Se depender de Zinedine Zidane, o revezamento entre os goleiros Thibaut Courtois e Keylor Navas, instituído pelos antecessores desde a chegada do belga terá um fim. Em coletiva concedida previamente ao duelo com o Valencia, pela 30ª rodada de La Liga, o treinador francês comentou sobre o assunto. “Depende dos goleiros que teremos no próximo ano. Há três bons goleiros, vamos encerrar a temporada com eles, e veremos o que fazer no próximo ano. Mas já adianto: não vou dar a possibilidade de haver debate. Não vamos ter essa discussão dos goleiros na próxima temporada. Vai ser muito claro”.

Mas até que Zidane defina de fato o dono da posição no Real Madrid, as especulações persistem, especialmente porque logo ao chegar, o francês bancou a titularidade de Navas no lugar de Courtois, que vinha sendo o titular em jogos de La Liga com o técnico Santiago Solari, e em seguida deu uma oportunidade ao filho, Luca Zidane, no jogo contra o Huesca. O parentesco, obviamente, foi colocado em pauta na imprensa espanhola. “Quem me conhece sabe que Luca está aqui por méritos próprios. É jogador deste clube desde os 16, 17 anos, como Carvajal e outros, e Luca é um deles. Nada mais”.

Contra o Valencia, no Mestalla, a tendência é que mais uma vez o treinador faça alterações na equipe titular, mandando a campo uma formação mista entre titulares e reservas. “Disse depois do Huesca que ia fazer mudanças em Valencia e é o que vamos fazer. Vamos mudar os jogadores para fazer uma boa partida”, disse o treinador, que também afastou a ideia de fazer uma ‘limpeza’ no elenco. “Se falam muitas coisas sobre o próximo ano, mas é preciso respeitar a todos, aos jogadores que têm feito tantas coisas. Falar de limpeza me parece uma falta de respeito. Mudanças vamos ter de fazer, mas este não é o momento de falar sobre isso, haverá tempo”, completou.