África

Juventude perigosa

Na contramão do restante do Norte da África, que vivencia uma série de tragédias nos últimos anos (o massacre em Port Said representa bem esse panorama), o futebol do Marrocos sempre foi considerado referência em organização e estrutura de eventos de grande porte. Os votos de confiança para sediar o Mundial Interclubes em 2013 e 2014 e a Copa Africana em 2015 não foram por acaso. Entretanto, a onda de violência nos estádios, facilmente identificada em países como Argélia, Tunísia e Egito, também começa a perturbar os marroquinos.

No último dia 14, na vitória do Wydad Casablanca sobre o FAR Rabat por 2 a 0, um confronto entre torcedores do WAC e a polícia da capital marroquina resultou em centenas de feridos e na morte de um torcedor (além da depredação de ônibus e lojas fora do estádio). Um jovem de 20 anos chamado Hamza Bekkali, que passava suas férias em Casablanca, perdeu a vida no Stade Mohammed V. Como retrato da impunidade, a punição concedida ao Wydad foi o pagamento de 10 mil dirhams (moeda oficial do país) e portões fechados em seus próximos quatro compromissos como mandante, sendo dois deles nesta reta final de temporada, onde o time não luta por mais nada.

Mais do que a “proliferação” de baderneiros, o fenômeno possui uma imensa dimensão social. Tudo porque grande parte daqueles que tornam as arquibancadas cada vez mais sangrentas são menores de idade, munidos de facas, bastões, pedras e armas brancas. Dentre os 44 detidos após o jogo, quase metade tinha 16 anos ou menos. Todos compareceram ao Tribunal de Ain Sebaa para responder por vandalismo, danos às instalações esportivas, danos à propriedade estatal, violência, posse de armas brancas e outros crimes.

Na era do profissionalismo do Botola, como é chamado o campeonato nacional, quase 60% do público nas arquibancadas é composto por menores. Muitos comparecem aos estádios sem qualquer acompanhante responsável, o que é proibido pela lei contra o hooliganismo que vigora no futebol local. As forças de segurança, que deveriam combater essa ilegalidade, são ineficazes. É uma questão de conveniência: os clubes e a própria federação são negligentes nesse sentido porque o faturamento diminuiria sem a presença desses jovens – a federação, aliás, sequer divulgou uma nota lamentando o fato.

Na verdade, o prejuízo financeiro é inevitável, afinal, os clubes são obrigados a mandar partidas com portões fechados e jogam pelo ralo uma de suas principais fontes de renda. O problema é complexo e já respinga até mesmo no sistema educacional do Marrocos. Após o episódio, o WAC se mostrou disposto a instalar câmeras em seu estádio, e por mais que seja uma atitude necessária, não é o suficiente. A questão afeta a segurança pública e ameaça afastar os verdadeiros torcedores dos estádios.

Não existe ao certo uma explicação para o crescimento desse fenômeno, mas não parece haver nenhum cunho político. O caso não pode ser tratado de forma isolada, afinal, cenas como essa já haviam sido presenciadas (em menor proporção) no primeiro turno, quando o COD Meknes encarou o Maghreb de Fes. É frustrante saber que uma das edições do Botola mais emocionantes dos últimos anos, com três times brigando pelo título, pode ser manchada a qualquer momento por uma tragédia ainda maior. A reorganização do acesso aos estádios deve ser encarada como uma tarefa prioritária. Do contrário, as cenas de Port Said também podem se repetir na região magrebe.

Curtas

– Com gols de Ibrahima Baldé e Abdoulaye Sané, Senegal bateu Omã por 2 a 0 e garantiu a última vaga restante para os Jogos Olímpicos de Londres. Os Leões da Teranga serão um dos quatro representantes africanos no torneio (Gabão, Marrocos e Egito já haviam carimbado passaporte).

– A Copa do Egito, que seria disputada para manter os clubes locais em atividade na temporada, foi oficialmente cancelada pelo governo egípcio por falta de segurança. Isso significa que não haverá mais futebol no país em 2011-12, o que deve refletir e muito na preparação da seleção para as eliminatórias da CAN e para os Jogos Olímpicos.

– De acordo com as pretensões da federação egípcia, a próxima temporada da Premier League iniciará no dia 24 de agosto, enquanto o novo calendário da Copa do Egito deve ser elaborado após a última fase preliminar da Liga dos Campeões africana.

– O presidente da Federação Angolana de Futebol, Pedro Neto, anunciou que Romeu Filemon será o treinador interino da seleção nacional. Lito Vidigal, que dirigiu a seleção na CAN 2012, foi demitido na última semana justamente pelos maus resultados no torneio. Especula-se que um brasileiro, um uruguaio ou um sérvio seja anunciado para o cargo daqui algumas semanas.

– De acordo com a Federação Senegalesa de Futebol, os franceses Bruno Metsu e Pierre Lechantre são os favoritos para o posto de treinador dos ‘Leões da Teranga’. Metsu recentemente foi demitido do Al Gharafa e comandou a histórica equipe que alcançou as quartas-de-final da Copa 2002. Já Lechantre atualmente dirige o Al Arabi (Catar) e foi campeão da CAN 2000 com o Camarões.

– Surpresa nas eliminatórias para a Copa Africana deste ano, a seleção de Botsuana vive um momento delicado. Todos os jogadores que representaram a equipe em Gabão e Guiné-Equatorial para a disputa do torneio agora boicotam a seleção por conta de bônus atrasados. A situação financeira prejudica – e muito – o cronograma de preparação das Zebras para as eliminatórias da CAN 2013 e da Copa 2014.

– Oficial: o jogo entre Líbia e Camarões pelas eliminatórias da Copa, que teria o mando de campo dos líbios, será disputado em Sfax, na Tunísia, no dia 10 de junho. A situação não é inédita, já que os comandados de Marcos Paquetá mandaram jogos em Mali e Egito (curiosamente dois países atualmente em grave situação política) nas eliminatórias para a CAN 2012.

– No último jogo da seleção egípcia em Dubai, onde realizou um longo período de treinamentos e jogos preparatórios, os comandados de Bob Bradley empataram sem gols com o Iraque. Sob a batuta do norte-americano, os faraós já venceram seis jogos em nove disputados – este foi o segundo empate, além de uma derrota para o Brasil em sua estreia, em novembro.

– O Moghreb Tétouan é o novo líder do Campeonato Marroquino. A equipe conseguiu uma importante vitória fora de casa sobre o Raja Casablanca (3º) por 2 a 0 e contou com o tropeço do FUS Rabat, que ficou no 0 a 0 com o lanterna Ittihad Khémisset.

– Em busca de um título inédito, o Moghreb soma 49 pontos, contra 48 do FUS e 45 do Raja faltando quatro rodadas para o fim.

– Em ascensão na temporada, o Kabuscorp, time de Rivaldo, bateu o Benfica de Luanda por 3 a 0 e já assumiu o 5º lugar do Girabola, com 13 pontos. O Recreativo do Libolo, atual campeão, lidera com 19.

– Na África do Sul, o Orlando Pirates desperdiçou a chance de abrir quatro pontos de vantagem na liderança da Premier Soccer League ao empatar sem gols com o Bidvest Wits. Menos mal que o Sundowns, vice-líder, fez ainda pior: perdeu para o Maritzburg por 1 a 0.

– Faltando cinco rodadas para o fim, o Asante Kotoko só precisa de mais dois pontos para garantir matematicamente o título do Campeonato Ganês. A equipe bateu o Mighty Jets por 2 a 0 e contou com tropeços de Ashanti Gold e Hearts of Oak para se isolar ainda mais na ponta.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo