África

Aboutrika se posiciona ao lado de ultras e é suspenso pelo Al Ahly

Mohamed Aboutrika foi suspenso por dois meses do Al-Ahly, além de ser multado em 500 mil libras egípcias (cerca de R$ 166 mil) e perder a braçadeira de capitão do clube. O meio-campista se recusou a enfrentar o ENPPI neste domingo, em partida válida pela Supercopa do Egito.

Aboutrika tomou a atitude após se posicionar ao lado dos torcedores do Al-Ahly nos desdobramentos do desastre de Port Said, no qual 74 pessoas morreram. Os “ultras” do clube chegaram a invadir a Federação Egípcia de Futebol na última semana, exigindo que as punições sejam decididas rapidamente para os 73 acusados de envolvimento com o caso.

“Eu respeito o Al Ahly e aceito totalmente a punição. Eu estava ansioso para entrar em contato com a comissão técnica e meus companheiros para pedir desculpas, antes mesmo do anúncio da minha punição”, declarou Aboutrika. Além disso, o meia garantiu que a suspensão não acarretará em sua aposentadoria, como chegaram a especular.

“Quando os torcedores invadiram a federação, senti que outro massacre poderia ser repetido. Considerando essas circunstâncias e para evitar mais danos, pensei que era melhor não participar da Supercopa”, completou.

Por causa da instabilidade, o início do Campeonato Egípcio foi adiado para o dia 17 de outubro. Além disso, os amistosos da seleção local contra Benin e Camarões, que aconteceriam nos últimos dias, foram cancelados. Apesar de não atuar no torneio doméstico, o Al Ahly está garantido nas semifinais da Liga dos Campeões da África.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo