África

A primeira vez

No último sábado, a mais jovem seleção do mundo, o Sudão do Sul, escreveu mais um capítulo importante em sua história: disputou o seu primeiro jogo oficial desde a sua criação, em maio de 2011. A partida foi válida pela Copa CECAFA, a competição mais antiga do futebol africano e que reúne as seleções da África Central e Oriental. Os “Estrelas Cintilantes”, apelido adotado pela equipe caçula, enfrentaram a Etiópia no jogo de abertura do torneio. Pode-se dizer que a derrota por 1 a 0 foi vista com bons olhos, afinal, mesmo enfrentando um rival desfigurado, trata-se de uma seleção que disputará a Copa Africana de Nações em 2013 e o Sudão do Sul ofereceu resistência.

Passadas duas rodadas, os sul-sudaneses já estão eliminados – perderam para Quênia por 2 a 0 na terça-feira -, mas depois que cumprirem tabela contra a anfitriã Uganda, nesta sexta, certamente voltarão pra casa passando uma imagem muito mais positiva. Uma imagem de esforço, de superação, afinal, são incontáveis os obstáculos para que esta seleção se estabeleça num futuro próximo.

Como desenvolver o futebol num país onde algumas regiões vivem crise humanitária e a população se vê em meio a ataques violentos? Desde a sua independência, em 9 de julho de 2011, o Sudão do Sul já convive com um dos piores indicadores de desenvolvimento do mundo. Para nos ater apenas a alguns números, 90% da população é considerada pobre, 85% não tem acesso a postos de saúde e menos de 10% das crianças completam o primário.

E como se não bastasse, a federação responsável pela organização do futebol local viveu uma crise às vésperas da Copa CECAFA. Tudo porque o presidente da SSFA, Chabur Goc Alei, que ocupava o cargo desde abril, foi demitido pelo Conselho de Administração por ter suspendido o vice-presidente, Yohanis Musa Pouk, sem consultar nenhum membro da federação. O seu desligamento ainda não é definitivo, porém no próximo mês, a Assembleia Geral deve ratificá-lo numa sessão a ser realizada na capital Juba.

A crise administrativa acabou respingando em questões importantes na preparação da equipe. O Sudão do Sul acabou perdendo jogadores chave para a competição por um motivo simples: alguns clubes vetaram a participação de seus atletas por não receberem uma notificação oficial da federação local solicitando a liberação, implicando na ausência de jogadores como o capitão Richard Justin e o atacante James Joseph Moga, este que atua no futebol da Índia (Pune FC). Outra ausência foi marcada por uma fatalidade: o atacante Luis William Maker morreu após contrair malária e febre tifoide. Há três meses, ele disputou um amistoso com a seleção sul-sudanesa contra Uganda, que terminou empatado em 2 a 2.

O treinador Zoran Djordjevic, que se desdobra para garimpar novos talentos, acabou tendo de improvisar na montagem da equipe. Uma das referências do time foi o goleiro Juma Genaro, do Al Hilal, semifinalista da última Copa da Confederação Africana – ao contrário dos companheiros de seleção supracitados, ele decidiu disputar o torneio sem consultar seu clube e corre o risco de ser dispensado. De acordo com o comandante sérvio, existe talento no país, mas nas atuais condições de estrutura e administração, será difícil desenvolver o esporte. Mas este é só o começo. Que a seleção sul-sudanesa honre o seu apelido e possa brilhar o mais breve possível.

Curtas

– O AC Léopards ficou com o título da Copa da Confederação Africana. Após empate em 2 a 2 na ida, o time congolês venceu por 2 a 1 em Dolisie e conquistou o primeiro título continental de sua história – e, de quebra, o primeiro de um clube do Congo-Brazaville em 38 anos. A conquista ainda garante um aumento de dois para quatro times do país em competições continentais a partir de 2014.

– Após uma reunião entre representantes de clubes do Campeonato Egípcio e da Federação Egípcia (EFA), foi definida uma nova data para o início do campeonato nacional: 15 de dezembro. A princípio, a Premier League começaria no dia 17 de outubro, mas por questões de segurança, teve seu início adiado.

– De quebra, a EFA também anunciou em seu site que pedirá ao governo uma indenização aos clubes que sofrem problemas financeiros devido à inatividade da liga.

– Ainda no Egito, a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS) de anular as sanções impostas ao Al Masry por conta do massacre em Port Said foi congelada através de um recurso da federação egípcia. A EFA ganhou uma apelação apresentada junto a Corte Federal da Suíça e o caso deve ser resolvido em breve.

– Por conta dos incidentes no jogo das eliminatórias da CAN contra a Costa do Marfim, em Dacar, a federação senegalesa foi multada em 100 mil dólares. O estádio Leopold Sedar Senghor, que foi palco das cenas de vandalismo, foi proibido de ser usado em jogos internacionais em um ano. De qualquer forma, a pena foi considerada branda.

– Emmanuel Frimpong, volante do Arsenal emprestado ao Charlton, finalmente foi autorizado pela Fifa a atuar pela seleção de Gana, seu país natal. Ele atuou pelas seleções sub-16 e sub-17 da Inglaterra, mas caso o técnico Kwesi Appiah achar necessário, estará disponível para a CAN 2013.

– Por outro lado, apesar do meia Sidney Sam ter declarado recentemente que quer defender a Nigéria e revelado inclusive uma conversa com o técnico Stephen Keshi, a Federação Nigeriana admitiu que não haverá tempo hábil para regularizar sua naturalização antes da CAN 2013. No entanto, há possibilidades do jogador do Leverkusen estar disponível já nas eliminatórias para a Copa.

– O capitão de Guiné, Kamil Zayatte, anunciou que está se retirando da seleção nacional. De acordo com uma carta enviada pelo jogador aos dirigentes do país, o motivo não é apenas a desqualificação da equipe para a CAN 2013, mas principalmente a acusação de que ele tenha persuadido o meia Kevin Constant, do Milan, a também se afastar da seleção.

– A Federação do Zimbábue apontou Klaus Dieter Pagels como treinador interino da seleção nacional. Após o fracasso nas eliminatórias para a CAN 2013, o alemão terá a missão de reconstruir a equipe e promete apostar em jovens talentos. Ele já trabalhou como conselheiro técnico da federação zimbabuana em 2010.

– Pelo Campeonato Marroquino, o Wydad Casablanca bateu o Raja Béni Mellal por 1 a 0 e assumiu a ponta, com 18 pontos. No entanto, o vice-líder FAR Rabat, com 17, e o Raja Casablanca, 4º colocado com 16, possuem dois jogos a menos.

– Na Tunísia, que agora tem seu campeonato nacional com 16 equipes divididas em dois grupos de oito na primeira fase, o Espérance lidera o Grupo A com folga. A equipe bateu o Olympique du Kef por 3 a 0 e segue 100% com nove pontos em três jogos. No Grupo B, Etoile du Sahel, CS Sfaxien e Stade Gabésien dividem a primeira colocação com 7 pontos.

– O Kaizer Chiefs foi derrotado pelo Platinum Stars por 2 a 0, mas segue líder do Campeonato Sul-Africano com 27 pontos. No entanto, o maior rival, Orlando Pirates, segue em franca recuperação (2 a 0 sobre o BidVest Wits) e já chegou aos 26 pontos.

– O ES Sétif derrotou o MC Alger por 3 a 1 e manteve a liderança da Ligue 1 argelina, com 26 pontos em 12 jogos. Em Gana, a equilibrada Premier League tem o Aduana Stars como líder. Com 15 pontos, a equipe tem apenas cinco pontos a mais que o 10º colocado, Tema Youth, em oito rodadas.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo