igualmente qualificada, Senegal pode ser o grande azarão da disputa. Vale lembrar que os Leões da Teranga superaram a forte concorrência de Camarões para garantir classificação – e de forma convincente, com cinco vitórias em seis jogos.

Para a realização do sorteio, as seleções foram divididas em quatro potes de acordo com seus respectivos desempenhos nas últimas três edições da CAN (exceto Gabão e Guiné-Equatorial, que por serem sedes do torneio, foram designadas cabeças-de-chave). Eliminado na fase de grupos em 2008 e sequer classificado em 2010, Senegal ficou apenas no pote 3 e correu o risco de cruzar com forças como Costa do Marfim/Gana e Tunísia. Todavia, por sorte, os Leões acabaram compondo uma chave com as seleções mais modestas dos outros potes: Guiné-Equatorial, Zâmbia e Líbia.
Mas não é só pela fragilidade dos adversários que Senegal alimenta uma grande esperança de conquistar um título inédito em sua história. Sob o comando de Amara Traoré, a seleção que encantou o mundo em 2002 ressurgiu e apresenta uma geração com potencial até mesmo superior comparada à de nove anos atrás. E os 16 gols marcados em seis jogos na fase de qualificação representam uma das grandes características desta safra: o poderio ofensivo.

Tamanha produtividade explica-se pela variedade de boas opções para o ataque, fazendo com que Traoré descubra uma série de possibilidades táticas. Seja no 4-3-3 usado contra Camarões, no 4-3-1-2 para encarar o Congo ou mesmo no ousado 4-2-4 montado para enfrentar Ilhas Maurício, a linha de frente senegalesa tem se mostrado letal. Moussa Sow,  campeão e artilheiro do último Campeonato Francês com o Lille, é a referência. Mamadou Niang, que se transferiu para o futebol do Catar no mês passado, também possui bastante respaldo no time, alem de ter sido o artilheiro dos Leões na fase qualificatória com cinco gols.
Papiss Cissé, vice-artilheiro da última Bundesliga com o Freiburg, é outro homem de confiança do treinador. No esquema com quatro atacantes, o goleador Dame N’Doye, líder da tabela da artilharia do último Campeonato Dinamarquês pelo Copenhagen, ganha vaga na equipe. Mas a quantidade de atacantes senegaleses em destaque pelo mundo vai muito além, ao ponto de Demba Ba, destaque do Newcastle com oito gols marcados na atual temporada da Premier League, sequer ser cogitado para o onze inicial da seleção. O mesmo vale para Souleymane Camara, com cinco gols marcados pelo Montpellier na Ligue 1, ou para o experiente Diomansy Kamara.

Obviamente, a utilização de esquemas ousados também exige disciplina tática dos atletas, o que parece estar sendo muito bem administrado por Traoré. Sem se desprender das responsabilidades defensivas, a equipe sofreu apenas dois gols na CAN, além de não ser ‘vazada’ em cinco dos seis jogos disputados. Exceto o goleiro Coundoul, a defesa é costumeiramente composta só por jogadores que atuam no futebol francês: Sané (Bordeaux), Diawara (Marseille), Mangane (Rennes) e M’Bengue (Toulouse).

No meio-campo, Mohamed Diamé e Remi Gomis são titulares incontestáveis. Para resguardar o time, Pape Kouly Diop e Ngurane Ndaw são frequentemente utilizados, e caso seja necessário colocar a equipe ainda mais pra frente, o armador Issiar Dia também desponta como opção. Em todo caso, Senegal parece mais do que pronto para roubar os holofotes no continente. Alguém ousa duvidar?

Curtas

– Outra chave da CAN 2012 não citada anteriormente é a B, que conta com Gabão, Níger, Tunísia e Marrocos. Tunisianos e marroquinos se reencontram após decidirem a CAN 2004, conquistada pela Tunísia.

– A seleção de Ilhas Maurício confirmou sua desistência das eliminatórias africanas para a Copa 2014. Portanto, a Libéria, que disputaria uma fase preliminar contra os mauricianos, está automaticamente classificada para o Grupo J, que ainda conta com Senegal, Angola e Uganda.

– No próximo domingo será disputado o jogo de ida da final da Liga dos Campeões Africana. O Wydad Casablanca, do Marrocos, recebe o Espérance, da Tunísia.

– Já pela Copa da Confederação Africana, o Club Africain, da Tunísia, e o MAS Fez, do Marrocos, garantiram-se na final do torneio. Os tunisianos, que venceram o Sunshine Stars por 1 a 0 no jogo de ida, precisaram apenas de um empate sem gols em casa para avançar.

– Já os marroquinos, que perderam para o Interclube no primeiro jogo por 2 a 1, venceram por 1 a 0 jogando em casa e se classificaram pelo gol marcado na casa do adversário. Os confrontos finais estão marcadas para os dias 18 de novembro, na Tunísia, e 2 de dezembro, no Marrocos.

– Após meses de espera, a Fifa autorizou os atacantes Ameobi, do Newcastle, e Moses, do Wigan, a representarem a seleção nigeriana. Ambos haviam atuado por seleções de base da Inglaterra em temporadas anteriores, mas a partir de agora, também são ‘elegíveis’ para as Super Águias.

– Restabelecendo a hierarquia do futebol egípcio, Al Ahly e Zamalek assumiram a primeira e a segunda colocação, respectivamente, da Premier League local. O Al Ahly bateu o Ittihad fora de casa por 2 a 0, enquanto o Zamalek derrotou o Entag El Harby por 3 a 1.

– Na África do Sul, o SuperSport United, mesmo atuando com um a menos, venceu o Bidvest Wits fora de casa por 1 a 0 e manteve a ponta da Premier Soccer League. O SuperSport aparece com 18 pontos, dois a mais que Kaizer Chiefs e Moroka Swallows, que também venceram na rodada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo