África

Líder e rebaixado?

Um dos clubes mais vitoriosos do futebol ganês, o Asante Kotoko vive uma situação curiosa (pra não dizer delicada) em plena reta final do campeonato nacional. Faltando oito rodadas para o fim da Premier League, o Kotoko lidera a competição com oito pontos de vantagem (46 a 38 sobre o Ashanti Gold), mas pode ver todo este esforço ir por água abaixo. Isso porque, na última semana, surgiram inúmeras acusações por conta de dívidas antigas do clube. A principal delas, referente ao ex-treinador Hans Dieter-Schmidt, caso não seja quitada em um mês, pode rebaixar a equipe para a segunda divisão nacional.

Em 2004, o alemão comandou a equipe que alcançou a final da Copa da Confederação Africana. O adversário era nada menos do que o maior rival, Hearts of Oak, naquela que foi a primeira final continental na história disputada entre dois times do mesmo país. O Kotoko jogava em casa, mas foi derrotado por 8 a 7 nos pênaltis. Como de praxe, Dieter-Schmidt foi responsabilizado e imediatamente mandado embora. Entretanto, sete anos depois, o alemão exige o pagamento de € 99 mil por conta do processo, que não envolveu justa causa. A Fifa estabeleceu um prazo de 30 dias para que o clube acerte as contas.

Para os padrões europeus, um valor “singelo”, mas está longe de ser o caso do clube da província de Kumasi, que corre contra o tempo para arrecadar a quantia. A primeira medida será exigir a antecipação dos US$ 52 mil que o clube tem direito a receber da Premier League, patrocinada pela Globacom, renomada empresa de telecomunicação multinacional da Nigéria – inicialmente, esta quantia seria usada no pagamento de salários atrasados dos funcionários do clube. De toda forma, para conseguir o restante, o clube já acionou suas três contas bancárias e deve contar com as famosas “vaquinhas” para conseguir o montante.

O problema é que as pendências começaram a pipocar de forma incontrolável. O Gençelrbirligi, clube da Turquia, cobra o pagamento de US$ 6,5 mil por conta da transferência de Adamu Mohammed, ainda em 2008. Já o Saturn, da Rússia, luta para receber os US$ 30 mil a serem pagos pelo Kotoko na aquisição de Shillah Illiasu, em 2006. Tantos problemas podem culminar no primeiro rebaixamento da história dos “Guerreiros do Porco-Espinho”, que viveram esse fantasma pela primeira vez na última temporada, quando perderam os sete primeiros jogos da liga – mas logo reagiram e puderam respirar aliviados.

A tensão culmina justamente com um dos melhores momentos da história recente do Kotoko, maior campeão nacional (21 títulos), mas que desde 1993, só levantou o caneco três vezes. O time lidera a PL com 13 vitórias e sete empates em 22 jogos, além de ter sofrido apenas dez gols e estar invicto como mandante. A equipe é comandada por Maxwell Konadu, que está no comando há pouco menos de um ano.

Após ficar marcado pela tragédia no antigo Estádio Accra Sports, que vitimou 127 pessoas em 2001, o Kotoko corre o risco de manchar novamente sua grandiosa história, que tem seu ponto alto nos dois títulos e cinco vices da antiga Copa dos Campeões Africana, além da hegemonia nacional. Viver as duas extremidades da tabela ao mesmo tempo parece inimaginável. O movimento para reerguer o maior clube do país já começou, mas espera-se que os problemas internos não provoquem uma derrocada e a perda de um título que parecia praticamente nas mãos.

Curtas

– Os próximos dias deverão reservar novidades nas seleções de Costa do Marfim e Gana. Especula-se que a federação marfinense anunciará ainda nesta semana o nome de Alain Gouaméné em substituição ao atual técnico, François Zahoui. Gouaméné comandou os Elefantes no Mundial Sub-17 de 2011 e deve dar prosseguimento a nova política de oportunidades para treinadores locais.

– Já os Estrelas Negras, que demitiram o sérvio Goran Stevanovic após a CAN, podem chegar a um acordo com Marcel Desailly, campeão do mundo pela França como jogador em 1998. Entretanto, o treinador exige autonomia no cargo para selar um acordo, isto é, decidir quem trabalhará com ele e resolver questões como as de Kevin-Prince Boateng e Asamoah Gyan, afastados da seleção.

– Após anunciar sua aposentadoria devido ao trauma do massacre em Port Said, o ídolo egípcio Mohamed Aboutrika voltou atrás em sua decisão e retornou aos gramados em grande estilo. Foi dele um dos gols da vitória da seleção egípcia sobre Uganda por 2 a 1, em amistoso disputado na última quinta-feira.

– Três dias depois, os faraós disputaram mais um jogo preparatório, desta vez contra Chade, e golearam por 4 a 0. Sem jogadores de Al Ahly e Zamalek, que se preparam para a Liga dos Campeões africana, o Egito marcou com Salah, Khairi, Hisseim e Ahmed Mekki.

– A Fifa anunciou que o duelo entre Líbia e Camarões, pelas eliminatórias da Copa de 2014, será disputado em campo neutro. Segundo nota no site oficial da entidade, a situação de instabilidade política na Líbia não garante condições de segurança para o jogo e que os líbios tem até o dia 10 de abril para definirem o local de realização da partida.

– O Senegal já conhece seu adversário na repescagem que decidirá a última vaga restante para as Olimpíadas de Londres: Omã, que derrotou o Uzbequistão. O playoff está marcado para o próximo dia 23 de abril.

– Falando em Senegal, o presidente da federação local, Augustin Senghor, declarou que o novo técnico da seleção nacional será anunciado em breve. Amara Traoré foi demitido logo após o fracasso na CAN 2012, mas as eleições presidencialistas no país estão atrasando o anúncio de seu substituto.

– À espera de uma alteração no estatuto da Fifa, o Sudão do Sul pode se tornar membro da entidade já no próximo mês. Um congresso a ser realizado na Hungria, em maio, resolverá esta questão. No mais tardar, o país deve ser admitido em dois anos e, a partir de então, disputar competições continentais e internacionais.

– Diante de mais de 40 mil pessoas, Rivaldo marcou de pênalti, mas o Kabuscorp perdeu por 2 a 1 para o Recreativo do Libolo, atual campeão angolano, pela quinta rodada do Girabola.

– Na Tunísia, o Bizertin bateu o tradicional Etoile du Sahel por 1 a 0 e mantém a improvável liderança da Ligue 1 com uma campanha fabulosa: 10 vitórias e 2 empates em 12 jogos.

– Pela Premier Soccer League, o Sundowns só empatou com o Bloem Celtic sem gols, mas manteve a ponta com 42 pontos. Em compensação, o Orlando Pirates fez 3 a 1 no Free State Stars e já chegou aos 40. Benni McCarthy fez um dos gols dos Buccaneers.

– Pelo Campeonato Marroquino, o FUS Rabat bateu o Hassania Agadir por 1 a 0 e manteve a liderança, com 47 pontos. O vice-líder, Moghreb Tétouan, venceu mais uma: 3 a 0 no FAR Rabat, chegando aos 44 pontos. Quem se deu mal foi o Raja Casablanca, derrotado pelo Wydad Fes por 2 a 0 e praticamente fora da briga pelo título.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo