ÁfricaCopa Africana de Nações

Mais do mesmo

Stephen Keshi, treinador da Nigéria, divulgou uma lista de 32 jogadores pré-convocados para a CAN 2013. Em meio a ausências destacáveis, como as de Taye Taiwo e Obafemi Martins, uma em particular gerou bastante repercussão: a de Peter Odemwingie. Não dá pra dizer que foi exatamente uma surpresa. Apesar de sua boa fase no West Bromwich, o atacante já havia sido preterido nas últimas convocações para as eliminatórias da CAN, nos jogos contra a Libéria.

Mas Odemwingie ainda nutria uma esperança de estar na África do Sul no início do ano que vem. Prova disso foi a sua revolta ao saber que ficaria fora do principal torneio do continente africano pela segunda edição consecutiva. Através de sua conta oficial no Twitter, ‘Osaze’ disparou para todos os lados: atacou Keshi, a Federação Nigeriana de Futebol (NFF) e até mesmo (sem citar nomes) os últimos jogadores que envergaram a braçadeira de capitão das Super Águias.

Esta não é a primeira e provavelmente não será a última polêmica envolvendo Odemwingie e a seleção nigeriana. Desde quando estreou profissionalmente pelo selecionado, em 2002, o atacante coleciona uma série de problemas de relacionamento com os treinadores com os quais trabalhou. Sem pensar muito, podemos citar Augustine Eguavoen, Shaibu Amodu, Samson Siasia, Lars Lagerback…acreditar que tudo se resolveria com uma nova troca de comando seria, no mínimo, inocência.

Odemwingie criticou o que ele chama de “falta de personalidade” de Keshi e da NFF ao não comunicar o motivo de sua exclusão. Também criticou o porta-voz da NFF, Ademola Olajire, que o chamou de “arrogante”, relembrando o fato do presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, ameaçar dissolver a federação em 2010 para apurar o que aconteceu com verbas públicas destinadas ao futebol.

Entre outras coisas, também disparou contra os últimos capitães da seleção (Joseph Yobo naturalmente é lembrado), afirmando que todos só pensam em si mesmo. Um funcionário da NFF revelou recentemente que Osaze exigiu a Keshi que fosse o novo capitão da equipe, por conta de sua experiência. Entretanto, além de não ser um bom exemplo fora de campo, o atacante ainda está atrás de Enyeama e Yobo neste quesito, se considerarmos apenas os jogos pela seleção.

A decisão de Keshi em não contar com o atacante para a CAN é extremamente aceitável. Tecnicamente falando, a seleção continua muito bem servida de jogadores de frente: Moses, Uche, Musa, Emenike, Ideye e Ameobi são só algumas das opções. Mas principalmente, neste momento, é indispensável pensar na unidade do grupo, em jogadores que aceitem que são apenas parte de um elenco. Caso Keshi saiba controlar os egos dentro da equipe (o que vale para outras seleções), a Nigéria é forte candidata ao título. Odemwingie, por sua vez, pode ter fechado as portas para outros compromissos importantes com a seleção, como as eliminatórias para a Copa.

Curtas

– Cabo Verde foi a primeira seleção a anunciar a lista final de convocados para a CAN 2013. Ryan Mendes, do Lille, é o grande destaque. Ricardo, que foi o capitão da equipe na reta final das eliminatórias, decidiu novamente encerrar sua carreira internacional para se dedicar inteiramente a seu clube, o Paços de Ferreira.

– Repetindo quase todo o elenco campeão da CAN 2012, o técnico Herve Renard divulgou a pré-lista de Zâmbia para a próxima edição do torneio. O atacante Jacob Mulenga, que desfalcou os Chipolopolo na conquista do início do ano devido a uma lesão, está de volta ao time. Como esperado, o Mazembe emplacou seis jogadores na lista, incluindo o recém-contratado Sakuwaha.

– O treinador da Tunísia, Sami Trabelsi, também anunciou sua lista de pré-convocados. Wahbi Khazri, do Bastia, que recentemente regularizou sua naturalização, foi convocado. O volante Jamel Saihi, com uma lesão no joelho, foi cortado.

– Taarabt está fora da CAN 2013. Mas não por desejo do meio-campista do Queens Park Rangers, e sim por opção do técnico Rachid Taoussi. Na lista de 24 jogadores pré-convocados do Marrocos para o torneio, além de Taarabt, jogadores como o capitão Kharja e Chamakh também ficaram de fora. Oito jogadores do futebol local foram selecionados.

– Por fim, a Argélia anunciou 24 pré-convocados para o torneio. O técnico Vahid Halilhodzic ainda fará um corte antes de fechar a lista. Surpreende a ausência de Djebbour, artilheiro do Campeonato Grego pelo Olympiakos, que cedeu o meia Abdoun. O veterano Bougherra também ficou fora.

– Em entrevista ao The Sun, Adebayor reafirmou sua posição de se ausentar da seleção togolesa por conta dos problemas administrativos da federação. Nos últimos dias, o treinador de Togo, Didier Six, divulgou a lista de convocados para o torneio com 22 jogadores. Além de Adebayor, ficaram de fora o goleiro Agassa e o meia Romao, como previsto por conta do “racha” no elenco.

– Dois jogos do Grupo E das eliminatórias para a Copa de 2014 sofreram alterações em seus placares. Na primeira rodada, Burkina Faso e Congo e Níger e Gabão haviam empatado sem gols. No entanto, Burkina Faso e Gabão foram punidos por escalar jogadores irregulares (Zengue e Moussono, respectivamente), fazendo com que Congo e Níger fossem declarados vencedores pelo placar de 3 a 0.

– A Federação Senegalesa de Futebol (FSF) divulgou uma lista de cinco candidatos ao cargo de treinador da seleção nacional. O sueco Sven-Goran Eriksson é o mais conhecido deles. Os franceses Alain Giresse e Jacques Santini, o senegalês Aliou Cissé e o alemão Walker Sinke são os outros nomes.

– O presidente da federação egípcia (EFA), Gamal Allam, declarou que o futebol egípcio está “entrando em colapso”. Motivo? O pontapé inicial do Campeonato Egípcio foi adiado pela terceira vez.

– A EFA anunciou o adiamento para o dia 30 de dezembro por conta da votação do referendo sobre a nova Constituição do país. No entanto, o Ministério da Defesa do Egito recentemente enviou uma carta para a EFA informando que seus estádios não estão prontos para sediar os jogos da liga. Allam acusa as autoridades de estarem ignorando a situação caótica do futebol local.

– Yaya Touré foi eleito o melhor jogador africano de 2012 na cerimônia de premiação da CAF, em Acra, capital de Gana. Aboutrika, do Al Ahly, ganhou o prêmio de melhor jogador africano que atua no continente. Outros vencedores: Clube do ano: Al Ahly; Seleção do ano: Zâmbia; Técnico do ano: Herve Renard (Zâmbia); Talento mais promissor do ano: Mohamed Salah (Egito).

– Seleção do ano: Dule (Congo); Fathi (Egito), Hichri (Tunísia), Sunzu (Zâmbia), El-Basha (Sudão); Song (Camarões), Yaya Touré (Costa do Marfim), Belhanda (Marrocos) e Aboutrika (Egito); Chris Katongo (Zâmbia) e Drogba (Costa do Marfim).

– Amistosos pelo continente: sem os jogadores que atuam na Europa, muitas seleções que estarão na CAN 2013 aproveitaram para fazer jogos preparatórios. A África do Sul, por exemplo, bateu Malauí por 3 a 1 em Durban – gols de Majoro, Tshabalala e Mahlangu. Zâmbia, no entanto, foi derrotada pela Tanzânia por 1 a 0. Por fim, Angola venceu Ruanda por 1 a 0.

Feliz 2013 a todos os leitores!

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo