As dores das temporadas recentes fazem com que a empolgação seja acompanhada de um tanto de cuidado. Ainda assim, é difícil não se entusiasmar com este novo Milan que tem sido formado, baseado significativamente em jovens talentos promissores. Gianluca Zambrotta, ex-jogador rossonero e da seleção italiana, não escapou dos encantos desta nova equipe. Em entrevista à Gazzetta dello Sport, mostrou entusiasmo por vários dos jovens valores sob o comando de Stefano Pioli, para ele o nome certo para conduzir atletas em início de carreira.

Perguntado sobre o que achou do mercado de transferências do Milan, que trouxe, entre outros, Sandro Tonali, Brahim Díaz, Jens Petter Hauge e Diogo Dalot, Zambrotta foi elogioso: “É consistente com os planos dos proprietários, que fizeram ótimos investimentos. E Pioli é o técnico ideal para jogadores jovens”.

Zambrotta marcou época como lateral e, naturalmente, teve mais a dizer sobre os jogadores desta posição. Revelou, por exemplo, que é um grande admirador do futebol de Theo Hernández desde seus primeiros jogos na Itália.

“A beleza do Theo não está apenas nos gols. Ele é um lateral extraordinário: sobe ao ataque, tem a mudança de ritmo, cria superioridade (numérica). Ele já tinha me impressionado desde as primeiras partidas na Serie A. Pensei: ‘Esse cara tem a personalidade dos grandes jogadores'”, contou.

Pelo lado direito, o Milan conta agora com Diogo Dalot, que chegou por empréstimo do Manchester United, e Davide Calabria. Zambrotta aprovou a contratação do português e tem uma perspectiva positiva quanto às jogadas pelos lados dos Rossoneri.

“É um talento. Muito técnico, bom no um contra um, perto do gol. Sua chegada segue a filosofia do clube: jovens promissores que serão valorizados. Dalot na direita e Theo na esquerda é um bom projeto.”

Calabria, no entanto, não deve ser esquecido. Zambrotta avalia que Pioli conseguiu “recuperá-lo”, corrigindo algumas fraquezas de seu jogo. “(Agora) Ele presta atenção na fase defensiva e contribui indo à frente. No passado, talvez ele sofresse com os momentos negativos do time e com o fato de que o San Siro não o perdoava tanto. Mas agora o vejo muito concentrado”, apontou.

Sandro Tonali, talvez a contratação de maior impacto feita pelo Milan na mais recente janela de transferências, também foi lembrado por Zambrotta. O ex-jogador, inclusive, disse ter se surpreendido com o estágio em que o meia se encontra mesmo tão jovem.

“Com 20 anos de idade, ele parece ter experiência em seu DNA, sua maturidade impressiona. Mas lembremos que ele veio do Brescia, que lutava por objetivos diferentes. Conheço a diferença entre jogar em campos na província e em estádios como Camp Nou ou San Siro. Se você não for mentalmente forte o bastante, corre o risco de pagar caro nas primeiras dificuldades”, alertou.

Com estes jovens talentos mesclados a nomes mais experientes, como Zlatan Ibrahimovic e Hakan Çalhanoglu, o Milan começou a Serie A 2020/21 como terminou a temporada passada: voando. São três vitórias em três jogos, com sete gols marcados e nenhum sofrido. Para Zambrotta, é motivo suficiente para afirmar que a distância dos Rossoneri para a Juventus diminuiu, mesmo que estejamos ainda no começo.

“Estamos apenas no início, e três jogos é muito pouco para fazer julgamentos. Mas acho que a distância entre os dois times diminuiu. E não nos esqueçamos que o Milan não perde há 19 jogos, ainda não sofreu gols na liga e está crescendo rapidamente. Como é que diz o ditado? Quem começa bem…”