Africa

Marrocos desacelera, sofre empate do Congo RD e adia classificação às oitavas da Copa Africana de Nações

A seleção de Marrocos até abriu o placar, mas diminuiu o ritmo na segunda etapa e Congo chegou ao empate merecidamente

O Marrocos até fez um bom primeiro tempo contra a Seleção da República Democrática do Congo neste domingo (21) pela segunda rodada da Copa Africana de Nações. A dupla Achraf Hakimi e Hakim Ziyech abriu o placar logo cedo, mas um pênalti perdido por Cédric Bakambu, do selecionado congolês, deu mostras do que viria pela frente. O time de Walid Regragui se acomodou com a vantagem, talvez administrando a parte física por conta do forte calor, e tomou o empate pelas boas trocas do técnico adversário, impondo velocidade no jogo.

Terminou 1 a 1 e, como venceu a rodada inicial, a Seleção Marroquina precisa ganhar da Zâmbia na rodada final para não depender de ninguém. Enquanto isso, Congo, vice-líder com dois pontos, joga contra a Tanzânia.

Dobradinha pela direita garante vantagem do Marrocos, enquanto Bakambu perde pênalti

Como franco favorito, o Marrocos começou dando as cartas e mostrando quem era o melhor time. Na primeira subida ao ataque, a dobradinha de gigante qualidade técnica na direita Ziyech-Hakimi deu muito bom, com o meia tocando para trás e o lateral vindo com tudo para cruzar e En-Nesyri cabecear, exigindo grande defesa de Lionel M'Pasi. Justamente no escanteio dessa jogada, o primeiro gol, novamente com os dois mais técnico do selecionado marroquino. Ziyech cobrou no meio da muvuca no meio da área, mas ninguém tocou na bola, sobrando perfeita para Hakimi pegar de primeira e abrir o placar.

Muito melhores, os Leões de Atlas tentaram de novo com Ziyech, de novo pela direita, agora cortando para o meio e mandando de canhota para M'Pasi encaixar. Talhado para o contra-ataque, o Congo começou a ficar mais saidinho para o jogo e emplacou boas chances. Na primeira, o camisa 10 Théo Bongonda finalizou e um corte da defesa impediu um gol quase certo. Na sequência, se aproveitando de erro marroquino, emplacou uma rápida jogada Yoane Wissa, que tentou deixar Cédric Bakambu na cara do gol, mas o capitão Romain Saïss fez um corte essencial.

No fim, a seleção que estava perdendo quase empatou em uma perigosa cobrança de falta lateral. Saïss de novo brilhou com um corte que tirou a possibilidade de Chancel Mbemba emendar para o gol. No entanto, na primeira trave, Selim Amallah subiu com o braço muito alto, parece ter triscado na bola e ainda acertou o cotovelo na cabeça de Henoc Inonga – que sofreu um corte e precisou jogar enfaixado. O árbitro precisou da ajuda do VAR para marcar a penalidade. Porém, Bakambu fez toda uma pose, foi para cobrança e mandou no pé da trave, evitando o empate dos Leopardos aos 42 minutos.

Cedric Bakambu of DR Congo reacts in disappointment after missing penalty during the 2023 Africa Cup of Nations match between Morocco and DR Congo at Laurent Pokou Stadium , San Pedro, Cote dIvoire on 21 January 2024 – Photo by Icon Sport

Leopardos colocam velocidade no jogo e empatam

No intervalo, o enfaixado Inonga teve que sair, dando lugar para Dylan Batubinsika, outro zagueiro. Com apenas sete, mais duas trocas, ambas no ataque: Bakambu e Bongonda pelos centroavantes Fiston Mayele e Meschack Elia, respectivamente.

A seleção congolesa apostou em muita velocidade nessa etapa final, ainda mais do que no primeiro. Eram contra-ataques atrás de contra-ataques, se aproveitando da entrada dos novos atacantes. Marrocos tinha mais a bola, teve outras escapadas pela direita, mas não teve algo muito efetivo nos 25 iniciais. Para dar novo gás ao ataque, Abde Ezzalzouli, do Betis, substituiu o habilidoso Sofiane Boufal e depois Ziyech saiu para dar chance a Amine Adli, do Bayer Leverkusen.

Essa dificuldade marroquina cobrou um preço, e Congo igualou o placar com meia hora. Mostrando fragilidade na última linha defensiva, um lançamento quebrou completamente a marcação, deixando Elia sozinho na ponta direita. Desesperada, a defesa tentou fechar a primeira trave e espaço às suas costas se abriu. Um passe para trás, na medida, chegou para Silas Katompa, outro atacante que saiu do banco minutos antes, cravar. As mudanças do francês Sebastien Desabre foram essenciais para o empate.

Logo depois, outro ataque rápido dos Leopardos quase virou o jogo. Outra vez, extremamente rápido Meschack Elia disparou pela direita e cruzou rasteiro para Samuel Moutoussamy tentar de letra, mas pegou fraco e não conseguiu marcar. Regragui via a dificuldade de sua equipe e fez as duas últimas mudanças, que de nada mudou nos minutos finais. Após sete de acréscimos, mesmo com uma tentativa de abafa de Marrocos, nada mudou.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo