África

A epopeia gabonesa

Em novembro deste ano, um amistoso entre Gabão e Brasil transformou os gaboneses em motivo de chacota no nosso país. Não pela falta de tradição ou pelo baixo nível técnico da seleção africana, mas principalmente pelas condições precárias do estádio L’Amitie, na capital Libreville, que àquela altura passava por reformas para a Copa Africana de Nações e apresentou um gramado que mais parecia um pasto – sem contar o apagão que atrasou o início do jogo.

Na CAN 2012, que será sediada pelos gaboneses em conjunto com Guiné-Equatorial, o Gabão certamente aguarda a oportunidade de melhorar a imagem da estrutura do futebol do país. Quanto ao nível técnico, não será preciso esperar tanto: a evolução do futebol local já é realidade. No último fim de semana, o Gabão derrotou o Marrocos por 2 a 1 e garantiu o título do Campeonato Africano Sub-23, a primeira conquista continental da história dos gaboneses.

Em mais de 50 anos de história, esta foi a primeira aparição da seleção nacional em uma competição organizada pela FIFA. Numa chave com Egito, África do Sul e Costa do Marfim, todos não hesitaram em apontar o Gabão como “fiel da balança”. E as primeiras rodadas levaram a crer que o panorama seria exatamente esse: derrota para o Egito por 1 a 0 e empate com a África do Sul em 1 a 1. Precisando vencer a Costa do Marfim por dois gols de diferença para avançar de fase, poucos se preocuparam em cogitar essa hipótese, sobretudo após os marfinenses abrirem o placar. Mas para surpresa geral, o Gabão correu atrás e conseguiu exatamente os três gols que precisava, eliminando a Costa do Marfim e garantindo, no mínimo, uma vaga na repescagem para as Olimpíadas.

Na semifinal, a equipe teria pela frente a forte seleção de Senegal. Novamente como franco-atiradores, os gaboneses triunfaram com um gol no penúltimo minuto do segundo tempo da prorrogação. A vaga para Londres estava definitivamente assegurada, mas o Gabão continuava disposto a fazer história. A final contra o anfitrião Marrocos não valia nada em termos de classificação, mas foi encarada como a chance de selar o desenvolvimento do futebol local. Os donos da casa até abriram o placar, mas o Gabão virou ainda no primeiro tempo e conquistou o primeiro título continental de sua história.

As palavras do técnico gabonês Claude Albert Mbourounot após o jogo simbolizaram exatamente o que significava aquele momento: “esta é a maior vitória da história do futebol gabonês”. A conquista surge num momento de incógnita quanto ao desempenho do Gabão na CAN 2012, a primeira da história da seleção, e certamente impulsiona o país a ganhar confiança e fazer um bom papel. Não obstante, muitos jogadores conquistaram visibilidade para, quem sabe, figurarem na seleção principal no ano que vem. Alguns jogadores desta geração são dados como certos para a CAN, como o zagueiro Ebanega e os meias Madinga e Biyogo Poko, este último da base do Bordeaux, contratado em agosto deste ano.

Em termos comparativos, muitos apontam o Campeonato Gabonês como equivalente à terceira divisão francesa no que diz respeito ao nível técnico. Num futebol praticamente amador, a ascensão no continente supera todas as expectativas. O país está mobilizado para a CAN, e os atletas absorveram essa importância. Prova disso é que jogadores importantes abdicaram de salários ‘astronômicos’ na Europa para retornarem ao futebol local e estarem em forma para a competição, como Daniel Cousin, que por muitos anos foi o grande ícone do futebol gabonês, Georges Ambourouet e Stéphane Nguéma. Passado o torneio, o “sonho olímpico” imediatamente volta a ser pauta, com o Gabão podendo novamente cruzar o caminho da seleção brasileira. É bom não subestimar a capacidade de superação dos gaboneses.

Foi bom enquanto durou

Alimentando a expectativa de ser o “novo Mazembe” no Mundial Interclubes, o Espérance deu adeus à briga pelo título de forma precoce e, digamos, injusta. Os tunisianos enfrentaram o Al-Sadd, do Catar, e foram amplamente superiores na partida, criando mais chances de gol (20×7), tendo mais posse de bola e um gol mal anulado. Entretanto, quem levou a parada foi o Al-Sadd: 2 a 1 e vaga para encarar o temido Barcelona nas semifinais.

De qualquer forma, o Espérance deixou uma impressão extremamente positiva naquele que foi o melhor jogo da competição até aqui. O técnico Nabil Maaloul montou uma espécie de 4-2-3-1, com o ótimo Darragi ditando o ritmo da equipe, Msakni se movimentando pelos flancos e N’Djeng isolado na frente. Como esperado, o treinador também abriu mão do lateral-direito Afful, uma das principais peças ofensivas da equipe, escalando em seu lugar o defensivo Coulibaly, que demonstrou muitas limitações técnicas. Vale lembrar que participação do Espérance no Mundial ainda não acabou, afinal, os tunisianos ainda disputam o 5º lugar contra o Monterrey, do México. Se der a lógica e Barcelona e Santos classificarem-se para a final, o duelo contra os mexicanos tem tudo pra ser muito mais atrativo que a decisão do 3º lugar.

Curtas

– Além do Gabão e do Marrocos, o Egito também já está garantido nas Olimpíadas de 2012. Na decisão do 3º lugar do Africano Sub-23, os faraós venceram Senegal por 2 a 0. Para os senegaleses, o sonho olímpico não acabou: os Leões ainda disputam uma repescagem contra uma seleção asiática para assegurar passaporte para Londres.

– Na próxima quarta-feira, 14 de dezembro, a épica vitória do Mazembe sobre o Internacional no Mundial 2010 completará um ano. Mas nem tudo são flores para o time congolês: o atacante Kabangu, que inclusive marcou um dos gols sobre o Inter, anunciou sua transferência para o Anderlecht em janeiro.

– O sorteio da fase preliminar da Liga dos Campeões Africana 2012, realizado no último fim de semana, colocou frente a frente dois campeões nacionais: Orlando Pirates, da África do Sul, e Recreativo do Libolo, de Angola.

– Entre outros confrontos, o Zamalek, do Egito, enfrenta o Young Africans, da Tanzânia, enquanto o Berekum Chelsea, atual campeão ganês, encara o LISCR, da Libéria. Outros 17 duelos estão marcados, e os vencedores se juntam a outras 13 equipes, incluindo o atual campeão continental, Espérance, na segunda fase preliminar.

– O Orlando Pirates bateu o Bidvest Wits por 3 a 1 e garantiu o título inédito da Telkom Cup, a segunda conquista dos Bucs na temporada. Benni McCarthy, autor de um dos gols, vive grande fase e já é o grande protagonista do time comandado por Julio César Leal.

– Pelo Campeonato Ganês, o Hearts of Oak bateu o FC Medeama por 2 a 1 e se juntou ao Asante Kotoko na liderança, ambos com 21 pontos. Na Argélia, o USM Alger perdeu para o JSM Bejaia por 2 a 0 e viu a liderança do campeonato nacional escapar para o ES Setif, que bateu o MC Saida por 3 a 1.

– No Campeonato Marroquino, o FUS Rabat empatou sem gols com o Olympique de Safi, mas segue na liderança. O Raja Casablanca bateu o Olympique Khouribga por 2 a 1 e pulou para 4º lugar, enquanto no grande jogo da rodada, FAR Rabat e Wydad Casablanca empataram em 2 a 2.

– A Federação Camaronesa de Futebol (Fécafoot) divulgou a data do pontapé inicial do Campeonato Camaronês 2012: 7 de janeiro, com o duelo entre Union Sportive e Tiko United.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo