África

Hossam Mido (aquele), com apenas 30 anos, virou técnico. Pobres jogadores

Hossam Mido nunca foi o mais controlado dos jogadores. Habilidoso, o egípcio era daqueles que não aceitava muito bem ser substituído e não tinha problema algum em externar isso. O caso mais conhecido aconteceu na semifinal da Copa Africana de Nações de 2006, quando xingou sem hesitação alguma Hassan Shehata, então técnico da seleção egípcia, ao ser tirado de campo quando o jogo ainda estava empatado por 1 a 1 – o Egito viria a vencer a partida e a bater a Costa do Marfim na final. Será curioso ver como Mido agirá agora como treinador. Isso mesmo. Com apenas 30 anos, o ex-jogador é o novo treinador do Zamalek, do Egito. Mido tem uma relação de longa data com o Zamalek. Foi no clube egípcio que o atacante surgiu para o futebol. De lá, foi para a Bélgica e depois Holanda, de onde saiu para começar sua jornada pelas principais ligas europeias. Após empréstimo para o Celta de Vigo, defendeu o Olympique de Marseille, depois a Roma e então o Tottenham. Depois da passagem pelos Spurs, rodou por alguns clubes ingleses menores, defendeu novamente o Ajax, retornou ao Zamalek em 2011, mas encerrou a carreira com apenas 30 anos no pequeno Barnsley, da Inglaterra. Mesmo com toda essa experiência, o jogador nunca deixou de lado seu jeito temperamental. Mas ele parece estar bem ciente do que está fazendo desta vez. “Para aqueles que criticam minha contratação por causa da minha idade, isso é normal na Europa, e eu estou pronto para o desafio. Especialmente porque eu sempre fui um líder dentro de campo como jogador. Eu recusei treinar os juvenis do Paris Saint-Germain, o Masry e outras ofertas para poder assumir o comando do meu clube de coração”, explicou Mido a uma emissora de TV egípcia. Agora é só esperar para ver como o ex-goleador irá lidar, por exemplo, com os egos de seu time e com atletas que tenham conduta um pouco parecida com a dele. Algo me diz que será difícil alguém se atrever a falar mais alto que Mido no Zamalek. Enquanto isso não acontece, relembre alguns dos gols da curta carreira do atacante.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo