África

Médico responsável pelo controle antidoping em Nigéria x Gana falece depois do jogo pelas Eliminatórias

O zambiano Joseph Kabungo trabalhava para a CAF e fez parte da delegação de seu país na conquista da CAN 2012

A classificação de Gana sobre a Nigéria pelas Eliminatórias terminou em caos. Uma massiva invasão de campo aconteceu no estádio em Abuja, com os torcedores revoltados pela eliminação das Super Águias. E a noite terminaria com uma vítima fatal, embora o motivo da morte não tenha sido relacionado com a violência. Médico da federação zambiana e responsável pelo controle antidoping, Joseph Kabungo faleceu depois da partida. Segundo os relatos iniciais, Kabungo foi vítima de um ataque cardíaco.

Presidente da federação zambiana, Andrew Kamanga confirmou a morte à agência AFP. O médico passou mal quando foi até o vestiário de Gana, para solicitar que o jogador sorteado da equipe fizesse o exame. Houve uma tentativa de ressuscitação e Kabungo foi levado a um hospital nas redondezas, mas não sobreviveu. Anteriormente, o zambiano fez parte da delegação de seu país na conquista da Copa Africana de Nações de 2012, principal título da seleção de Zâmbia.

Já a federação nigeriana, em sua nota de condolências, reforçou que a morte não está relacionada diretamente com a violência: “A morte de Kabungo dói muito e estamos em estado de choque profundo. No entanto, é importante expor os fatos como eles são. De acordo com as informações de nosso médico, que foi nomeado pela Fifa como médico do jogo, Dr. Kabungo foi encontrado ofegante perto do vestiário da equipe ganesa”.

A invasão em Abuja se concentrou principalmente no campo. A polícia nigeriana precisou atirar bombas de gás lacrimogêneo para conter a multidão. Os bancos de reservas foram destruídos e muitos dos invasores pediam a saída de Amaju Pinnick, presidente da federação local. O empate por 1 a 1 beneficiou Gana, pelos gols fora de casa, e culminou na eliminação da Nigéria após três participações consecutivas em Copas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo