ÁfricaÁsia/Oceania

Nada de aposentadoria: aos 36 anos, Yayá Touré vai para a segunda divisão da China

O empresário de Yayá Touré disse que o jogador de 36 anos iria pendurar as chuteiras, mas o marfinense negou. E não só disse que a informação não era verdadeira como acertou um novo destino. O ex-jogador do Barcelona e do Manchester City vai para o Qingdao Hunghai, da segunda divisão da China.

[foo_related_posts]

O Qingdao Huanghai disse que espera que Touré irá consolidar a linha defensiva e que ajude o clube a chegar à Super League, a primeira divisão do país. Na segunda divisão, onde o clube está atualmente, dois clubes sobem para a divisão de topo da China. Atualmente, o Qingdao Huanghai tem 30 pontos em 15 jogos, líder com quatro pontos de vantagem sobre o Guizhou Zhicheng.

No novo clube, Yayá Touré será companheiro do atacante Cléo, ex-Athletico Paranaense, Partizan e Estrela Vermelha, de 33 anos. Outros estrangeiros do clube são Joan Verdú, espanhol, ex-Levante, Fiorentina e Espanyol, de 36 anos, e Ricardo Vaz Té, atacante de 32 anos com passagens por Bolton e West Ham.

Yayá Touré, aos 36 anos, não jogava desde deixar o Olympiacos, da Grécia, em uma passagem bastante apagada em dezembro de 2018. Ele só jogou cinco partidas pelo clube grego. Yayá Touré deixou o Manchester City em julho de 2018, após oito anos atuando pelo clube e se tornando um grande nome da história dos Citizens.

Touré foi eleito o melhor jogador Africano do Ano em 2011, 2012, 2013 e 2014. Jogou Abidjan e Mimosas, na Costa do Marfim, por Beveren, na Bélgica, Metalurh Donetsk, da Ucrânia, Olympiacos, da Grécia, Monaco, na França, e chegou ao Barcelona em 2007. Em 2010, foi para o Manchester City, onde viveu o ápice da sua carreira.

Na China, Yayá Touré tentará estender um pouco da sua carreira, ao menos até o fim do ano, para tentar levar o time até a primeira divisão. Ir para a China seria até esperado quando o meio-campista deixou o Manchester City. Parece fazer o movimento atrasado em um ano. Resta saber se o marfinense ainda tem bola para gastar. Mas, convenhamos, na segunda divisão da China a exigência nem será grande coisa.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo