Os profissionais da área de saúde merecem todo o apoio em meio à pandemia (e não apenas neste momento), diante da necessidade extrema de seus trabalhos, das cargas horárias extenuantes e dos próprios riscos aos quais se submetem. Assim, a quem pode ir além dos aplausos, é necessário dar suporte. Na Inglaterra, o ponta Wilfried Zaha resolveu focar sua contribuição a esses médicos, enfermeiros e outros tipos de atendentes. Ele garantirá acomodações gratuitas a funcionários do Serviço Nacional de Saúde (NHS) durante o combate ao coronavírus.

Zaha usou suas redes sociais para encorajar os profissionais da saúde a procurarem a ZoProperties, companhia da qual é coproprietário, antes de estabelecer contato direto com o NHS. A empresa oferece aluguéis de apartamentos por um curto período, de maneira similar ao AirBNB. Zaha disponibilizará 50 apartamentos ao redor de Londres sem taxas, a profissionais que precisarem de estadia para trabalhar na cidade ou para isolamento. A ZoProperties também conversará com outras empresas do tipo para agirem de maneira parecida.

“Vi coisas no noticiário, tenho amigos com parentes que trabalham no NHS e meu filho nasceu em um hospital público. O que realizam é incrível. Se há algo que pudermos fazer para ajudar, obviamente, faremos. Agora é hora de defender todos que podem contribuir. É hora de se levantar. Qualquer pessoa com quartos vazios em Londres precisa fazer algo. Se você tem algum tipo de acomodação disponível, deveria abrir aos trabalhadores-chave neste momento”, comentou Obi Williams, sócio de Zaha, ao Evening Standard.

Na Inglaterra, há uma clara preocupação do futebol com os funcionários do NHS. Gary Neville abriu o hotel do qual é dono para que funcionários do sistema público de saúde fiquem, assim como o Chelsea fez com o hotel localizado nas instalações de Stamford Bridge. Outro bom exemplo veio de Marcus Rashford, que lidera uma campanha para garantir a merenda escolar de crianças carentes que não irão às aulas durante as próximas semanas.

Neste momento, o Reino Unido registra oficialmente mais de 5 mil casos de pacientes com coronavírus, contabilizando 244 mortes. Foram mais de mil novos casos apenas neste sábado. Londres é a área mais afetada.