ÁfricaCopa Africana de Nações

No passado: Togo vai à CAN pela primeira vez desde atentado

A seleção de Togo escreveu um capítulo importante de sua história na Copa Africana de Nações neste domingo. Vítimas de atentado terrorista em 2010 e ausentes em 2012, os togoleses retornam ao torneio continental. A classificação foi obtida contra o Gabão, anfitrião da última edição da CAN. Depois de empatarem por 1 a 1 em Libreville, os Gaviões triunfaram por 2 a 1 em Lomé.

A festa deste domingo começou a ser comemorada aos 36 minutos do primeiro tempo, quando Dové Wome anotou o primeiro gol dos anfitriões. No começo da segunda etapa, foi a vez do astro Emmanuel Adebayor ampliar a diferença. O atacante chegou a se aposentar da equipe nacional em 2010, após o ataque ao ônibus togolês na CAN 2010, quando três pessoas morreram. A dez minutos do fim, o veterano Daniel Cousin descontou para os gaboneses, mas era tarde.

Outro retorno marcante é o da Etiópia. Os Leões Negros disputarão a competição pela primeira vez desde 1982, em vaga obtida graças aos gols fora de casa. Precisando da vitória, os etíopes registraram 2 a 0 em Addis Ababa, resultado suficiente após a derrota por 5 a 3 para o Sudão no jogo de ida. Adane Girma e Saladin Said balançaram as redes neste domingo.

Em clássico do norte da África, a Argélia confirmou os prognósticos ao vencer novamente a Líbia. A partida em Bilda terminou 2 a 0 para as Raposas, com gols de El Arbi Soudani e Islam Slimani, deixando para trás o fracasso nas eliminatórias da CAN 2012.  Anfitriã em 2010, Angola volta à Copa Africana graças a Manucho. O atacante do Valladolid marcou ambos os gols dos Palancas Negras no triunfo por 2 a 0 sobre o Zimbábue, garantindo a seleção apenas pelos gols fora de casa.

O resultado mais dramático foi conquistado por Burkina Faso. Após vencer o jogo de ida, a República Centro-Africana segurou a classificação inédita até os 51 minutos do segundo tempo, quando os Etalons arrancaram a vitória por 3 a 1. Autor de dois gols, entre eles o decisivo, Alain Traoré foi o herói dos anfitriões, que vão para a terceira CAN consecutiva.

Estreante em 2012, Níger repete a aparição no torneio continental, ao eliminar a Guiné. A Mena perdeu o primeiro jogo, mas se recuperou com a vitória por 2 a 0 em Niamey. Já a República Democrática do Congo, que tinha colocado um pé na África do Sul após golear em Kinshasa, levou um susto da Guiné Equatorial, mas se qualificou. Javier Balboa e Ben Konaté abriram vantagem para a Nzalang Nacional, mas Tresor Mputu esfriou os ânimos e fechou o placar em 2 a 1.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo