África

No dia da decisão da Champions Africana, conheça todos os finalistas da história do torneio

Neste sábado, o trono do futebol africano começa a ser disputado. Zamalek e Mamelodi Sundowns se enfrentam na decisão da Liga dos Campeões da África. De um lado, um dos maiores clubes do continente, tentando manter a hegemonia do Egito e diminuir a diferença que o rival Al Ahly estabeleceu nos últimos anos. De outro, um raro representante da Premiership Sul-Africana, uma das ligas mais bem organizadas do continente, mas que só uma vez viu os seus times faturarem a Champions. O primeiro duelo acontece em Pretória, antes da definição na próxima semana, em Alexandria.

Atual campeão egípcio, após mais de uma década de jejum, o Zamalek possui uma equipe baseada no futebol local, cheia de jogadores que começam a ganhar espaço na seleção. O líder dentro de campo é Shikabala, camisa 10 rodado, com mais de 200 jogos pelo clube. Outra estrela é o zambiano Emmanuel Mayuka, um dos raros estrangeiros, contratado após frustrada passagem pela Europa. O Mamelodi Sundowns, por sua vez, conta com um elenco mais plural, com jogadores de oito nacionalidades diferentes – incluindo o brasileiro Ricardo Nascimento, cria da base do Palmeiras. O comando técnico fica a encargo de Pitso Mosimane, ex-treinador da seleção sul-africana. Enquanto isso, dentro de campo, os nomes mais tarimbados são os do goleiro Kennedy Mweene e do meia Teko Modise. Quem também merece atenção especial é o meia Keagan Dolly, destaque dos Bafana Bafana nos Jogos Olímpicos.

Para introduzir a história da final da Liga dos Campeões da África, resgatamos um mapa que publicamos na última temporada, atualizado. Disputado desde 1964, o torneio é dominado pelo norte da África. São 27 conquistas concentradas em apenas quatro países: Egito, Marrocos, Argélia e Tunísia. Números impulsionados principalmente pelo Al Ahly, dono de oito taças, mais do que qualquer outra nação. Já a África Subsaariana fica com 23 conquistas, mais dispersas, divididas por oito países diferentes. Ao todo, 25 clubes já se sagraram campeões continentais, sendo que 21 deles também viram um rival nacional igualar o triunfo.

Incluindo os vices, a lista de finalistas abrange 18 nacionalidades africanas, algumas com pouca tradição entre as seleções – em especial, Uganda e Zimbábue. Entretanto, a distribuição dos clubes fica limitada a apenas poucos focos: a costa do Mediterrâneo no Maghreb, o delta do Nilo e o golfo da Guiné. São raros os clubes território adentro, a exemplo do Mazembe. Famosos criadouros de talentos, especialmente nas décadas passadas, as antigas colônias portuguesas não conseguiram formar campeões. Assim como a África do Sul, com uma das ligas mais organizadas do continente, não emplacou desde que foi integrada à confederação, após o fim do Apartheid.

Abaixo, o mapa com todos os finalistas da Liga dos Campeões da África. Alguns escudos estão sobrepostos. Portanto, aproxime para visualizar melhor os estádios:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo