África

Atacante ganhou dois lotes de terra e um carro dos torcedores para assinar com time ganês

Negociar a contratação de um jogador nem sempre se trata apenas de pagar o que o clube que detém seus direitos exige e chegar a um acordo pelos salários do atleta. É preciso um algo a mais, um agrado, e muito dirigente se complica nessa hora. Pois uma dupla de torcedores ganeses bem que poderia oferecer uma oficina sobre o assunto. Após quase fechar com o Accra Hearts of Oak, de Gana, mas esbarrar na hora do acerto das luvas, o atacante Ahmed Touré acabou contratado pelo rival Asante Kotoko, e provavelmente por causa de uma ajuda inusitada da torcida do clube.

LEIA TAMBÉM: Dempsey mandou um rap no lançamento do Fifa 15 nos EUA

Segundo a rádio ganesa Citi FM, Touré estava praticamente fechado com o Hearts of Oak, mas o time se recusou a presentear o atacante com um carro, como parte das luvas. O rival Kotoko então se aproveitou, chegou a um acerto com o jogador e, em seguida, dois torcedores, os empresários locais Christopher Opoku Mensah e Christopher Damenya, presentearam o atleta com dois lotes de terra e um Mazda 3, “seguindo uma tradição de exibicionismo”, de acordo com a rádio.

O esforço da dupla para levar o jogador para o time se justifica no passado recente do Kotoko. Ahmed Touré já teve duas passagens com a camisa do clube, ambas bem sucedidas, em 2007/08 e 2011/12. A segunda, em especial, terminou nos títulos da Premier League ganesa e da Copa de Gana, com Touré como maior destaque da equipe.

Bem que as diretorias de certos times, que tanta dificuldade têm em assinar com atletas especulados por um longo período como potenciais reforços, poderiam dar uma ligada para esses torcedores e pegar uma dica ou duas de como se negocia. Evitaria mais constrangimentos futuros.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).
Botão Voltar ao topo