África

De olho no Mundial-2010

Após uma rodada de amistosos negativa para o futebol africano, as principais seleções do continente se voltam, a partir desse fim de semana, para as Eliminatórias para a Copa do Mundo. Ao todo, serão disputadas 23 partidas que começarão a definir o destino de cada um dos países. A expectativa fica por conta da estréia de Joel Santana como treinador da África do Sul. Em seu primeiro compromisso, um adversário de peso no caminho: a Nigéria.

As Super Águias vêm de um empate com a Áustria e não terão o zagueiro Danny Shittu, contundido. Os Bafana Bafana, por sua vez, não alinharão o atacante Benny McCarthy, que teve seu pedido de dispensa atendido. Os desfalques também marcaram a preparação do Egito, que preferiu não entrar em campo na última semana. Entre as ausências que o atual campeão africano precisará superar contra a DR Congo, estão Aboutrika e Zidan.

A Costa do Marfim é outra seleção que enfrenta a mesma dificuldade. Diante de Moçambique, Yaya Touré, Dindane e Drogba não poderão atuar. A Argélia iniciará a era pós-Cavalli sem o atacante Kamel Matmour, por sua vez. São ausências importantes, mas que não deverão atrapalhar o percurso desses países na fase de grupos. Ainda assim, cabe ficar atento aos seus desempenhos e conferir se nenhuma outra surpresa ganhará espaço, como nas últimas Eliminatórias.

Além de Nigéria e África do Sul, a primeira rodada nos brindará com outros embates interessantes, como Angola e Benin, Gana e Líbia e Mali e Congo. Os vencedores dos 12 grupos e os oito segundos melhores colocados seguem adiante na competição.

Onda de violência contra imigrantes na África do Sul

Não bastassem as dúvidas em torno de um possível atraso na entrega de estádios como o de Port Elizabeth, a África do Sul sofreu, nas últimas três semanas, com uma série de ataques contra imigrantes. As primeiras incidências foram registradas no subúrbio de Joanesburgo e se expandiram depois para províncias mais próximas como Mpumalanga e Kuazulu, fazendo 56 vítimas. Os atentados foram direcionados, principalmente, às comunidades moçambicana, zimbabuana e etíope.

Como não poderia deixar de ser, o presidente da FIFA, Joseph Blatter, se mostrou preocupado com a perseguição a estrangeiros. À medida que a Copa do Mundo se aproxima, cresce a pressão da entidade sobre a comissão de organização para que esses acontecimentos sejam controlados. Caso contrário, não só os planos sul-africanos de potencializar seu turismo estarão ameaçados, mas também a própria realização da competição no país.

O diretor do departamento de segurança nacional, Andre Puis, confirmou que estão sendo tomadas atitudes, como o deslocamento do exército para as ruas, para se conter os ataques. As principais razões apontadas pela imprensa para essa onda de violência são o desemprego e a falta de moradia. A África do Sul possui um dos piores índices de criminalidade do mundo, com cerca de 20 mil assassinatos por ano.

Ikhana deixa o futebol nigeriano

Pela primeira vez na história, o Kano Pillars se sagrou campeão da Premier League. O clube chegou à última rodada brigando ponto a ponto com Heartland e Bayelsa United pelo título e se deu bem, ao vencer o JUTH FC e ultrapassar o Bayelsa, que ficou apenas no empate com o Kwara United. A conquista não foi suficiente, porém, para assegurar a permanência do treinador Kadiri Ikhana, que, antes mesmo do confronto decisivo, havia anunciado a sua saída do futebol nigeriano.

Por trás da decisão de Ikhana, está a corrupção que vem devastando o país. O campeonato recém-encerrado foi marcado por diversas acusações de “compra” de árbitros e decisões controversas envolvendo a NFL e a NFA. Além disso, falta organização às duas entidades, que, no início da temporada, protagonizaram um conflito que resultou em consecutivos atrasos no início da PL. Como reflexo de tudo isso, temos as Super Águias e os seus resultados recentes.

Caso Ikhana persista com a sua posição de só voltar a trabalhar no exterior, o Pillars sofrerá uma perda imensurável. O clube não tem qualquer experiência internacional e deverá se ressentir disso na disputa da próxima Liga dos Campeões. Nesse sentido, a presença do treinador nigeriano seria ainda mais importante, pois ele possui como um dos maiores feitos de sua carreira a conquista da LC com o Enyimba em 2003. Não há nenhum indício, porém, de que, mesmo com a pressão de políticos e dirigentes, essa situação será revertida.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo