Ziyech marcou em sua estreia como titular, e o Chelsea conseguiu o terceiro jogo seguido sem levar gol

Desde a bronca pública do capitão Cesar Azpilicueta, pedindo mais atenção com a defesa, o Chelsea disputou três jogos e não sofreu nenhum gol. Nesta quarta-feira, Hakim Ziyech marcou em seu primeiro jogo como titular pelo clube londrino para fechar a vitória por 4 a 0 sobre o Krasnodar, fora de casa, pela segunda rodada da fase de grupos da Champions League.

Ziyech foi uma das badaladas contratações dos Blues para esta temporada, ao lado de Kai Havertz e Timo Werner. Lampard, pela primeira vez, colocou os três juntos desde o início da partida. Ziyech havia disputado alguns minutos no empate sem gols contra o Sevilla e no 3 x 3 com o Southampton, que motivou o Chelsea a se reorganizar defensivamente.

Titular, o marroquino mostrou um pouco de falta de ritmo, mas fez boas jogadas no primeiro tempo pela direita. Depois de Daniil Utkin exigir uma boa defesa de Edouard Mendy, Ziyech respondeu com um chute quase da ponta direita, empurrado a escanteio por Matvey Safonov.

Ele também participou do lance do pênalti. Centralizou, abrindo o corredor para Azpilicueta, e soltou para o cruzamento do capitão a Timo Werner, derrubado por Kayo Pantalean. O árbitro nem teve dúvida. Mas Jorginho perdeu o segundo pênalti nesta temporada e deu azar. A bola bateu na trave, nas costas do goleiro e ainda sobrou para Werner. Aleksandr Martynovich evitou que o atacante alemão marcasse no rebate com um bloqueio perfeito.

A partida ficou morna durante aproximadamente 20 minutos e ainda estava mais ou menos morna quando o Chelsea abriu o placar. Porque o gol saiu com grande contribuição de Safonov. Os visitantes trabalhavam a bola na entrada da área. Havertz deixou com Hudson-Odoi, que bateu rasteiro, em cima do goleiro, e Safonov engoliu um frangaço.

Como diante de Sevilla e Manchester United, a melhora defensiva chegou ao custo de menos fluidez no ataque, um equilíbrio que Frank Lampard ainda precisa encontrar. Um goleiro mais seguro também contribuiu. Yuri Gazinskiy assustou com um chute no travessão, o Chelsea respondeu com uma boa jogada de Ziyech, que pedalou para iludir o marcador, mas bateu mal, em cima do goleiro, e Edouard Mendy fez boa defesa para barrar o chute quase sem ângulo de Marcus Berg.

O Krasnodar começava a ficar perigoso. Frank Lampard se mexeu com três substituições ao mesmo tempo. Trocou a dupla de meias centrais – Jorginho e Kovacic por Kanté e Mason Mount – e colocou Pulisic na vaga de Hudson-Odoi, formando, enfim, o quarto ofensivo teoricamente mais forte do Chelsea. E aí o negócio ficou bem interessante aos ingleses.

Pulisic entrou muito bem. Conseguiu mais um pênalti, chutando em cima de Martynovich. A bola pegou na coxa do jogador do Krasnodar e depois em seu braço, mas o árbitro marcou mesmo assim. Desta vez, Werner cobrou sem chances para Safonov. Depois, Pulisic caiu pela esquerda, deixou com Werner, que acionou Ziyech. O marroquino dominou bem, abriu espaço à esquerda entre três marcados e bateu cruzado para fazer 3 a 0.

Antes do fim, Pulisic ainda conseguiu deixar o seu. Abraham o encontrou dentro da área. O chute cruzado e rasteiro passou entre as pernas de Safonov – em um dia não muito inspirado – e completou a goleada do Chelsea.

.