Ainda estamos em fevereiro, mas o Chelsea já tem seu primeiro reforço para a próxima temporada. Trata-se do talentoso meia marroquino Hakim Ziyech, do Ajax. Em uma transferência avaliada em 40 milhões (que podem subir a 44 milhões caso algumas metas sejam atingidas), o jogador vai para a Premier League a partir de julho deste ano. Os Blues queriam o atleta para janeiro, mas a equipe de Amsterdã bateu o pé para segurá-lo até o fim da temporada. O contrato não está fechado, mas o próprio perfil do Ajax já divulgou a venda.

Ziyech chegou ao Ajax na temporada 2016/17, tendo passado antes por Twente e Heerenveen. Em 160 partidas pelos Ajacieden desde então, participou diretamente de 130 gols, com 48 tentos e 82 assistências. Se, por um lado, haverá quem aponte o baixo nível de competitividade da Eredivisie para explicar parte de seu sucesso, o marroquino já mostrou na Champions League, especialmente na temporada 2018/19, que é capaz de fazer grande estrago também contra adversários de grande porte.

No histórico time do Ajax que chegou à semifinal da Liga dos Campeões passada, ficando a alguns minutos de uma campanha finalista, Ziyech foi um dos destaques, influenciando partidas com sua técnica, incisividade e também um fator de decisão especial nas bolas paradas, seja potencializando o jogo aéreo ao levantá-las na área ou em cobranças de falta diretas ao gol.

Depois da campanha continental passada, esperava-se um grande desmonte no Ajax, mas o time neerlandês conseguiu manter sua base, e uma das permanências mais surpreendentes foi justamente a de Ziyech. Houve flerte sério com o Bayern de Munique, mas, por fim, o marroquino acabou ficando e estendendo seu contrato – mas sem fechar as portas a uma saída.

O próprio Ajax não queria ser um impedimento ao progresso da carreira de seu jogador. O valor baixo desembolsado pelo Chelsea é consequência da boa relação do jogador com os Ajacieden, que no vínculo passado incluíram até uma cláusula de que o atleta poderia sair por apenas £ 25 milhões caso uma proposta de um time de grande expressão chegasse.

O interesse concreto demorou, mas enfim aconteceu, e é uma surpresa que tenha demorado tanto. O próprio diretor de futebol do Ajax, o ex-jogador Marc Overmars, havia admitido à imprensa em julho do ano passado o seu espanto com a falta de rumores em torno do atleta.

“Estou um pouco surpreso que as coisas estejam tão quietas em torno de Hakim (Ziyech). Acho que ele jogou melhor a cada ano, e suas estatísticas são excepcionalmente boas. Muitos clubes estão cada vez mais olhando isso. Eles olham mais para os números do que para o que ele mostra (em campo) e o que acontece em torno dele”, havia dito Overmars.

Já nesta quarta-feira (12), o técnico dos Ajacieden, Erik Ten Hag, foi quem demonstrou sua surpresa com quanto tempo o atleta permaneceu no clube. “Ziyech no Chelsea? Estamos nos aproximando de uma transferência, esperamos que ela aconteça. E, na verdade, eu já esperava que isso acontecesse um ou dois anos antes. E, a cada vez, eu pensava: ‘Nossa, ele ficou de novo’. Estamos felizes de que ainda o teremos até o fim da temporada”.

Na histórica campanha 2018/19, Ziyech teve um desempenho igualmente atraente. Foram 21 gols e 24 assistências pelo Ajax. Como a equipe havia ido além de seus limites em termos de desempenho naquela temporada e havia negociado dois de seus melhores talentos, De Jong e De Ligt, era esperada uma queda na atual campanha. Ela veio, mas não foi enorme, e Ziyech tem sido um dos que têm conseguido manter alto nível.

Em 2019/20, soma oito gols e 21 assistências apenas em partidas da Eredivisie e da Champions League – só na fase de grupos da competição europeia, foram dois gols e cinco assistências em seis jogos, incluindo o golaço contra o Valencia, na Espanha. O Ajax acabou não avançando às oitavas de final do torneio desta vez, mas não por falta de esforço e contribuição de Ziyech, que, em momentos desta temporada, mas sobretudo na Champions, carregou o conjunto neerlandês nas costas, se sobrecarregando na criação ofensiva.

Pelo baixo custo da operação e pelo impacto imediato que pode trazer na ponta direita do Chelsea – mas também sem movimentando entre as diversas posições do campo de ataque –, Ziyech, aos 26 anos, é uma excelente contratação ao time que Lampard vai construindo em Stamford Bridge.

Faltam ainda um pouco de casca à equipe repleta de jovens e também um maior desenvolvimento do jogo que o técnico novato têm tentado implementar, e Ziyech chega para reforçar esses dois pontos e também para melhorar potencialmente de forma drástica o jogo dos Blues por aquele canto direito – posição que nesta campanha já foi ocupada por Pedro, Willian e, mais recentemente, o ainda garoto Hudson-Odoi.

A Ziyech, a transferência para a principal liga doméstica do mundo é uma recompensa merecida e tardia pelo futebol de alto nível que conseguiu manter ao longo dos últimos anos em Amsterdã. O salto para a Premier League, é claro, é muito grande, sobretudo fisicamente. Mas o marroquino tem talento suficiente para impressionar também na Inglaterra. Se isso acontecer, ganha o Chelsea, seu torcedor e também o campeonato.