O Paris Saint-Germain deveria fazer uma daquelas partidas protocolares pela Ligue 1. Os parisienses visitavam o Dijon, lanterna da competição, e nada além da goleada parecia razoável. De fato, a equipe de Thomas Tuchel bombardeou a meta dos anfitriões. Tentaram, e muito, arrancar a vitória. Mas a verdade é que a zebra tomou conta do gramado no Estádio Gaston Gérard. O Dijon contou com o talento de Jhonder Cádiz e um bocado de sorte para conquistar o surpreendente triunfo por 2 a 1, de virada. Bem que o PSG insistiu na busca pelo empate, mas perdeu um caminhão de gols.

Durante o início da partida, o Dijon já se mostrou disposto a aprontar. A equipe era mais persistente no ataque. No entanto, o PSG conseguiu abrir o placar logo em sua primeira finalização. Aos 19, Ángel Di María deu uma enfiada de bola açucarada e Kylian Mbappé saiu de frente com o goleiro Alfred Gomis. Um leve toque foi suficiente para balançar as redes. O problema é que os parisienses não foram muito além disso na etapa inicial. E os anfitriões não se intimidaram com a desvantagem.

O Dijon precisou realizar duas substituições no primeiro tempo por lesão. Após um choque com Gomis, Fouad Chafik precisou até mesmo sair de maca. E os longos acréscimos permitiram o empate dos anfitriões, pouco antes do intervalo. Aos 51, após um cruzamento que Keylor Navas rebateu, Mounir Chouiar marcou na sobra. Os alvirrubros não se contentaram com a igualdade. Tanto que viraram logo aos dois minutos do segundo tempo. Foi uma jogadaça de Cádiz. Pressionado por Marquinhos e Colin Dagba, o venezuelano se livrou de ambos ao mesmo tempo. Invadiu a área e, após deixar Leandro Paredes na saudade, bateu por baixo de Navas. Golaço.

O segundo tempo, então, seria de uma pressão danada do PSG. E foi incrível como a bola não entrou, diante de tantas chances criadas pelos poderosos. Foram 16 finalizações num intervalo de 35 minutos. Di María foi o primeiro a perder. Depois, Mbappé se cansou de entregar presentaços a Mauro Icardi, mas o argentino não estava em seu dia. Foram três lances claros que o centroavante perdoou, inclusive com uma cabeçada no travessão. Paredes, num tiro da entrada da área, também pararia no poste. E nem mesmo Edinson Cavani deu jeito, ao sair do banco, com direito a uma letra que saiu para fora. Apesar de toda a insistência, os parisienses tiveram que aceitar o revés.

O tropeço não custa tão caro ao PSG. Com 27 pontos, isolado na liderança da Ligue 1, no máximo a equipe poderá ver o Nantes diminuir a diferença para cinco pontos. No entanto, é mais uma derrota boba dos parisienses, após o tropeço diante do Stade de Reims cinco rodadas atrás. Já o Dijon pôde deixar a lanterna. Com 12 pontos, a equipe subiu ao 18° lugar. Em uma temporada extremamente equilibrada, já fica a seis pontos da zona de classificação à Liga Europa – mais perto do G-4 que o PSG de seu atual vice-líder.

Classificações Sofascore Resultados